rc_joaopedro

Membro
  • #Conteúdo

    103
  • Registado Em

  • Última Visita

  • Feedback

    0%
As minhas Músicas Preferidas

Reputação

8 Reputação Neutra

Sobre rc_joaopedro

Informação de Perfil

  • Sexo
    Masculino
  • País
    Portugal
  • Cidade
    Aveiro
  • Instrumento
    Guitarra

Quem visitou o meu perfil

1350 visitas ao perfil
  1. Já alguém tinha ouvido falar d'Os Prana?

    Prana e dos Prana um projecto em formato trio - 'os Ursos' com muito power. Vi ao vivo e são top.
  2. Normalmente aparece um som na minha tola quando estou em dia sim, pego na guitarra e vou à procura do que estou a ouvir. Primeiro de uma forma rudimentar depois vou modificando até se aproximar do que ouvi na cabeça, enquanto isto acontece descobrem-se umas passagens cromáticas ou uns aumentados... para tornar a cena mais musical possível. Outras vezes estou só a ver Tv com a guitarra ao colo e sai qq coisa que me agrada sem pensar muito no que estou a tocar. Normalmente escrevia n letras e ia rodando as letras até acertar na que melhor se enquadrava na tonalidade da musica, modificando se necessário. Em ambiente de banda levava algo que tinha e eles metiam a cena deles por cima ajustando a gosto. Por vezes tinha de levar mais sal...
  3. Conselhos até 1100€

    às tantas queres é afinar em C# ou qualquer coisa assim...
  4. Laney lionheart l5t-112 vs vox ac15 c1x

    A Laney é muito coerente no som. O som agrada à primeira (pelo menos ao meu ouvido). Já tive vários, um acustico e um outro LA qualquer coisa, ambos solidstate. Na banda também toco num. A comparação que estás a fazer é estranha podias procurar um VC30-112 Combo que é um Classe A/B, 30 Watts c/ speaker de 12''. Dá para tudo o que dizes que queres fazer. Tive um comprado no ebay por 435€ e acabei por anular para ir buscar um bjr III por 350 paus... não sei se fiz bem
  5. Review do Fender Blues Junior III

    Querias pagar sardinha e comer marisco? - mas rebatendo todas os opiniões sobre mods... se o amp tem essas características é por isso que se chama Blues Jr. - Se o transformador é fraco e lhe puseres um melhor vais ter outras características e deixa de ser um blues junior - Quanto a pegar fogo... é possível em qualquer aparelho eletronico e pega menos fogo que um iphone... - O standby não existente: - aqui concordo que há um erro de construção para poupar como dizes. Contudo se analisares amplificadores da mesma gama vais constatar que uns poupam nas laranjas e outros poupam nas bananas...
  6. Insuportável e quase perto do vómito: - Todo e qualquer tipo de Pimba menos Quim Barreiros - Merdas tipo BAN Musica de merda - Quase todo o pop que passa nas rádios tugas - Kizomba - Funk Brasileiro Audível: - Musicas infantis da Leopoldina Bom, muito bom e excelente: - Sabe-se logo quem são e são muitos...neste momento The Aristocrats...
  7. Guilty Pleasures

    Há mais guilty que 'more than this' roxy music...
  8. Os barretes e relíquias do OLX

    tech+eeee cum carvalho...
  9. Little Wing... Foxy Lady... Wind Cries Mary... Crosstown Traffic... Fire... Purple Haze... Voodoo Chile... Hey Joe... All Along the Watchtower... não é história são mónadas fosseis
  10. O Hendrix foi único mas também ele foi influenciado no seu estilo por gajos como Curtis Mayfield. Nos 60's existiram ainda outros guitarristas a gravitar no género, comparáveis ao 'verdadeiro', o Eddie Hazel dos Funkadelic por exemplo... Só que o Hendrix tinha mais, mais vontade de consumir LSD e pegar fogo ao material de musica
  11. Como achar o tom?

    Podes ter essa necessidade de chamar nomes aos riffs que ouves mas por vezes podem estar numa escala qualquer e o player querer sair dela para soar 'outside'. O melhor que tens a fazer é descobrires o tom em que a musica está (ou essa passagem em concreto) e depois avaliares sobre que acordes soou dessa forma e ficas a saber que esse riff dá para aplicar em x situações sem precisares de ires ao extremo teórico que na melhor das hipoteses te vai dar que pensar... é mais fácil adoptares 'as palavras' e saberes onde se usam do que o porquê de ser assim pois com certeza, mais tarde quando amadurecer a ideia será capaz de a catalogar de uma determinada maneira que te permitirá passar uma emoção enquanto tocas. Ficaram aqui os meus 5 cents.
  12. Em 2000 despontou uma onda eletrônica que foi ganhando força nos 90,s, as discotecas começaram a passar martelinhos, mas o rock sempre teve os seus fiéis. É natural que a música seja eclética. Mas eu senti que as pessoas em geral queriam ouvir house para dançar com pastilhas.... Kkkkk
  13. Pedais provocam GAS(es)

    Deixá-la o que eu disse por engano... Eu já te expliquei que aplicação prática faltou dizer ao vivo, ou seja, o mesmo pedal pode não dar para as duas coisas, não é que não sirva para nada é que pelo preço podia e devia servir para tudo... Só isso. E as marcas sabem bem tanto que é como dizes, endrominam os home guitar Players com preços absurdos e chamam.lhes botique, mas tenho de dizer isto senão ainda me esganas.. Nem todas as marcas, nem todos os músicos... Só o bastante para dar nas vistas. Os preços nos States são como te digo, mesmo nós usados se nota sobre maneira. Eu já comprei muito material no ebay dos States e mesmo com alfândega ficou mais barato do que comprado aqui. A Europa abusa dos preços, isso é um ponto que tenho provas pessoais pelas compras que fiz. Mandei vir um pod xt novo, que na altura custava aqui 300 e muitos pq era novidade e com impostos ficou em menos 50€ vindo de uma loja de nova Iorque... Foi o começo das compras online nos States...
  14. Pedais provocam GAS(es)

    Nem sempre, se vires os pedais dinamarqueses tc, carl martin, por exemplo são mais baratos nos EUA que cá. Vê em dólares e converte. E nem sempre tb quanto à segunda questão. Mas queria ter dito aplicação prática ao vivo. Servem para os comprares, veres que funcionam bem no setup caseiro, curtires o som à brava mas para uso ao vivo não se enquadram no teu som. Se nunca te aconteceu, repara que há muita gente nos fóruns a falar sobre este tema. Dou.te o exemplo de um pedal que uso em casa para overdrive mas que ao vivo não preciso e não gosto de utilizar dado não soar bem e além de que com o volume que posso subir o meu master no amp e com o próprio switch dele tenho um overdrive no power bem quentinho... Isto é o exemplo que me lembro de repente mas há muitos mais. Foi por isso que os amps começaram a ser feitos com menos watts... Para poder ter um cheirinho do som que se conseguia com um amp a topo. E nos últimos anos, tem sido feito com pedais também. E depois do que ouvi teu no soundcloud e pelo que tocas deves saber que há pedais de fuzz que só soam bem quando alimentados com volume á séria... Facto que levou muitos fabricantes a inovar e a vender o tal pedal perfeito para aqueles que não podem tocar com esse volume todo mas querem obter o som. Falo do analog man sunface por exemplo, que segundo omproprio construtor afirma, precisa de um bom feed de som... Depois experimenta um pedal desses tipo AA com volume ao vivo e não voltas a ligá-lo tal é a decepção... 3 a questão: rápido é o pouco tempo que tenho para fuçar em tweeks como fucei qd era chavalo... E depois chegar ao sound check e ter de mudar tudo... Porque não estava a resultar... Da mesma forma que nos ensaios.. Prefiro pedais mais básicos e fáceis de ajustar. Resultam em estúdio pois é um ambiente controlado com menos variáveis... Do que a céu aberto. Já experimentaste o efeito doppler ao vivo? Há pedais feitos para obter este efeito onde os parâmetros são ajustados consoante o ambiente onde irão ser utilizados. Leslies, etc...
  15. Beware...Réplicas/Contrafacção

    metesses mais tabaco... ;)