H

Modos

160 posts neste tópico

Ora bem caros amigos,

estive a ler o post do Tiago Reis e constatei que havia muita gente que nao fazia a menooor ideia do que se estava ali a falar, e foi então que senti uma força interior mais forte que eu, e decidi fazer um modesto post ;)

Comecemos com a escala de C maior ( C D E F G A B )

Dividamos a escala numa quatríade: C E G B(Tónica, 3ª, 5ª e 7ª)

Poderão constatar que as notas C E G B são as mesmas do acorde CMaj7,

pois os intervalos formados são: C(Tonica), C-E(3M), C-G(5P) e C-B(7M)

Como este acorde é formado a partir da escala de C maior, é natural que as notas encaixem perfeitamente.

---

Comecemos agora com a mesma escala de C maior ( C D E F G A B ), mas a partir

de D(ficaria D E F G A B C).

Dividamos a escala numa quatríade: D F A C

Poderão constatar que as notas D F A C são as mesmas do acorde Dmin7, pois os intervalos formados são: D(Tonica), D-F(3m), D-A(5P), D-C(7m)

Apesar do acorde ser menor, não alteramos quaisquer notas, apenas partimos de outra tonica, logo o acorde encaixa perfeitamente na escala de C maior.

Agora façam o seguinte: peguem numa folha de papel e numa caneta

e escrevam o acorde formado a partir do III, IV, V, VI e VII grau da escala, tal e qual como demonstrei. Verão que obedece á seguinte sequência:

I - Cmaj7 (T 3M 5P 7M)

II - Dmin7 (T 3m 5P 7m)

III - Emin7 (T 3m 5P 7m)

IV - FMaj7 (T 3M 5P 7M)

V - G7 (T 3M 5P 7m)

VI - Amin7 (T 3m 5P 7m)

VII - Bmin7(5b) (T 3m 5b 7m)

NOTA: Têm 7 acordes diferentes nos quais podem utilizar a mesma escala pra improvisar(C maior), portanto isto já deve ajudar alguma coisa ;D

Agora preparem-se porque a coisa vai complicar, fasten your seat belts :P ... :P

Sugestão: interpretem modo como escala, pelo menos numa primeira abordagem, porque senao vai-vos complicar as ideias :P

Pegando na escala de C maior a partir do I grau, obtem-se obviamente, a escala maior de C. Esta escala tem o nome de modo Jónico.

Portanto a fórmula é a seguinte: 1 2 3 4 5 6 7

Pegando na escala de C maior a partir do II grau, obtem-se o chamado modo Dórico.

Fórmula do modo Dórico: 1 2 3b 4 5 6 7b

Agora é só pegar na folhinha e fazer exactamente o que eu fiz para cada grau, e escrever a respectiva fórmula.

Poderão constatar que vão obter as seguintes formulas:

Modo Jónico ou Maior (I) - 1 2 3 4 5 6 7

Modo Dórico (II) - 1 2 3b 4 5 6 7b

Modo Frigio (III) - 1 2b 3b 4 5 6b 7b

Modo Lídio (IV) - 1 2 3 4# 5 6 7

Modo Mixolídio (V) - 1 2 3 4 5 6 7b

Modo Aeólio ou Menor Natural (VI) - 1 2 3b 4 5 6b 7b

Modo Lócrio (VII) - 1 2b 3b 4 5b 6b 7b

E qual é a utilidade desta história dos modos?

Suponham que têm uma progressão harmónica sem tonalidade definida, como por exemplo:

E7 Bm7(5b) AMaj7 Fmin7

Ora como nao tinhamos tonalidade, nao podiamos ir buscar a fundamental e tocar a escala maior, como foi indicado na primeira fase deste post, mas poderiamos, com o nosso conhecimento, improvisar da seguinte forma:

Sabemos que ha 2 modos maiores - Jónico(I) e Lídio(IV)

Sabemos que ha 1 modo dominante - Mixolídio(V)

Sabemos que ha 3 modos menores - Dórico(II), Frígio(III) e Aeólio(VI)

Sabemos que ha 1 modo 'meio-diminuto' - Lócrio(VII)

Como cheguei a esta conclusão? Peguem nos acordes que escreveram na folha:

I - Cmaj7 (T 3M 5P 7M) - acorde maior, logo o modo correspondente é maior

II - Dmin7 (T 3m 5P 7m) - acorde menor, logo o modo é menor

III - Emin7 (T 3m 5P 7m) - acorde menor, logo o modo é menor

IV - FMaj7 (T 3M 5P 7M) - acorde maior, logo o modo é maior

V - G7 (T 3M 5P 7m) - acorde dominante, logo o modo é dominante

VI - Amin7 (T 3m 5P 7m) - acorde menor, logo o modo é menor

VII - Bmin7(5b) (T 3m 5b 7m) - acorde meio-dim., logo o modo é meio-dim.

É claro que se pegassemos numa tríade em vez de quatriade poderiamos usar

mais modos, porque a progressão é menos específica, pois nao é definido o intervalo de 7ª.

Mas concluindo, nada mais simples para improvisar!

Para E7 usavamos E mixolídio;

Para Bm7(5b) o B Lócrio;

Para AMaj7 o A Jónico e/ou Lídio

e para o Fmin7 o F dórico e/ou Frigio e/ou Aeólio

:P

Espero ter ajudado e nao ter complicado, mas sabem que os modos é sempre dificil nao complicar, eu demorei meses para perceber isto e mesmo assim ainda tenho algumas dificuldades ;) good luck

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais

Nice post Hexed.

Tudo explicado de maneira simples, de modo a toda gente perceber.

Way to go. Curti. :P

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais

Hexed...suponho que por lapso tenhas escrito os intervalos de CMaj7 mal. O correcto é assim:

Fundamental Dó ( C )

Terceira Maior Mi ( E )

Quinta Perfeita Sol ( G )

Sétima Maior Sí ( B )

E no Bm7b5 a Quinta é diminuta (b5) 5dim

:P

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais

Dessa maneira acho que não se tira o maior partido dos modos. Pode-se improvisar por cima desses acordes com a escala de Dó Maior porque são os acordes diatónicos da mesma escala (formados, como disseste, pela tónica, terceira, quinta e sétima).

Se pensarmos em escalas diferentes, em vez de acordes, já começa a fazer mais sentido, pelo menos para mim. :)

Exemplo:

C D E F G A B C (escala maior de Dó)

Ao consideramos C (1ª nota da escala maior em questão) como tónica, temos os intervalos 1 2 3 4 5 6 7 8. Isto é o modo C Ionian (desculpem, mas não quero arriscar a tradução :lol:). Obviamente é igual à escala maior.

Mas se considerarmos D como a tónica, aí os intervalos em relação à tónica já mudam D E F G A B C D (1 2 b3 4 5 6 b7 8). Este é o modo D Dorian.

Considerando E como tónica temos E F G A B C D E (1 b2 b3 4 5 b6 b7 8). Modo E Phrygian.

Considerando F, temos F G A B C D E F (1 2 3 #4 5 6 7 8). Modo F Lydian.

Considerando G, fica G A B C D E F G (1 2 3 4 5 6 b7 8). Modo G Mixolydian.

Considerando A, temos A B C D E F G A (1 2 b3 4 5 b6 b7 8). Modo A Aeolian. Reparem que é exactamente o mesmo que a escala menor natural de Lá, relativa menor de Dó.

Considerando B, fica B C D E F G A B (1 b2 b3 4 b5 b6 b7 8). Modo B Locrian.

Desta forma, temos 7 escalas diferentes, uma para cada grau da escala maior. Todas partilham os mesmos acordes diatónicos, mas as relações de cada grau da escala em relação à tónica mudam bastante. Se experimentarem tocar todos os modos com a mesma nota como tónica, ao invés de tocar a partir de cada grau de uma mesma escala maior, vão reparar que algumas são parecidas, mas que muitas mudam bastante a sua sonoridade em relação à escala maior.

Esta maneira de extrair os modos de uma escala maior funciona da mesma maneira com uma menor natural ou harmónica menor, mas penso que esses modos não são muito frequentemente utilizados.

Se houver erros (o mais provável, já que não percebo grande coisa de teoria) façam favor de corrigir. :blink:

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais

Ionian = Jónico

Dorian = Dórico

Phrygian = Frígio

Lydian = Lídio

Mixolydian = Mixolídio

Aeolian = Aeólio

Locrian = Lócrio

B)

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais

http://www.musictheory.net

Lições em Flash. A sério que é muito boa a página, e explica tudo de uma maneira muito simples.

É só em Inglês.

P.S.- Hexed, edita o teu post, faz as correcções do Luís Moreno e adiciona os contributos do Indio. Assim pode-se logo usar o primeiro post como referência (o que acredito ter sido a tua intenção). Obviamente, é só uma sugestão.

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais

Regista-te ou entra para comentar!

Para deixar um comentário é necessário estar registado. É muito fácil!

Criar uma conta

Regista-te e vem fazer parte desta comunidade! É fácil!


Registar-me

Entrar

Já estás registado? Entra aqui!


Entrar agora