Arcanjus

Compilação de muita teoria

71 posts neste tópico

Pode mas geralmente a V7 implica o tritono da escala, ex fa e si... onde o fa depois resolve para mi, ou seja o 3 grau e o si para do.

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais

Porque é que metem sempre a sétima no V?? Não pode ser só V?

Nham, nao percebi.

O facto de ser ter o 7 implica um acorde dominante. Normalmente Maj7 ou um triangulo implica Maior de sétima, e min7 ou -7 significa menor de sétima.

Podes ter uma progressão I - VI - II - V

E nao preciso de por nada, porque já sabes o que sao os graus.

Mas se a progressão for dois II-V-I para resolver em dó entao terias:

III | VI7 | II | V | I

Porque naquele caso o sexto grau é dominante para o segundo.

Nao consegui perceber o que o andreb quis dizer também :|

Hoje estou um bocado lentinho portanto, bear with me.

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais

Porque é que metem sempre a sétima no V?? Não pode ser só V?

Nham, nao percebi.

O facto de ser ter o 7 implica um acorde dominante. Normalmente Maj7 ou um triangulo implica Maior de sétima, e min7 ou -7 significa menor de sétima.

Podes ter uma progressão I - VI - II - V

E nao preciso de por nada, porque já sabes o que sao os graus.

Mas se a progressão for dois II-V-I para resolver em dó entao terias:

III | VI7 | II | V | I

Porque naquele caso o sexto grau é dominante para o segundo.

Nao consegui perceber o que o andreb quis dizer também :|

Hoje estou um bocado lentinho portanto, bear with me.

Essa coisa do Maj7 comigo dá sempre confusão; não que eu não saiba o que é, é só por uma questão de português e, desculpem lá, mas eu acho que o meu faz mais sentido (não sendo no entanto a verdade absoluta); vejamos:

- C7, por exemplo, eu leio como C maior de 7ª e toco C E G Bb

- CMaj7, por exemplo, eu leio como C maior com a 7ª maior, e toco C E G B

Onde quero chegar é que o nome/frase "[acorde] Maior de Sétima", o maior pra mim classifica o acorde e não a sétima; para mim, para classificar a sétima tem que ser "[acorde] de/com sétima maior"

Pondo de outra forma, se me pedirem "Toca-me um dó maior de sétima" eu toco-vos C E G Bb; se quiserem que toque C E G B têm que me pedir "Toca-me um dó maior com a sétima maior"

Fiz-me entender?

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais

Três coisas:

1ª: Eu não percebo muito de teoria e não tenho a certeza do que vou dizer.

O facto de ser ter o 7 implica um acorde dominante.

2ª: Acho que isso não é assim. Se, em Dó maior, tocares C Em7 F, o Em7 não é um acorde dominante, embora tenha a sétima.

(...)

Dó Maior

Ré Menor

Mi Menor

Fá Maior

Sol Dominante (3ª Maior, 7ª Menor)

Lá Menor

Si Meio-Diminuto

3ª: Não estás a ser coerente e estás a confundir funções com morfologias de acordes. Repara, se o Sol tem 7ª e o Si também (caso contrário seria apenas diminuto), todos os restantes acordes deveriam ter 7ª. Em jazz, geralmente usam-se quatríades; neste caso seria CM7, Dm7, Em7, FM7, G7, Am7, Bm7(b5). Para um acorde ser dominante, não basta ter sétima, é preciso que tenha a função dominante. O G7 tem geralmente função dominante quando estamos em C maior, mas não é coerente escrever-se dominante aí. Por essa ordem de ideias, terias classificado o Dó Maior como tónico, por exemplo.

Esta questão está melhor explicada, e por alguém que percebe bem mais disto do que eu, neste tópico. :facepalm:

Extra: PCanas, percebo a tua dúvida e concordo contigo, também eu já tinha pensado nessa confusão. A verdade é que, quando se diz "maior de sétima", associa-se (eu associo, pelo menos) a M7, embora não pareça o mais correcto.

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais

Pois, só que a minha associação da forma que disse já está tão enraizada que é praticamente por instinto, já nem penso nas notas... só depois quando alguém me diz "não, não é esse acrode, é Maj7" ou quando aquilo me soa mal é que me lembro que sou "do contra" :facepalm: a não ser que esteja a seguir cifra, isso aí é na boa; a confusão surge só quando se fala do nome do acorde

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais

pudim, acho que estás a interpretar mal o que eu disse...

O facto de ter 7 implica de facto um acorde dominante. Só o 7. Se tiver o 7 e mais qualquer coisa a história já é outra. Claro que estamos a falar de quatríades, senao nao existiria acordes dominantes per se, certo?

Em relação a eu ser coerente naquele bocado, mais uma vez, acho que interpretaste mal. Apenas pus ali 3ªMaior 7ª Menor, para que a pessoa a quem aquele post era destinado, que pelo que disse, nao manjava nada de teoria, ficasse a saber o que era um acorde dominante.

E estava a falar da tonalidade de Dó Maior. Aí sim, 5º Grau, é Sol e é dominante. Certo?

Acho que está a haver aqui confusoes desnecessárias. Isto nao tem nada que se lhe diga.

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais

O facto de ter 7 implica de facto um acorde dominante. Só o 7. Se tiver o 7 e mais qualquer coisa a história já é outra. Claro que estamos a falar de quatríades, senao nao existiria acordes dominantes per se, certo?

Em relação a eu ser coerente naquele bocado, mais uma vez, acho que interpretaste mal. Apenas pus ali 3ªMaior 7ª Menor, para que a pessoa a quem aquele post era destinado, que pelo que disse, nao manjava nada de teoria, ficasse a saber o que era um acorde dominante.

Não, pelo que li, não é assim. Um Dm7 em C maior não é um acorde dominante. Para ser, tem de estar a uma quinta da nota em relação à qual é dominante. Se resolver para G, acho que podes interpretar como dominante, mas posso estar a dizer um disparate. Agora, numa progressão tipo C F Dm7 G C, o Dm7 não é dominante.

Não, o acorde dominante é o V, não precisa da sétima. Depois tens é o dominant seventh chord. Um acorde pode ter 7ª menor e não ter função de dominante, acho eu.

Se dizes C maior, não estás a falar de quatríadas. Descreveste todos os acordes como simples maiores/menores/diminutos (ou seja, tríades, porque o VII é meio diminuto se for uma quatríade) e puseste a 7ª no G. Acho que não faz muito sentido.

E estava a falar da tonalidade de Dó Maior. Aí sim, 5º Grau, é Sol e é dominante. Certo?

Acho que está a haver aqui confusoes desnecessárias. Isto nao tem nada que se lhe diga.

Sim, é. Acho que não apresentaste as coisas de uma maneira muito coerente. Mais uma vez refiro que não percebo muito de teoria, estou a basear-me no que leio e o que estou a dizer pode não estar correcto.

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais

Man, eu resumi da maneira mais simples, apenas expliquei foi aquele acorde em específico. Nao estava a falar da morfologia dos acordes, mas da sua base, ou nome dos acordes se assim lhes quiseres chamar.

Dm7 nao é dominante, repara no que eu disse. Se tiveres D7 é Ré Dominante. Se tiveres Dm7 é Ré menor de sétima.

Se pode ter função dominante sem a sétima? Pode, mas nao pode ser um acorde dominante, que por definição é um acorde de sétima.

Se tu me disseres para tocar Ré dominante, eu simplesmente vou-te tocar um acorde qualquer com a terceira maior e a sétima menor. Nao vou tar a pensar que resolve para Sol maior ou o diabo que o valha.

Acho que estás a entrar pela teoria da teoria, que acaba por ser redundante... Eu nunca disse que Dm7 em C Maior é dominante... Apenas disse que um acorde só com o 7 é interpretado como dominante.

Irra, que confusão!

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais

Regista-te ou entra para comentar!

Para deixar um comentário é necessário estar registado. É muito fácil!

Criar uma conta

Regista-te e vem fazer parte desta comunidade! É fácil!


Registar-me

Entrar

Já estás registado? Entra aqui!


Entrar agora