|phodace|

Membro
  • #Conteúdo

    1453
  • Registado Em

  • Última Visita

  • Feedback

    0%
As minhas Músicas Preferidas

Reputação

2 Reputação Neutra

Sobre |phodace|

  • Aniversário 19-07-1982

Informação de Perfil

  • Cidade
    Corroios
  • Instrumento
    Nenhum
  1. In ears dos Pobres

    O mais próximo do profissional que conheço são as séries mais baixas de uma via, da Shure. Falamos dos 215 e dos 315. Já testei ambos e os 315 ainda os uso para situações menos exigentes. Como técnico de monitores, a minha opinião é baseada na experiência, e vou excluir a teoria. Testem antes de comprar e façam comparações. Nunca se esqueçam que os modelos amadores são de menor exigência o que pode potenciar a curto e longo prazo danos auditivos e, claro, danos aos técnicos que tem de operar uma coisa que "nunca soa bem".
  2. Possivel compra Allen&Heat GL2400

    Antes de tudo, aconselho outra aquisição: Um técnico de som. Depois dessa aquisição, utilizam o knowhow dele para fazer oooutras aquisições. Sem dúvida que apostava numa digital compacta. Há muitas escolhas no mercado que poderão ser úteis.
  3. Talento Procura-se

    Não sei se será o sitio certo para postar isto mas.... Venho por este meio informar que...... Procura-se Talentos em música!!!! A Frequência Exacta procura projetos musicais, talentosos e promissores. Este é o contacto para onde tem de enviar Apresentação do Projeto, musicas (EP, Album...), videos (ao vivo de preferencia, videoclips) e EPK (presskit) se tiverem. Qualquer estilo ou tipo de projeto será ouvido com toda a atenção. frequenciaexacta@iol.pt Depois de ouvidos, terão algum tipo de resposta por parte da equipa. Obrigado e bom trabalho a todos!!
  4. Gear Acquisition Syndrom @ Secção de Som!

    ihihi agora VENHAM pianos e guitarras acústicas!! :D
  5. Gear Acquisition Syndrom @ Secção de Som!

    Eu só queria uma Madiface.... (suspiro)
  6. CURSO TECNICAS DE SOM ETIC

    Eu fui um dos operadores da familia superstar e não havia perchistas. Só se foi no casting. Desculpa mas vamos lá ver. A recibos verdes ganhas o ordenado mínimo em 4 ou 5 dias de trabalho, logo ganhas vantagem a metade da população portuguesa. Depois, a contrato, podes ganhar esses valores pois. É uma questão de te mexeres, não ficares encostado a mandar curriculos por mail. Na televisão ganhas isso e podes vir a ganhar mais em dois, três anos de contrato. Acho que quem quer ser profissional na àrea do som, sabe minimamente no que se mete, os compromissos que vai ter de se submeter. É uma vida estragada etc.. Agora vamos lá ver, não a querem ou não gostam, usem esses anos para estudar outra coisa. E não há mais trabalho cá porque somos um país do tamanho do nosso mercado, PEQUENO. Desculpem mas a visão fatalista do mundo e o sentimentalismo é coisa que não me cabe, principalmente à escolha profissional e modo de vida. Não vos agrada, o melhor é mesmo dedicarem-se a outra coisa.
  7. Wireless In Ear Monitor e frequencias

    Vai uma apostinha? :psycho2: Também tenho feito muito audio em televisão.
  8. Wireless In Ear Monitor e frequencias

    2 exemplos: Coliseu há umas semanas: Tudo perfeito num ensaio de 3horas. Na primeira música do espetáculo, um instrumento aparece com lixo e totalmente intragável, aparecendo inclusive informação que não fazia parte do mesmo. Tudo causado por um ENG que se esqueceu de desligar um receptor pequeno, numa frequência ao lado. Num estádio, há dias: Uma monição que simplesmente, na hora, decidiu não funcionar como deve de ser. Ruído e sinal, supostamente, fraco. Uma emissão de rádio, numa frequência muito próxima. Estas situações não são assim tão dificeis de aparecer. E tou a falar de profissionais que trabalham com RF TODOS os dias.
  9. Wireless In Ear Monitor e frequencias

    Não me parece que seja uma questão de más experiências, mas sim experiência na àrea. Mesmo nos melhores, podes ter um batimento de frequências que te possam estragar um espetáculo. E acredita, quando tens problemas de RF, não é coisa que se resolva em curtos segundos. Posso-te dizer que ainda ontem tive uma bela interferência, e tava a trabalhar com equipamentos com 1 watt. Não tens muitos no mercado com 1watt. Acho que estás a forçar um bocadinho o uso de equipamento wireless, se tu próprio dizes que é uma bandeca. Acredita, nada melhor que um cabo mesmo para quem quer ouvir o dó, ré e o mi. Esse dificilmente falha. O bom RF é outra história.
  10. Wireless In Ear Monitor e frequencias

    Basicamente, usas as frequências que usas não são um problemão para a Anacom. Não vais fazer nada de grandioso e, além disso, não vais usar nenhum sistema de 1watt de potência. Isso os Wavenet's já são problemas! O maior problema que podes ter é mesmo teres ou modulações ou batimentos de outros transmissores na mesma frequência que a tua, o que não é muito bonito de acontecer num espetáculo. :psycho2:
  11. Wireless In Ear Monitor e frequencias

    Primeiro, se a Anacom te dá um espaço entre os 790 e os 890, a banda de frequências dada pela dB serve-te na perfeição. Basta escolheres a frequência que queres usar entre as 801 à 819. A questão da Unband, é uma nomenclatura que só tenho visto, realmente, na dB. Suponho que seja tudo fora do Reino Unido. Mas pronto, basicamente o que me parece acontecer é o seguinte: Muitos dos receptores/emissores low e medium cost não te deixam fazeres uma busca ou ajustamento de frequências manual. Dão-te "canais" pré-definidos de frequências e tu não podes saír deles. Ora esses canais tem de estar dentro de parâmetros do país onde são vendidos. E esse UN deve ser a pré-definição para o nosso ou um grupo de países com as mesmas regras de RF. Não sei se te respondi à dúvida, mas também fiquei um bocadinho aos papeis com essa questão. :facepalm:
  12. Wireless In Ear Monitor e frequencias

    As frequências RF de transmissão contínua (como é o caso da monição in-ear) tem uma gama de frequências atribuída. Varia de país para país. Posso-te dizer que a Sennheiser deu à pouco tempo uma bela barraca ao vender produtos wireless para os States, cuja frequência batia na frequência de algumas estações de radio e televisão nos States, mas que na Europa não. O melhor que fazes é mesmo conferir com o representante cá, as gamas de frequências permitidas, até para que não tenhas problemas de modulações ou batimentos de Frequências RF durante um trabalho.
  13. Engenharia De Som

    Ok, saí do tema.
  14. Engenharia De Som

    Oh rapaz, pensa um bocadinho. Se não exitem engenheiros de som, como é que podes fazer um espetáculo ou uma transmissão, ou o que seja? O ser reconhecido pelo estado é outra historia, mas isso é um problema profissional tão velho como a profissão em si. E garanto-te que não precisas de um reconhecimento para executar um trabalho. Falo como profissional com uns anos disto. A questão de andarem ou não em bailes ou com bandas de covers é outro engano. Tens bandas de covers e/ou baile com um optimo trabalho de Audio. Se é feito por um ENGENHEIRO ou TÉCNiCO não sei. A questão tambem parte das próprias bandas que contratam o "primo eletrecista que até sabe fazer um cabo" a um profissional. Acreditem que até num pequeno trabalho faz toda a diferença. Por isso, como podes ver, a questão passa sim pelo sistema e pessoas/clientes, não pelo "ser ou não ser" engenheiro de som. Aliás, acho um bocado desnecessário até o estatudo de ENGENHEIRO. Não passa dum estatuto. Tamos a falar duma profissão que se sobe com experiência, não com estatutos antes do nome, num cheque. Tds tem de saber primeiro enrrolar um cabo e a melhor forma de carregar equipamento e arrumar, antes de o usar. Por isso acho esta discussão totalmente ambigua, subjectiva e, a meu ver, desnecessária.
  15. Engenharia De Som

    Em portugal não existe o CURSO de engenharia de som, mas tens Engenheiros de som. Senão a indústria estava parada. E sim, os engenheiros andam em festas, claro que andam! Ou um operador de frente ou palco é diferente dum operador de estúdio? Essa diferença é imposta pela empresa contratante. Um engenheiro de som não passa dum técnico de som fino. Normalmente tens o engenheiro (operador, stagemanager, produtor) e o técnico (montagem, manutenção, assistencia/babysitting). Basicamente sabem os dois o mesmo, são exactamente da mesma importancia, mas um transpira menos que o outro.