Entra para seguir isto  

Pedaleira

967 Visualizações     0 comentários    

  Denunciar Entrada

Uma pedaleira é, normalmente um suporte para os vários pedais. Pode, noutro contexto, designar um conjunto de pedais ou um sistema multi-efeitos com vários pedais.

A maioria das pedaleiras permite fixar os pedais através de uma base para fita de velcro, e podem vir em múltiplos feitios (vê aqui os modelos mais conhecidos)

PBP-CLASSIC-PRO.png

Exemplo de pedaleira (http://www.pedaltrain.com)

 

As pedaleiras podem ser feitas em metal (alumínio é uma boa opção devido ao menor peso), madeira etc.

Podes ver aqui um tutorial de construção de uma pedaleira em madeira:

 

Partilha o conhecimento!



  Denunciar Entrada
Entra para seguir isto  

O que diz a comunidade sobre isto?


Não há comentários para mostrar



Regista-te ou entra para comentar!

Para deixar um comentário é necessário estar registado. É muito fácil!

Criar uma conta

Regista-te e vem fazer parte desta comunidade! É fácil!

Registar-me

Entrar

Já estás registado? Entra aqui!

Entrar agora


  • Conteúdo Recomendado:

    • A.G.E.N.T.E.
      Rapaziada, adquiri há algum tempo uma Pedaltrain Novo32 que é um "pequeno" trambolho. Acontece que o saco de origem é uma treta e está longe de oferecer uma proteção  decente aos pedais. 
      Visto que carrego muitas vezes o material em transportes públicos, tenho andado à procura de sacos alternativos já que as malas rígidas são mais pesadas e incómodas de alombar.
      - O saco da Mono tem muito boa pinta, toda a malta que usa tem bons comentários sobre a qualidade mas 199€ parece-me uma bocadinho excessivo.
      https://www.thomann.de/pt/mono_cases_pedalboard_tour_2.0.htm
      - O saco premium da pedaltrain,  ronda os 139€, e apesar de mais barato li uma review (na thomann) bastante má no que toca à qualidade dos materiais e construção.
      https://www.thomann.de/pt/pedaltrain_soft_case_classic_pro_novo_32.htm
      -Há algumas malas de teclados onde se calhar conseguia fazer a festa por menos dinheiro, não sei se será o mais adequado.
      Alguém tem outras sugestões ou opinião sobre o material referido.
      muchas gracias
       
    • LuisEmanuel
      Olá! 
      Antigamente não usava muitos delay. Era só para dar um cheirinho no solo ou assim... 
      Até começar a experimentar delays e a brincar com os ritmos das repetições etc.
      Comecei com um Flashback Delay, mais tarde juntei outro (mas pareceu redundante) e fui experimentando já vários delays. Cheguei à conclusão de que gosto mesmo do som do Flashback mas não é prático andar a mudar as configuração do pedal 3 ou 4 vezes por concerto porque preciso de um delay específico aqui ou ali.
      Então tenho andado a pensar resolver o problema comprando um delay que permita fazer registos e assim na música A ou B uso aquele patch específico. Mas gostava que esse pedal me permitisse também ter um shimmer. De momento não tenho nenhum mas acho sempre que me dava jeito uma vez ou outra.
      Tenho andado a correr o OLX à procura de um Zoom Ms 70 CDR. Mas não me tem aparecido nada. Essa parece-me uma opção suficientemente boa porque não tenho um orçamento assim muito alto. Será que a Line 6 M5 daria? (ainda teria espaço para ela arrumando bem os outros pedais). Que mais me sugerem?
      - além então do shimmer, preciso de um delay cristalino (com colcheia pontuada e semicolcheia, pelo menos). Acima disso, o que vier é "lucro".
      Obrigado! 
    • spiegelman
      Bora lá dinamizar o fórum dos baixistas.
      São fãs de efeitos? o que usam? Multi-efeitos ou pedais individuais.
      Usam um só pedal ou uma tábua de passar a ferro cheia de caixas com interruptores de pés?

      Para dar início ao tópico, aqui vai a minha pedalboard actual:

      Powerplant da Harley Benton para dar sumo
      Input>
      >Rocktuner da Warwick>
      >ZOOM MS60-B Multi Stomp (Tinha um Digitech Multichorus, um DOD 440 Envelope Filter e um EHX Bass Big Muff Pi. Substitui os três por este ZOOM que faz o mesmo trabalho (melhor até que o Digitech e o DOD) e poupa-me espaço na pedalboard)>
      >CMOS Bass Drive, feito à mão em Portugal (Clone do B3K) para dar aquela corzinha de overdrive>
      >MXR M80 Bass d.I, + como preamp sempre ON. Uso o canal de distorção para fazer as vezes do Muff que vendi

      E não preciso de mais. por enquanto
       

    • John10
      Decidi fazer uma nova tábua para os meus pedais.
      Comprei umas tábuas de pinho e pus mãos à obra.
       






      Ainda dá para meter mais um pedal bem apertadinho no degrau  que fiz. Ainda há possibilidade de expandir a pedaleira.
    • grsousa
      bom dia amigos,
       
      venho colocar aqui uma dúvida, que poderá ser mesmo de principiante mas.....
      É o seguinte, fui comprando desde à uns meses para cá vários pedais, até completar os 10 espaços disponíveis na pedalboard da Behringer. 9 são da boss, e o afinador é o polytune. coloquei 2 MOOER Micro Power para alimentar os pedais. a questão que me intriga é a seguinte, quando ligo a alimentação, há 4 pedais que se ligam logo (Boss Accoustic Simulator, Distortion, Flanger e Reverb) , os outros 6 ficam desligados até serem ligados com o pé.
      Desligo os 4, e uso a pedalboard sem problema algum, todos funcionam bem,.....  questão mesmo.... é se é normal ligarem-se sozinhos mal os alimente....e porquê só estes 4???
       
      Abraço
      Gilberto
       
       
       
    • tmo

      1º, um potenciómetro não é mais nem menos do que uma resistência de valor variável. Existem em formatos rotativos e tipo "fader". Há ainda muitas variantes formais e combinações possíveis, mas a base é esta.
      A questão dos potenciómetros é a seguinte, por serem elementos mecânicos de contacto por fricção estão sujeitos a desgaste, digamos 2 a 5 anos, dependendo do uso, poderão render mais tempo. Por esta razão, convém volta e meia, tipo de 5 em 5 anos para uma guitarra com uso regular do potenciómetro, trocá-los.
      A questão das marcas e modelos, não tem tanto a ver com qualidade do som, mas antes com qualidade de construção (durabilidade) e margens de erro relativamente aos valores apresentados. Uma marca branca pode ter oscilações até cerca de +-20% do valor marcado enquanto uma marca já firmada no mercado terá oscila até +-10%, algumas garantem até +-5%.
      Em caso de dúvidas, ter um multímetro por perto e investir algum tempo a medir potenciómetros para encontrar uns com valores próximos do desejado. Portanto, duvido que um ouvido educado consiga distinguir um potenciómetro de marca branca de outro com mais "qualidade", caso tenham o mesmo valor e sejam da mesma tipologia.

      O que é isto da tipologia do potenciómetro (em Ingrês, entende-se como Taper)? Trata-se da relação entre o valor da resistência que o potenciómetro faz e seu do avanço (ou volta). Há de 3 tipos: linear, logarítmico e logarítmico invertido.
      Linear - faz o que diz, a cerca de metade do avanço, tem-se metade do valor da resistência total do potenciómetro. Logarítmico - tem uma relação logarítmica entre o avanço e o valor da resistência. Logarítmico invertido - ... não tira cafés, n'é? E para que é que servem tantas variedades? Bem, é difícil agradar a Gregos e Troianos, certo?