Entra para seguir isto  

FRFR

1.125 Visualizações     0 comentários    

  Denunciar Entrada

Full Range Flat Response - Gama Completa e Resposta Plana

Um sistema FRFR apresenta uma resposta em frequência plana (ou quase) em todo o especto de frequências (audível), dos 20Hz aos 20kHz.

A utilização de altifalantes FRFR é muito importante em aplicações musicais, principalmente nos monitores de estúdio, uma vez que permitem analisar com maior fidelidade o conteúdo da mistura. Outra aplicação no domínio musical é como "coluna de PA" ou mesmo coluna de guitarra para ser usada com simuladores de amplificadores digitais.

Partilha o conhecimento!

  • Gosto 1


  Denunciar Entrada
Entra para seguir isto  

O que diz a comunidade sobre isto?


Não há comentários para mostrar



Regista-te ou entra para comentar!

Para deixar um comentário é necessário estar registado. É muito fácil!

Criar uma conta

Regista-te e vem fazer parte desta comunidade! É fácil!

Registar-me

Entrar

Já estás registado? Entra aqui!

Entrar agora


  • Conteúdo Recomendado:

    • François Ferreira
      iniciar a minha mixagem!
    • Danicafd
      Boas, tenho uma banda e andamos à procura de um P.A. para a nossa sala de ensaios.
      O que temos, para já é:
      Uma mesa de mistura Behringer Xenyx 502, a pequenina que só tem uma entrada XLR.
      Duas colunas já para aí com 20 anos com por volta de 100 Watts.
      Estava a pensar em comprar um amplificador para fazer um sistema Mesa->Amplificador->Colunas.
      Estamos a pensar usar isto para amplificar voz e teclado.
      As minhas questões são as seguintes:
      O amplificador que comprar tem de ter mais de 200 Watts, certo?
      Para que parâmetros devo olhar quando estiver a escolher o amplificador?
      A impedância que aparece mencionada nas colunas serve para alguma coisa que me interesse?
      Obrigado e cumprimentos!
    • Iuri Sanson
      Alo a todos!
      Meu nome é Iuri Sanson e estou me mudando para Portugal, Lisboa no final do ano junto com minha esposa.
      Gostaria da ajuda dos amigos para indicações de escolas de música para dar aulas. Também me coloco a disposição para trabalhar com bandas que tenham um objetivo sério. Segue minha Biografia abaixo. No meu perfil aqui do fórum, vou carregar alguns MP3 gravados por mim com músicas que são minhas influências. Fiquem a vontade para escutar.
      Obrigado.
      ----------------------------
      Iuri Sanson: Técnica Vocal & Vocal Coaching
       
      Iuri Sanson foi vocalista da banda de Heavy Metal HIBRIA de 1997 até 2017. Nascido em Porto Alegre, professor de Técnica Vocal e Produtor, iniciou no canto em 1989.
      Estudou técnica vocal por 3 anos e hoje é um dos vocalistas brasileiros em destaque no cenário Rock, Heavy/Power Metal do Brasil e do mundo, especialmente por suas performances ao vivo.
      Professor de técnica vocal(canto popular), desde 2007 com aulas particulares, e na escola Toque Musical – Ensinando música para crianças, jovens e adultos.
      Os principais pontos da carreira do Iuri Sanson são:
      ·         Gravação dos álbuns Defying the Rules, The Skull Collectors, Blind Ride, DVD Blinded By Tokyo, Silent Revenge, HIBRIA, XX e moving Ground do HIBRIA.
      ·         Participação no Projeto Soulspell Metal Opera Act I – A Legacy of Honor e Act III – Hollow’s Gathering,
      ·         Participação no album “Resilience”, banda Tchandala.
      ·         Participou de seis turnês internacionais com o HIBRIA se apresentando no Japão(seis vezes), Coréia do Sul(duas vezes), Taiwan, Hong Kong, Canadá e China(duas vezes).
      ·         Com o HIBRIA participou duas vezes do festival Loud Park no Japão em 2009 e 2012
      ·         Com o HIBRIA participou dos shows de abertura de bandas como Metallica, Megadeth, Ozzy Osbourne, Black Sabbath
      ·         Foi o Vocalista da banda japonesa LOUDNESS no festival Live’n’Louder em São Paulo, SP.
      ·         Com o HIBRIA participou do ROCK IN RIO 2013, no mesmo dia de bandas como Metallica, Alice in Chains, Ghost, Sepultura, Rob Zombie e Sebastian Bach
      ·         Com o HIBRIA já se presentou em todas as regiões do Brasil.
      Como produtor, fez o trabalho de “Vocal Coaching” e Produção nos seguintes álbuns:
      ·         Banda Lítera – Álbum “Um Pouco de Cada Dia”
      ·         Banda It´s All Red – Álbum “Lead By The Blind”
      ·         Banda Cerberus(RS) – Single “Legacy”
      ·         Banda Sastras – EP “Chacal, Em Busca do Destino”
      ·         Banda Dóris Encrenqueira – CD “Banda Dóris Encrenqueira”
      ·         Banda Save Our Souls – Single “The Dark Passanger”
       
      ------------------------------------
       
       

    • Miguel Trillo
      Boas,
      Ultimamente tenho feito algumas gravações neste meu anexo (6m x 3m x 3m), e tenho reparado que os baixos estão descontrolados. Principalmente ao tocar baixo, as notas mais graves soam muito "muddy", sem definição. Se bem que quando trago o equipamento para o exterior soa tudo impecável. Sendo então que tenho que tratar a tal sala. 
      Antes de mais nada, umas fotos para saberem do que falo:

      Estou a pensar em comprar espuma da marca t.akustic (thomann), mais especificamente 2 bass traps (https://www.thomann.de/pt/the_takustik_cbt_37.htm) e 2 painéis (https://www.thomann.de/pt/the_takustik_pyramidenschaum_5020_2er_set.htm), (seriam 4 de cada no total pois veem em packs de 2). Os painéis visíveis nas fotos utilizava em zonas mais especificas pois só têm 3cm de espessura. 
      O meu objetivo não é montar a melhor sala de gravação do mundo, mas sim ter um controlo razoável sobre as frequências baixas.
      Estou aberto a ideais, dicas, sugestões o que quiserem .
       
      Um abraço,
      Miguel Roldão.
       
       
    • xtech
      Tutorial - Como diminuir a latência na gravação?
      Resumo:
      Desde o advento da gravação no computador, os músicos podem gravar com pouco dinheiro. Mas há sempre um senão, e esse senão é a latência. É necessário compreendê-la para melhor a podermos combater.
      ...

      Ver tutorial completo
    • xtech

      A latência é um dos adversários que mais frustração podem causar no nosso homestudio. No limite, pode fazer com que não consigamos gravar e tenhamos dificuldades em colocar as pistas no lugar certo por falta de sincronismo. Antes de iniciarmos este pequeno tutorial, para que seja mais fácil seguí-lo, podes ler o que é a latência na nossa Wiki, aqui: 
       
       
       

      Nos drivers das placas (seja o Asio4All ou outros drivers proprietários) há sempre a opção para definir os buffers, e aqui podemos jogar com eles para obter o melhor compromisso possível entre a latência e a fluidez da gravação, tendo em conta a qualidade do nosso hardware. E isto é válido também para os VSTs e programas como o Guitar Rig, Revalver, etc.
       
       
       

      Configuração dos drivers da interface audio, de http://reaper.fm/
       
      Como regras básicas:
      Se temos demasiada latência, devemos diminuir o buffer Se temos "clicks e pops" devemos aumentar o buffer ou diminuir a carga da CPU (usar menos VST's, menor processamento digital, menos pistas em simultâneo, etc). (ou usar um computador mais rápido ou uma interface audio melhor, ou drivers melhores.. ou tudo junto )  

      Se bem que cada um de nós pode reagir de forma diferente à latência, a seguinte lista pode ajudar:
      0 a 5 ms: Desejável! O nosso cérebro não interpreta este tempo como atraso, e portanto está tudo ok! 5 a 10 ms: A maior parte das pessoas não tem problemas, mas algumas começam a notar alguma diferença 10 a 15 ms: Aqui é quando se começa a sentir a diferença +15 ms: É melhor esquecer e tomar medidas!  
      Normalmente podemos consultar que valores de latência estamos a obter através dos drivers ou do nosso daw:
       

      Latência no Reaper, de http://reaper.fm/
       
      Por exemplo, na imagem acima podemos ver num DAW que a latência de entrada é de 3.7 ms (ok) e a de saída é de 7.5 ms (não muito ok), o que dá um roundtrip (desde que se toca até que o som sai pelos monitores) de 11.2 ms, o que é algo elevado. No exemplo acima seria desejável redefinir o tamanho dos buffers, tentando baixar em primeiro lugar o buffer de saída e depois o de entrada. Se por exemplo, estivéssemos a usar o driver ASIO4All, poderíamos trabalhar nas seguintes opções:
       

      Imagem de http://reaper.fm/
       
      Baixar os número de samples do buffer de saída (em primeiro lugar) e o número de samples do buffer de entrada (em segundo lugar) até um nível mínimo antes de começar a haver "clicks" e "pops".
      Dúvidas e sugestões, aproveitem para postar nos comentários!