rgp

Membro
  • #Conteúdo

    1273
  • Registado Em

  • Última Visita

  • Feedback

    100%
  • Content Ratings

    5
As minhas músicas favoritas

Reputação

167 Reputação Excelente

About rgp

  • Aniversário 19-08-1967

Informação de Perfil

  • Género
    Masculino
  • Cidade
    Lisboa
  • Instrumento
    Guitarra

Quem visitou o meu perfil

2722 visitas ao perfil
  1. O que é para ti um mini amp?
  2. Quase não o reconheci, não o costumo ver de chapéu Nestes amps o power a mais não faz mal, pois soam igualmente com o som baixinho (ao contrário dos amps a válvulas), no entanto ocupam algum espaço.
  3. Tive um, e só posso dizer bem - bom som limpo e berra bem (não é um Twin, mas dá perfeitamente para tocar em banda sem comprometer) . A distorção é fraquita, mas isso é irrelevante para quem tiver pedais. Foi o meu primeiro amp "a sério", e quando pude ter amps a válvulas ficou como backup por muito tempo, pois é o ideal para andar aos trambulhões na carrinha, e até o toquei algumas vezes quando tinha um stack Marshal que nem sempre cabia no palco. Só o vendi quando tive vários amps melhores e percebi que nunca mais o usaria. Se puderes esticar um pouco o orçamento vai para um Tech21 (arranjam-se por 200 / 300), que soam um pouco melhor em som limpo e as distorções são muito melhores. Também gosto deles para tocar em casa (tenho um para isso) porque na prática, ao volume a que posso tocar, acabam por soar melhor que os amps que simulam.
  4. .
  5. Quando tinha um AC30 comprei um atenuador - um Marshall SE100, que era bastante bom, sobretudo para gravar, e até se arranjam relativamente baratos. No entanto isso apenas serve para se ter o mesmo nível de "breakup", não é a mesma coisa do que ter o amp com as goelas abertas, nem no timbre (os altifalantes também contam), nem, sobretudo, na sensação. Actualmente tenho um AC4 que tem um som do género (não é a mesma coisa, mas um AC30 atenuado também não), serve de backup (micado serve perfeitamente para tocar ao vivo), e custa pouco mais do que um atenuador bom. Há muito que não tenho o AC30 porque nunca o pude ter a soar como deve ser ao vivo (abafaria toda a banda), e soar melhor nos ensaios do que ao vivo era bastante frustrante. Uso o AC4 em casa (e às vezes ao vivo num duo), e com banda uso Mesa Boogie (o som não tem nada a ver, mas fartei-me de andar a carregar 40kg e acabar por não soar como queria) .
  6. Grande numero de teclados (provavelmente a maior parte) premite fazer transposição - se por ex seleccionares a tonalidade de SIb e quando tocas na tecla Dó o que sai é um SIb.
  7. A selas graphtech poupam as cordas (partem menos), ajudam na afinação (mas isso nota-se sobretudo nas pestanas graphtech), aumentam o "sustain" e , na minha opinião, soam melhor do que as selas da Gibson. As "roller" poupam as cordas. Eu uso "roller" (Schaller") numa semi acustica com Bigsby e resultam bem. Em corpo sólido uso graphtech. O que uso em todas as guitarras é pestanas graphtech - as melhorias são notórias, e custam menos de 10€ (e há imensas medidas, pelo menos para os modelos de guitarra mais comuns, pelo que se pode fazer a troca em casa se se arranjar uma que seja troca directa )