Tópicos

  1. Ajuda

  2. Procuro

  3. Teste

  4. Nova tecnica :D

  5. O Poder Da Resonância

  6. O Poder Da Resonância

  7. lojas mais baratas?

  8. Korg N264


  • Posts

    • ... e para acrescentar / esclarecer mais um pouco, o BUZZ acontece mais com som distorcido, ou também em som limpo? Os drives (distorções e afins) são muito fixes para camuflar a execução técnica, pode ser-se um pouco mais desleixado que sai som (geralmente agradável). No entanto são altamente sensíveis à qualidade do material. Se a guitarra estiver com a electrónica em más condições, vão aparecer ruídos por todo o lado, mesmo quando se abafam as cordas com as mãos.  
    • E depois há a Telecaster, que funciona como uma antena e em que o "buzz" varia com o lado para onde se aponta o braço.   É preciso lembrar que qualquer fio metálico esticado (cordas de guitarra são fios metálicos esticados) funciona como antena e como tal, capta tudo o que seja rádiofrequência.
      Mais precisamente: interferência de rádiofrequência (só não é "interferência" quando a queremos usar). Isolar o interior da guitarra, nas cavidades dos pickups, potenciómetros, comutadores e jack é um passo aconselhável em grande número de guitarras ruidosas.
      Aquela folha de alumínio autocolante, que se vende nas drogarias e que costuma ser usada para isolar uniões de tubos em exaustores, é perfeita para isso. Em algumas guitarras a diferença é de "8 para 80".   Outra das origens frequentes para o problema dos "buzzs" é o uso de alimentadores de pedais que funcionam como Fontes de Alimentação Comutadas (Switching Power Spplies). O uso de alimentadores com transformador, devidamente rectificado e estabilizado, é altamente recomendável para evitar a indução de interferência pelos cabos/cordas.
    • Então novidades? Olha, quanto ao buzz é algo com que os guitarristas se deparam até com as guitarras mais caríssimas. Com a prática, existe um desgaste natural dos trastes. Quanto existe uma tendência para tocar mais numa escala existem trastes que são mais sacrificados e sujeitos a maior desgaste e lá aparece o buzz, ao fim de longas práticas (que exigirá um nivelamento ou substituição de trastes/nivelamento). Portanto, quanto ao buzz é algo que não conta, para já, para a discussão (uma forma de se "ignorar" o buzz é levantar mais as cordas em relação à escala, mas isso por vezes torna a acção demasiado alta e difícil de se tocar). Colocaste uma questão e tenho pensado se recebeste a ajuda suficiente para a esclarecer ou se terás ficado mais confuso. Deixo-te outra dica. Conhecer a guitarra eléctrica envolve estudo (ler umas coisa, ver uns vídeos no YT, falar com luthier, ...) e também se se souber um pouco de Física e Matemática também ajuda. E fundamentalmente é ter um gostinho pela coisa. Se não tens tempo nem gosto por tal, o que te aconselho, como aquilo que te poderá trazer benefício, pois o que interessa é tocar e estarmos felizes e que vai na linha do pensamento do post do @pgranadas é ires a uma loja, experimentas várias guitarras, dentro do teu orçamento, e decide por aquela que mais te agradar. Podes até falar como o vendedor no sentido de te possibilitar uma experiência na aparelhagem que tens. Resolvido este problema, com os anos irás entender mais de setups e afins e nessa altura poderás olhar para a guitarra que agora tens e decidires o que deves fazer. Se realmente estás num impasse e estás a prejudicar a tua felicidade e se tens possibilidade, avança com a compra de uma nova guitarra.  

    • Malta, tenho este tema novo para mostrar e gostava de ter o vosso feedback honesto (songwriting / mistura / arranjo etc)! Obrigado desde já! 
    • Pelo próprio conceito da música, é normal que assim seja, ainda que eu não diria iguais, diria parecidos.
  • Próximos Eventos

    Sem eventos