Compor Musicas # Dicas #

111 posts in this topic

Posted (edited)

Eu geralmente começo por criar com uma viola , um rascunho de acordes ao calhas , sempre a mudar de ritmos , e acordes em quando vou assobiando fazendo de conta que já tenho letra .

Quando encontro esse tal conjunto de acordes e que acho que está bem fixe para vir a ser uma musica , analiso então bem a tal musica e penso qual é o melhor tema de letra para o ritmo da musica .

E prontos depois é só construir a letra , e digo já que não é tarefa fácil .

E depois no fim fazer , solos , baixo , bateria , gravações , mas isso é CAGATIVO , acreditem .

Depois de ter um bom rascunho e um bom tema para a letra , tudo sai normalmente e com muita magia .

Mas outras vezes começo pela letra e só depois faço a parte instrumental e outras vezes pego em acordes e letras de outras musicas que tenho e vou experimentando se a letra ou acordes da musica tal fica bem na outra musica .

Estou sempre a experimentar até ficar o melhor possível .

Para fazer letras eu tenho dois sistemas :

Escrevo o máximo de palavras sobre um tema para a musica numa folha e depois recorto essas palavras uma a uma e misturando-as , agitando-as bem nas minhas mãos e ponho-as depois em cima da mesa ao calhas . Depois vou tirando uma palavra ao calhas sem ver e vou apontando noutra folha fazendo vários versos . No final vejo como ficou e geralmente á um ou outro verso que ficou fixe .

A outra maneira é :

Tipo , o tema da letra é ( Globalização )

Escrevo a palavra Globalização no Google e aparece nesses sites um mundo sem fim de palavras acerca disso e depois escolho as palavras que me interessam para fazer a musica .

A coisa mais importante para compor grandes musicas é a pessoa em si .

Aquilo que aprendemos ao longo da vida , e , o motivo , que te leva a compores musicas .

Esse motivo que te leva a compores musicas é que define a qualidade de criação nas tuas musicas .

Eu tenho um motivo muito forte que não vou dizer qual é , e isso é que me dá força e habilidade para fazer boas musicas .

Existe dois tipos de musica que tu tens de decidir qual fazes parte e vais trabalhar nisso .

Um é:

A musica fácil , tipo que é quase sempre tem três versos dois refrãos e um ritmo fixe e etc . .

http://www.youtube.com/watch?v=YdooeewNAng

E outro é :

A musica difícil , tipo que é complexa e esquisita e com muita mística e etc ...

http://www.youtube.com/watch?v=6M-UtlpvBWk

LOL , agora cada um escolhe o seu estilo .

O meu estlio é o esquuísito . http://www.palcoprincipal.com/pingotinto

Edited by Pingo Tintol

Share this post


Link to post
Share on other sites

Posted

(...)

Existe dois tipos de musica que tu tens de decidir qual fazes parte e vais trabalhar nisso .

Um é:

A musica fácil , tipo que é quase sempre tem três versos dois refrãos e um ritmo fixe e etc . .

http://www.youtube.com/watch?v=YdooeewNAng

E outro é :

A musica difícil , tipo que é complexa e esquisita e com muita mística e etc ...

http://www.youtube.com/watch?v=6M-UtlpvBWk

LOL , agora cada um escolhe o seu estilo .

O meu estlio é o esquuísito . http://www.palcoprincipal.com/pingotinto

Bem com esta caracterisação do tipo de música, ainda te arriscas a levar porrada por aqui... Se o Mr. Lithium lê isto temos thread de 300 replies... heheh

Música fácil? Música difícil??? De fazer, ouvir ou compreender??? ;)

Aquilo que dizes é questionável, e acho que os exemplos nem são muito felizes, se me permites...

Não vou comentar o teu texto acerca do modo de compôr, não por discordar ou concordar, mas mais porque acho que fazer música, é uma coisa muito pessoal e quase que intransmíssivel, passe a expressão.

O que eu quero dizer, é que nisto de fazer música não há receitas. É verdade que existem cursos extensivos de composição, mas lá se estuda apenas uma série de regras... Baseadas no que outros fizeram antes de nós! Regras que depois podemos aplicar ou não!!! A "não aplicação" dessas leis dá lugar a novos géneros...

Se uns fazem primeiro a letra outros a musica, outros uma melodia que depois vão harmonizar, outros fazem tudo ao mesmo tempo. Algumas bandas trabalham com toda a gente junta, eu por exemplo gosto de compor sozinho, tipo eremita no meu estúdio, sem mais ninguém. Egoísmo? Sim podes crer. O Rui Veloso, gosta de compor sozinho, o Phil Collins quando foi convidado para fazer a banda sonora do Tarzan, fechou-se no estúdio um mês, e apareceu com tudo quase pronto...

Compôr uma musica (de qualquer tipo, pop, rock, clássico, jazz, etc) é algo muito pessoal...

Concordo plenamente com as tuas opções de criação das letras, quando me falham as ideias, lá vou eu... Google, dicionários de rimas, textos sobre os temas, enfim, é o que vier! É claro que tudo isto tem de ser visto com sentido crítico, e não vou fazer uma letra com uma coisa do google, só porque lá aparece...

O teu estilo é... diferente do meu estilo... diferente dos estilos do resto do mundo todo... Se não nos andassemos para aí a imitar-nos uns aos outros, isto de fazer música ainda era mais interessante! :)

Share this post


Link to post
Share on other sites

Posted

Bem.... O mcatalão disse tudo o que eu poderia dizer, de uma forma muito mais simples do que eu diria....

Só achei que esses exemplos no fim... Bem...

Para mim música difícil, esquisita e difícil de ouvir é isto. Mas para mim é espectacular....

Share this post


Link to post
Share on other sites

Posted

Bem.... O mcatalão disse tudo o que eu poderia dizer, de uma forma muito mais simples do que eu diria....

Só achei que esses exemplos no fim... Bem...

Para mim música difícil, esquisita e difícil de ouvir é isto. Mas para mim é espectacular....

Lá estás tu a querer que a malta se actualise... hehehe

Share this post


Link to post
Share on other sites

Posted

Dass lithium, aquela musica que postaste vai lá vai!

Ainda vou ter pesadelos man.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Posted (edited)

Dass lithium, aquela musica que postaste vai lá vai!

Ainda vou ter pesadelos man.

Éssa não vai me ficar no ouvido de certeza!!! Ehehehhe

------------

Edit: O tópico é interessante mas há muito que dizer, por isso vou deixar a minha posta noutro dia com mais vagar e vontade de escrever.

Edited by M.D.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Posted (edited)

Bem, devia ter vestido o colete de balas :P

Anyway, quem tiver ouvidos para ouvir que ouça... Também é preciso conhecer a peça, porque a arte hoje em dia é tão abstracta que não se percebe quais são os objectivos do compositor ;)

Edit: Hugogamelas, em relação ao teu comentário no vídeo... Estavas a brincar, mas sabias que esta peça tem os instrumentos afinados alguns microtons acima dos outros (um microtom=1/10 de tom) ?? Deve ter, realmente, demorado muito tempo para afinar com tal precisão ;)

Edited by Mr. Lithium^^

Share this post


Link to post
Share on other sites

Posted

Eu notei essas diferenças de microtons, tenho ouvidos de morcego :lol: :P

Share this post


Link to post
Share on other sites

Posted

Bem.... O mcatalão disse tudo o que eu poderia dizer, de uma forma muito mais simples do que eu diria....

Só achei que esses exemplos no fim... Bem...

Para mim música difícil, esquisita e difícil de ouvir é isto. Mas para mim é espectacular....

Nao deixa de ser harmonioso mas num genero psicadelico.

Tou a imaginar uma trançada com estes microtons e violinos .

Eu gosto tanto que ja vi o video 3 bezes especialmente a partir do min 4.26 quando entram os ( posso tar a dizer asneira ) contrabaixos =p

Share this post


Link to post
Share on other sites

Posted

Boas pessoal,

Não sei se vos poderá ser considerado como dica mas dentro da minha experiencia tem sido uma ferramenta indispensável.

Estou a falar na utilização do Guitar Pro durante a composição, desde a minha descoberta de esse pequeno/grande programa sinto cada vez mais uma grande dependencia para o processo de composição, já o uso +/- à 3 anos e garanto-vos que após "ganharem fluencia da programação", digo isto porque ao inicio poderá ser moroso.

A grande vantagem é pormo-nos da 3 pessoa, ou seja, durante o processo de composição a nossa mente pode ser enganada e fechada naquele ciclo, e não digam que nunca pensaram "quem me dera ouvir isto "de fora" pa ganhar outra noção", e podem pegar nos riffs e fazer copy/paste, duplicar, ter noção da dinamica da bateria, metrica da musica, etc.

Porquê o GP e não uma gravação ou outro SW... porque para mim o GP é "on the fly" após a fluencia é rapidissimo ou seja a medida que estou a compor demoro poucos minutos a programar os riffs e a inserir logo baterias, que me ajudam bastante na criatividade para novas idieias. É como se tivesse uma banda a ir tocando o que estou a compor e eu a dizer, agora façam assim ou assado, sempre na posição de ouvinte.

Bjinhos*

Share this post


Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!


Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.


Sign In Now