Antonio

Membro
  • #Conteúdo

    1504
  • Registado Em

  • Última Visita

  • Feedback

    100%
As minhas Músicas Preferidas

Reputação

385 Reputação Excelente

1 Seguidor

Sobre Antonio

Informação de Perfil

  • Sexo
    Masculino
  • País
  • Cidade
    Pinhal Novo
  • Instrumento
    Guitarra

Quem visitou o meu perfil

3115 visitas ao perfil
  1. Boas, Nova direcção com a minha cena de originais. Vou tentar fazer um video simples para cada tema e lançar um por mês. Parece que o modelo de lançar albuns está moribundo... Portanto... Se não for incomodo vou colocando os temas neste post à medida que forem saindo.
  2. Exacto! Alguém percebeu o que se calhar expressei mal... Claro que estas ferramentas de manipulação de audio já não são nada de novo. Mas tocar instrumentos também não! É só ir ao tubas e ver milhares de gajos a tocar á velocidade da luz nos mais diversos instrumentos. A única coisa que acho que está mal é a mentalidade do "antigamente é que era bom" e o estigma de que "musica feita no computador não presta" É um skill tão valido como qualquer outro e são tudo ferramentas. Agora, o que se cria com as ferramentas já é outro assunto e é muito susceptível a gosto pessoal.
  3. Entre estas 2 qual???

    para mim floyd só se for este: EDIT: não funciona a inserção da imagem por URL... era uma imagem dos Pink Floyd
  4. Entre estas 2 qual???

    Eu ia para a yamaha porque não curto floyd rose. Mas é gosto pessoal. São duas boas guitarras!
  5. Pois... Não me entra na cabeça como é que se pode considerar que mais ferramentas criativas é pior.. Atenção que eu tenho consciência de que se anda a fazer muita coisa mazinha com recurso a estas ferramentas. Basta ligar o radio. Mas não culpo as ferramentas pelo uso que lhes dão. Acho que seria muito positivo a malta que tem bom gosto e sempre ouviu musica mais orgânica, se actualizar e pôr estas ferramentas em bom uso. Para termos cenas fixes outra vez
  6. Estava a trabalhar no Pinhal Novo até às 18h. Acho que aquilo começava às 18h30. De mota era na boa. De transportes, ou mesmo de carro, era impossível. Pois, o meu medo era a viagem de regresso.. Não sei a que horas acabou. Nem como estava o clima nessa altura...
  7. Desculpem estar a desenterrar este tópico outra vez. Mas é de facto um dos melhores e mais interessantes tópicos que já surgiram neste forum. Descobri um video que ilustra muito bem a minha ideia da evolução e transformação da musica. Comentários sobre o video só faço o seguinte: Isto também tem muito valor e é uma forma de arte tão valida como tocar qualquer outro instrumento musical (sim, eu considero que as DAWs modernas são instrumentos musicais). Em vez de desdenhar devemos acompanhar, aprender a incorporar estas ferramentas no que gostamos de fazer/ouvir.
  8. Eu optei por não ir. Porque o meio de locomoção que eu escolhi é a mota e havia um furacão a caminho... Eu tenho carro, mas é a minha Maria que anda sempre com ele. E ela precisava também de sair. Como foi? Teria valido a pena enfrentar o furacão de mota?
  9. exercicio de leitura

    De nada.... Não li tudo. Pensei que eram só os que faltavam
  10. exercicio de leitura

    Lá Sol Sol Lá Si
  11. @resolectric eu também sou excepção. Tento ouvir de tudo e tento abrir a mente o mais possível. Mas somos minoria. Eu também acho que que se o publico geral fosse mais conhecedor da linguagem musical a musica mainstream não seria tão... digamos, simplista. Mas admiro, por exemplo, o som poderoso que alguns produtores de musica electrónica conseguem tirar daqueles bombos! Damn! Isso também é outra forma de conhecimento e desenvolvimento da arte
  12. O ponto do video que eu partilhei é exactamente que a inovação nos parece sempre horrível. Nós, segundo o video, ficamos presos nas sonoridades da nossa adulescencia. Ele dá o exemplo de "experts" que diziam que os Beatles eram intragáveis. Ou seja, segundo este raciocínio nós vamos sempre achar horrível a musica dos potenciais novos génios e nunca vamos reconhecer os mesmos como tal. Porque a nossa cabeça, e gosto, estão formatados para as sonoridades que nos são familiares. Eu também dou valor a um tema bem pensado e com escolhas harmónicas "inteligentes" (na minha opinião) que deem realmente ênfase à melodia e historia contada pela mesma. Assim como o uso do ritmo de forma interessante... (Groove!) Mas a malta hoje em dia parece gostar mais de um "beat" simples e o foco todo ser dado á letra que muitas vezes até é falada em vez de cantada. Ok! Não sou ninguém para dizer que não seja valido. É um facto que se entende melhor o conteúdo da letra... O facto de eu não gostar não influencia o que se tornará o próximo "bom". Isso é completamente independente do meu gosto pessoal