admin

Administrador
  • #Conteúdo

    442
  • Registado Em

  • Última Visita

  • Feedback

    0%
  • Reacções ao conteúdo

    2

Reputação

116 Reputação Excelente

Sobre admin

Informação de Perfil

  • Género
    Masculino
  • Instrumento
    Baixo

Quem visitou o meu perfil

2799 visitas ao perfil
  1. test
  2. A Positive Grid lançou o seu BIAS FX, um software de modelação de amps e efeitos de guitarra que a marca diz que é o primeiro software do género "trans-platform".Neste caso, o Bias FX funciona em iPad, Mac e PC (ndr: e porque não para android?). O programa foi desenvolvido de base para permitir ter sempre o som ao alcance dos dedos, seja onde for. Diz PositiveGrid que o Bias FX tem o mais avançado processamento digital e uma interface ainda melhor. A cadeia de sinal é dupla, podendo usar-se dois amplificadores em paralelo, e a modelação é muito detalhada. Quão melhor será este software relativamente ao Amplitube ou ao Revalver (por exemplo)? Estará sempre sujeito a subjetividade. Enquanto a versão Desktop apenas está disponível apenas por convite, o melhor é ouvir a que soa: Clica aqui para ver o artigo
  3. O Shapeshifter é uma besta de tremolo. Com mais funcionalidades que qualquer outro tremolo disponível, junta todos os sabores tradicionais de tremolo e mais outros que prometem fazer as delícias dos músicos.Combinar o tremolo com o controlo LFO com tap tempo, entradas e saídas stereo numa caixa compacta qb resultou num inspirador pedal de tremolo. Como tem vindo a ser habitual nos últimos lançamentos da Seymour Duncan, há quatro potenciómetros para "brincar", neste caso: Wave, Shape, Depth e Speed. No entanto neste pedal para a estética não destoar foi acrescentado um mini pot para controlo de fase, e um mini switch para controlo da velocidade (rato/rate). No modo Ratio o pedal reage multiplicando a velocidade do tap por um determinado rácio, podendo ir até 4x a velocidade do tap tempo. O pedal é true bypass e o preço deverá andar rondar os 200€ nas lojas. Clica aqui para ver o artigo
  4. A Ik Multimédia lançou a última versão de afinador eletrónico para Apple Watch. Os músicos também têm direito a wearables!"Wearable" é um termo que se tem difundido atualmente, um chavão que designa um conjunto de tecnologias ubíquas que se misturam na roupas ou acessórios de moda. O grito mais recente dos wearables são os designados "smartwatches", relógios que usam alta tecnologia para ajudar as nossas funções do dia. Ou apenas para show-off, como alguns dirão certamente. O UltraTuner A pensar nos músicos, a IK Multimedia lançou uma nova versão do Ultra Tuner, uma aplicação para iPhone e iPod que agora é a primeira app de afinação a ser compatível com o Apple Watch. Agora os músicos podem afinar os seus instrumentos com precisão diretamente do seu pulso – o extremamente visível "modo de palco" do UltraTuner pode ser visto no Apple Watch com 2 tipos de exibição. É agora mais fácil para os músicos manterem os seus instrumentos afinados, não importa se é no palco, no estúdio ou em qualquer lugar. UltraTuner é a app de afinação mais precisa disponível para o iPhone e iPod Touch. Tem um mecanismo de detecção de nota avançado e extremamente rápido, que oferece precisão de até +- 1/100 de um cent, tornando-o ideal para afinação de precisão e calibração de todos os instrumentos, de guitarras elétricas a sintetizadores analógicos. Além disso, o seu mecanismo é dos mais rápidos e mais responsivos já projetados. Oferece as suas leituras quase mais rápido do que o olho pode detectar e bem antes do ataque transitório da nota ter estabilizado. Simplesmente, é mais eficaz, portátil e conveniente do que um afinador de hardware jamais poderia possivelmente ser. Quando a versão compatível com o Apple Watch do UltraTuner for instalada no iPhone, ela pode ser sincronizada com o Apple Watch através do aplicativo de extensão Watchkit. Isso permite que os músicos visualizem as informações de afinação a serem processadas no seu iPhone pelo "modo de palco" do UltraTuner. Este modo fornece uma exibição brilhante e altamente visível, com duas grandes matrizes amarelas estilo LED em forma de asa que se acendem em quantidades progressivas de acordo com a nota tocada, para grave ou agudo. Quando a nota está em afinada, o ecrã fica com um tom verde néon brilhante. Além dessa exibição clássica, os utilizadores da Apple Watch também podem selecionar uma visualização alternativa que mostra simplesmente a nota musical tocada, com setas abaixo que indicam se a nota está grave ou aguda. Preço e disponibilidade A última versão do UltraTuner para iPhone já está disponível na App Store por apenas US$4,99. Clica aqui para ver o artigo
  5. Após 10 anos em desenvolvimento, as duas marcas oficializaram na Musikmesse o RNT, um microfone superlativo a todos os níveis.Mas o RNT não é apenas um microfone. É um pack, composto por um microfone a válvulas (não starved plate), combinado com uma caixa que contém um amplificador classe A que utiliza os mesmos opamps personalizados que a Neve Designs usa na consola de mistura 5088, dois transformadores personalizados também de Rupert e uma cápsula no microfone desenhada pela sE para um headroom extremo e uma frequência em resposta excepcional. Dado o enorme headroom (uns impressionantes 153 dB), não há necessidade de incorporar um switch de pad, no entanto na caixa do circuito amplificador há 3 settings de ganho (-12, 0 e +12 dB). A caixa tem também switch atenuação das baixas frequências, com dois níveis de corte: 40 ou 80 Hz, e um selector de 9 posições para variar o padrão de captação, desde Omni até cardióide (8), com vários passos intermédios. A frequência de resposta é impressionante: completamente plana desde 1Hz até aos 30 kHz. O preço também é: 3495 dólares americanos. Clica aqui para ver o artigo
  6. A Electro Harmonix revelou a versão mais pequena do POG, o Nano Pog. Conhece-o aqui em primeira mão!O Nano Pog é um octaver com tracking impecável de acordes, sweep arpeggios ou notas individuais, sem hesitações. Além disso, o pedal pode transformar a guitarra numa guitarra de 12 cordas ou num baixo, e gerar sons "tipo órgão". E melhor que tudo, cabe bem na pedalboard. Clica aqui para ver o artigo
  7. A Keeley Electronics lançou um novo pedal: um mix de fuzz e reverb.Keeley juntou o seu Psi Fuzz com reverb, incluindo shimmer e reverse reverb. O Sojourner é um pedal intenso, criador de ambiências cheias de reverb. O reverb é baseado na plataforma do Aurora. O pedal custa 349 dólares americanos (299 dólares enquanto dura a promoção de lançamento, disponível no seu site). Clica aqui para ver o artigo
  8. Se não fôr pelo nome, pelo menos a Orange espera surpreender os músicos com o facto de ter voltado aos pedais de guitarra desde os anos 70. E em grande!A Orange regressou ao mercado dos pedais de guitarra após um largo hiato de várias décadas. E desta feita regressou com um pedal feito à mão na Orange Custom Shop, na Inglaterra. Disponível em dois acabamentos (preto ou branco), funciona como um pedal tradicional, um preamp e uma DI. A gama dinâmica é bastante grande, desde o overdrive vintage até aos leads mais modernos, com uma quantidade abissal de distorção. Mesmo em settings extremas, o Bangeetar nunca perde definição (segundo diz a Orange...). O pedal tem também um clean Boost para dar mais 5 dB aos solos. A ideia do pedal é portar-se como um normal amp da Orange, inclusivamente no que toca ao breakup natural. O Bangeetar tem equalização paramétrica dos médios, podendo esculpir-se uma grande variedade de sons. O bypass está a cargo de uma versão de buffer melhorada sem perda de integridade do sinal. A contribuir para isso está também incluida uma charge pump, para duplicar a voltagem para obter maior headroom. O Bax Bangeetar também tem uma simulação de coluna da PPC412 do 40º Aniversário da Orange, o que o torna uma ferramenta útil para gravação direta. Clica aqui para ver o artigo
  9. A Digitech anunciou o novo pedal DOD Gunslinger MOSFET Distortion, um pedal pronto para grandes sons em qualquer das settings.O Gunslinger usa um circuito MOSFET para obter uma paleta alargada de distorções, desde um leve overdrive até distorção a todo o gás, e para obter uma maior dinâmica e resposta ao toque. O circuito MOSFET tenta emular a saturação encontrada nos amplificadores de válvulas, de acordo com o diretor de Marketing da Digitech, Tom Cram: "O pedal é ideal para adicionar um bocado de complexidade a um som já saturado, ou isoladamente para ritmos ou solos high gain". Uma particularidade do pedal é poder operar a 9 ou 18v, para maior headroom, menos compressão e um timbre mais aberto. Como é quase um padrão atual, o Gunslinger é true bypass e estará disponível em maio a um preço sugerido de 125 dólares americanos. Clica aqui para ver o artigo
  10. A Zoom anunciou na Musikmesse 2015 duas novas interfaces audio, a UAC-2 e a UAC-8.Ambas as placas têm como principal novidade a utilização do USB 3.0 como interface de comunicação com computadores e iPads (sendo retrocompatíveis com o padrão USB 2.0). Com suporte para audio até 24bits de resolução e taxas de amostragem até 192 kHZ, são capazes capaz de manter a integridade sonora aos melhores níveis da atualidade. As entradas são XLR / jack 1/4, aceitando microfones e sinais com nível de linha. As placas não esqueceram o MIDI, e ambas têm MIDI IN e OUT com os típicos sockets para conectores de 5 pinos. As placas são feitas totalmente em metal, o que assegura uma maior fiabilidade. Se UAC-2 tem uma configuração 2x2 e não necessita de alimentação externa (é alimentada via USB), a UAC-8 tem uma configuração 18x20, com entradas e saídas S/PDIF e ADAT, com world clock in/out. Ainda não foram revelados preços nem datas de chegada ao mercado. Clica aqui para ver o artigo
  11. A Nord renovou o Stage 2, que inclui agora 1 GB de memória para samples de piano e uma nova acção do teclado. Ouve-o e conhece-o!A nova biblioteca de pianos inclui agora 5 pianos de cauda, 7 pianos verticais, 11 pianos elétricos, clavinet, harspichords e uma biblioteca de sons melhora que inclui novos samples para cordas, coros e instrumentos folk. Além da nova biblioteca de 1GB de memória para Piano, juntamente com a avançada tecnologia de ressoância ativa, estão também incluídos 380MB para samples na parte de sintetização. Em bom plano continuam a estar as emulações hammond e rotary speaker. O Stage 2 EX vem em 3 novas derivações: Com 88 teclas, com acção pesadaCom 76 teclas, com um renovado mecanismo de acção pesada, que necessita agora menos peso, do mesmo tipo dos electro 3/4HP e Piano 2 HPCom 73 teclas, a versão compacta com teclado semipesado.Os sons são excelentes e apresentamos aqui dois exemplos: Pianos: Ouve no Soundcloud.com Cordas e afins: Ouve no Soundcloud.com Synth: Ouve no Soundcloud.com Clica aqui para ver o artigo
  12. A Orange anunciou o lançamento da terceira geração do Rockerverb, com algumas alterações. O melhor de tudo: continua a ser feito no Reino Unido!O layout de canal duplo foi remodelado, com um canal limpo com novo voicing (sem master), agora mais chimey. Combinado com um reverb de molas a válvulas, e com um EQ de duas bandas, os sons limpos soam agora melhor que nunca. E o canal de drive tem agora mais pujança, mantendo todo o caráter tradicional do rockerverb. Os novos modelos têm também mais headroom, mas agora têm também power scaling. Por exemplo, a cabeça de 100 watts pode ser amansada para 70, 50 ou 30 watts, enquanto que os modelos de 50 watts podem reduzir a potência a metade. Para maior flexibilidade, o MKIII permite ligar o atenuador através de footswitch. E a cereja no topo do bolo é um loop de efeitos a válvulas, que mantém toda a integridade do sinal. Clica aqui para ver o artigo
  13. A Thomann é a maior retalhista de instrumentos musicais da Europa. Que Segredos para o sucesso? Conhece-os aqui!É impressionante como numa aldeia surgiu aquela que é hoje a maior loja de instrumentos musicais na Europa, com crescimentos de 25% ao ano. Começou por vender instrumentos baratos feitos na china. Aproveitou melhor que as suas concorrentes o advento da internet, tornando-a numa verdadeira autoestrada de vendas. Hoje em dia emprega mais de 800 trabalhadores. Um requisito fundamental para os empregados: ser músico, de preferência com experiência para conseguir servir melhor os seus clientes. Para o CEO, os planos são sempre crescer reinvestindo os lucros, não utilizando alavancagens financeiras, sem entradas de sócios. Com uma logística de excelência e um apoio ao cliente extremamente capaz, a resposta às encomendas e apoio são extremamente rápidos, melhorando a satisfação do cliente. Fica aqui a reportagem: Clica aqui para ver o artigo
  14. A Tascam anunciou um estúdio digital de 24 pistas a 24bits com um preço de cerca de 400€. Conhece-o aqui!O DP-24SD permite gravação de oito pistas em simultâneo. A mesa de mistura inclui tudo o que é necessário para gravações em estúdio, incluindo compressão, modelação de amplificação de guitarra, delay e reverb, com 10 processadores de efeitos disponíveis. Existem 8 entradas XLR com phantom power para microfones de condensador, ligável em grupos de 4. Um dos inputs inclui um switch para gravação direta de guitarra ou baixo (Hi-Z). Na traseira encontram-se também saídas balanceadas para monitorização da mistura e conexões para processamento de efeitos. Uma conexão USB permite que as pistas sejam transferidas para um computador ou partilhar online. A gravação pode também ser feita num cartão SD. Clica aqui para ver o artigo
  15. Um projeto de aquisição da Gibson por parte de um "visionário" terminou abruptamente. Pelo caminho fica este curioso sonho que foi grande demais para ser verdade.John LaBallister é o criador de um ambicioso projeto de aquisição da Gibson. A ideia, nascida na plataforma de crowdfunding IndieGogo, terminou tão depressa como começou. A ideia era recolher 22 milhões de dólares para comprar a Gibson. Espalhou-se rapidamente a ideia pelas redes sociais, e choveram as críticas, classificando a ideia de louca e de ser um embuste de todo o tamanho. Em meados do mês passado, a campanha terminou abruptamente, com apenas 200 dólares angariados. LaBallister criticou a Gibson por ter tido décadas de má gestão e queria trazer de volta a empresa de Nashville para o seu sítio original: Kalamazoo. Além disso, LaBallister diz que a Gibson passou a preocupar-se com questões de grandes empresas e interesses corporativos que desvirtuaram toda a herança e legado da marca. E chegou mesmo a prometer: "Não haverá mais guitarras robot ou modelos "inovadores" com engenhocas modernas". Uma vez adquirida a marca Gibson, a ideia seria ir ter com a Heritage Guitar Company de Kalamazoo, e passar a ser a empresa que deteria a marca Gibson, tal como ela era: Gibson Stringed Instrument Company. A ideia, pelos vistos não teve o apoio desejado, e face às críticas, o projeto de angariação de fundos foi terminado devido à falta de credibilidade do projeto. Clica aqui para ver o artigo