Antonio

Membro
  • #Conteúdo

    1661
  • Registado Em

  • Última Visita

  • Feedback

    100%
As minhas Músicas Preferidas

Reputação

573 Reputação Excelente

2 Seguidores

Sobre Antonio

Informação de Perfil

  • Sexo
    Masculino
  • País
  • Cidade
    Pinhal Novo
  • Instrumento
    Guitarra

Quem visitou o meu perfil

4135 visitas ao perfil
  1. O comprimento da escala importa?

    Essa experiência do baixo acredito que tenha feito diferença. Mas não era só a escala. É um instrumento diferente. Além de eu ter várias guitarras, a minha escola de música tem serviço de luthier. Trabalho com um muito bom! Isto quer dizer que recebo todas as semanas várias guitarras de clientes para levar ao luthier. Quando lá vou, ele tem sempre inúmeras guitarras de clientes também. Ora, claro que eu aproveito para experimentar tudo. Afinal tenho de verificar se o trabalho foi bem feito antes de entregar a guitarra ao cliente... Sim, toco regularmente em gibsons, fender usa, ibanez prestige, prs, etc... Não sei se é exactamente por isso... Mas a mim a cena da escala é um bocado "tinto". Talvez leve um minuto a adaptar os dedos, se for assim uma guitarra seguida à outra. Mas depois esqueço isso e passo a curtir outros aspectos da guitarra.
  2. O comprimento da escala importa?

    Xiiii @F.Coelho isso é um caso absurdo de overthinking! Em primeiro lugar existem montes de variáveis nesse teste. Perfil do braço, setup (acção), grossura das cordas, etc... Agora vou dizer algo que espero que não leves a mal. Até porque a minha intenção no próximo comentário é puramente positiva: Perde menos tempo com esse tipo de coisas e mais tempo a estudar guitarra. É que o exercício e destreza a tocar é, de muito longe, a maior variável no meio disto tudo. Ou seja, quanto mais praticares menos te preocupas com as diferenças nas escalas
  3. Ahaha O Henning Pauly do canal EytschPi42 lançou um desafio. Fazer uma música paenas com uma faixa de bateria e outra de voz. A ideia é completar tudo resto. Fiz isto, só pela brincadeira.
  4. new GAS

    Sim. Mas não vale nem perto da diferença de preço! Eu tenho o hábito de não fazer grandes setups às guitarras. Vou fazendo pequenos ajustes. Chego a estar a dar aulas e notar que a guitarra precisa de um mínimo ajuste no truss rod, pego na chave, ali mesmo na aula e faço num minuto. E assim por diante... Se noto a intonação fora numa corda ajusto rapidamente na hora. Tenho sempre as guitarras a tocar top-notch. Sem grande esforço. Uns carrilhoes também são coisa barata... Dar mais 1000€ ou 2000€ por uma guitarra por causa destes pormenores acho que é parvo. Durante muito tempo achei que a gama de preços dourada das guitarras (bang for the buck) andava entre os 800€ e os 1200€. Recentemente este valor tem andado a descer vergitinosamente. Já toquei em guitarras muito capazes que custam o preço de um pedal boutique!
  5. new GAS

    Por acaso não vejo o acrescido valor das guitarras "melhores" refletido em durabilidade... As guitarras são de madeira e a electrónica é super simples. Acho que com o mesmo nível de cuidado uma guitarra barata ou cara dura o mesmo ou requer o mesmo nível de manutenção. O engraçado aqui é que a grande diferença também não é o timbre (embora as guitarras tenham todas timbres diferentes, mas é subjectivo o que é melhor ou pior). Para mim a diferença de valor vem do design da guitarra (horas gastas), o braço, o acabamento dos trastos, etc. São coisas que o público não ouve directamente. Apenas chegam ao público porque o músico se sente confortável a tocar o instrumento e se sente inspirado por ele. Dito isto, quem sabe tocar guitarra toca em qualquer uma. Pode sair uma performance mais inspirada em certos instrumentos, sim. Mas mais que isso é desculpa que quem não estuda!
  6. new GAS

    Digo aos meus alunos muitas vezes, não há escolas de bom gosto! Claro que o bom gosto também é subjectivo...
  7. new GAS

    Venho só deixar isto aqui no tópico do GAS e fugir de seguida. Have fun lol
  8. DAW - Opiniões

    Sim. Facilita muito o trabalho. Dá para experimentar várias harmonias em tempo real e ver qual funciona melhor.
  9. O que se passa com os Floyd low profile

    Percebo. Mas não é essa a minha forma de usar guitarras. Por acaso até tenho uma yamaha rgx820z que tem piezo. Nunca uso o piezo. Acho que soa a imitação barata de acústica. Para acústica tenho a minha Martin que soa a sério. Eu não gosto mesmo de guitarras com muitas funções. Já tive várias assim. Perdem a personalidade. Em matéria de "shred machines" não vou ser muito picuinhas pois aquilo é para encher de distorção e as notas passam tão depressa que não mojo de qualquer forma. Por isso qualquer coisa com bons PUs vai funcionar. Tem é de ter um braço que facilite tocar cenas técnicas. Mas uma boa shred machine tem sempre um problema. Soa bem, como qualquer outra soa bem. Nunca ouvi nenhuma com carácter! E para carácter tenho outras guitarras. E, lá está, se me pusesse a meter esparguete de fios e switches nessas guitarras o mais provável era estragar-lhes o tal carácter e ficavam sem Mojo nenhum....
  10. O que se passa com os Floyd low profile

    @tmo Muito Obrigado, mais uma vez! Estão aí boas opções! O que me atraiu na outra que referi foi o facto de já vir com dimarzios. Ainda por cima uma combinação que gosto bastante. Já tive 2 RG com os PUs infinity da Ibanez e não gostei nada deles. Numa cheguei a mudar para Dimarzio, já não me recordo do modelo, a outra vendi simplesmente a guitarra passado pouco tempo. Dessas há uma com emg, que para shred é muito fixe. Mas a cena da pilha é algo a evitar apenas por pura simplicidade. Os modelos do Satriani não têm 24 trastos. Já agora ia com tudo! Bem... Vou continuar a escolher e vou contactar alguns vendedores destes que referiste. Em fim... Afinal sou mais esquisito do que eu próprio pensava lol
  11. DAW - Opiniões

    A última. 4 (professional) ponto qualquer coisa. Comecei na 3 que veio com a mesa que tenho no estúdio. Depois paguei o upgrade para a 4. Dentro de um versão os updates são gratuitos. Só paguei da V3 para a V4. Já vai em mais que 4.6 ou coisa parecida, mas esses updates são de borla.
  12. canais de amplificação da cabeça para guitarra

    Nos amplificadores de guitarra os canais são essencialmente sons diferentes no mesmo amplificador. Não é como uma mesa de mistura que se liga um instrumento em cada canal. Nos amplificadores de guitarra ligas sempre só uma guitarra. Depois podes ter vários canais, muitas vezes comutaveis com o pé através de um pedal. Cada canal tem um som diferente. Por exemplo, um canal limpo e outro com distorção. Se o amplificador só tem um canal é preciso verificar se é um canal puramente limpo ou se tem distorção. Um amplificador de um só canal limpo, tipo a maior parte dos Fender, é mais versátil, pois podes sempre fazer a distorção com pedais.
  13. DAW - Opiniões

    Uso o Presonus Studio one todos os dias quase o dia todo Apesar das DAWs serem todas boas e o que interessa é o que vai de encontro ao workflow de cada um, queria deixar aqui uma palavrinha de elogio ao S1: Acho que está DAW consegue uma coisa extraordinária, ser super complexa com todas as ferramentas possíveis e imaginárias para fazer tudo em qualquer tipo de música, enquanto consegue ser na mesma muito simples de usar. A presonus conseguiu implementar todas as ferramentas de uma forma tão lógica que quase nem nos lembramos que estamos a usar coisas complexas. Time bend, processamento paralelo na mesma faixa, faixas de instrumentos VST com dois instrumentos a tocar em "dual", faixa de acordes com detecção automática da harmonia, integração do melodyne, áudio para midi através do melodyne, faixa "arranger" para organizar estrutura da música sem ter de arrastar as faixas todas, painel de rascunho para testar ideias sem sair do projecto, swing (shuffle) na time line, etc... Tudo simples e integrado no workflow.
  14. O que se passa com os Floyd low profile

    Encontrei isto no Olx Não é gama alta. Mas para uma guitarra para fazer exercícios técnicos e tocar uns shreds de vez em quando deve ser suficiente. E já vem com dimarzios. A minha única reserva é o acabamento que parece ser rugoso. Deve ser desconfortável no braço direito pois deve deslizar mal no corpo da guitarra. Principalmente a fazer pickings mais rápidos e sweep piking... O que dizem? Começo a achar que se calhar não é preciso gastar muito mais que isto para uma guitarra que vou usar só de vez em quando para curtir umas maluquices mais pirotécnicas https://www.olx.pt/anuncio/ibanez-rg320-pg4-IDF9u55.html