Antonio

Membro
  • #Conteúdo

    1593
  • Registado Em

  • Última Visita

  • Feedback

    100%
As minhas Músicas Preferidas

Reputação

486 Reputação Excelente

1 Seguidor

Sobre Antonio

Informação de Perfil

  • Sexo
    Masculino
  • País
  • Cidade
    Pinhal Novo
  • Instrumento
    Guitarra

Quem visitou o meu perfil

3720 visitas ao perfil
  1. new GAS

    Vi isto agora. GAS!
  2. The New Pedalboard topic

    Yah. O ideal é ter as duas coisas. Mas começo a ter a sensação que a cena real a válvulas hoje em dia é mais uma cena de ter por gosto. Realisticamente, para trabalhar, as soluções digitais já soam bem e são bem mais práticas. Tenho estado a gravar todos os dias. Começo a estar muito farto de ligar/desligar cabos, trocar pedais, gastar tempo a posicionar micros ou carregar IRs da DAW, etc.. Começo a ter a noção que sería muito mais produtivo com uma cena que é só ligar a guitarra, carregar num botão e pronto, todos os sons do mundo das guitarras ali disponíveis.
  3. The New Pedalboard topic

    Ahah Eu tive digital, depois tive Rack mais Mesa Boogie com 4x12 (tudo controlado com switcher digital), agora tenho pedais com um Fender DRRi e estou a pensar em vender tudo para comprar uma Helix + Powercab Nunca estamos satisfeitos, andamos sempre a mudar.
  4. Fear Inoculum

    Ouvi tudo. Tem bons momentos. Os timbres de guitarra então estão brutais! Mas é normal num album destes. Sempre um granda som. Mas a maior parte é repetitiva. Infelizmente tenho de declarar que apanhei um bocado de seca…
  5. Os barretes e relíquias do OLX

    Cliquei no perfil do gajo Ele também dá aulas. Mas o anuncio das aulas está rasoavelmente bem escrito… Cena marada!
  6. Tendências e futuro da música

    Concordo. Afinal contrata-se um produtor por alguma coisa. Mas o resultado final deve ser 100% do agrado do cliente. O produtor pode gostar muito de certo aspecto no arranjo, se o cliente não gosta não se usa. Pode ser é que haja um compromisso..
  7. Tendências e futuro da música

    Espaço também já não é tão crucial. Com as ferramentas digitas que há hoje em dia... Em relação à produção, também é muito mais fácil de aprender, com toda informação online. Mas, é preciso pratica e MUITA dedicação e trabalho. Produzir também de treina. Há que produzir muito e ir melhorando tema após tema. Leva anos. O que eu reparo é que muita gente fica a aperfeiçoar o mesmo tema para sempre! Para evoluir temos de concluir tarefas, "este fica assim", lança-se e leva-se com as criticas todas, levanta-se a cabeça e começa-se a trabalhar no próximo, que há de ser melhor. Ao fim de 100 ou 200 temas começa a soar bem. Eu também adoro a cena real! Adorava que toda a musica fosse feita num estúdio real, com músicos reais, com um granda produtor, um engenheiro a misturar e outro a masterizar. Claro que sim! Mas as pessoas não pagam isso. Se a musica gravada agora é distribuída de borla, tem de ser de produção rápida facilitada! Se querem real e bom, têm de pagar! Digo isto sempre que surge a conversa: "Ah e tal, a musica de hoje em dia é toda feita com VSTs num PC, já ninguém se dá ao trabalho de gravar uma banda real num bom estúdio". Minha resposta: "Mas pagas? É que se estás a ouvir de borla queres o quê? Bom e oferecido? Se queres bom tens de pagar, simples!" Ocorrem tradicionalmente muitos problemas de comunicação e choque de ideias aqui. Acho que o produtor deve realmente abster-se do seu gosto pessoal e agradar ao cliente. No caso de ser o artista a pagar, o trabalho final tem de ser 100% do agrado do artista. No caso de ser a editora a pagar, o produto final tem der ser 100% do agrado da editora. Ponto!
  8. Anya Karin - A song a month (ou tentar... LOL)

    Gravação do solo da musica de Setembro
  9. Tendências e futuro da música

    Yah. Mas antigamente também era super difícil "Get signed". Eram só uma pequenissima percentagem das bandas que conseguiam contratos com editoras. Não faço a minima se há relação entre a dificuldade de ter contrato no modelo antigo e ser notado pelo publico no modelo actual.
  10. Tendências e futuro da música

    Yah. O modelo antigo pelo menos tentava ser certo e fazer as pessoas pagarem pelo trabalho criativo. Por outro lado tudo está a ficar mais barato de produzir. Desde as músicas ao marketing. Hoje em dia pelo preço que se gravava um álbum num estúdio monta-se um alta estúdio em casa para gravar tudo o que se quizer. Em relação ao marketing, hoje em dia é super fácil ter acesso e utilizar programas de imagem. Tanto foto como vídeo. E com 30 ou 40 paus pagar-se publicidade nas redes sociais que chegam a milhares de pessoas. Antigamente para fazeres publicidade com a mesma projecção tinhas de pagar milhares. Portanto, as coisas estão diferentes. Não melhores nem piores. Eu acho que o maior stress hoje em dia é subresair de todo o "noise" que há online e ter a atenção das pessoas...
  11. Criação de Solo

    Se houvesse uma formula para compor boas melodias toda a gente era granda ídolo musical... e talvez o pop não andasse tão mau Dito isto, deixo aqui um método que costumo usar para desbloquear alunos e leva-los numa direção porreira: Primeiro passo, analisa bem a harmonia sobre a qual estás a solar. Certifica-te que sabes de cor os acordes e as notas individuais que os compõem. Depois disso tenta criar uma melodia MUITO básica que acompanhe os acordes. ou seja, a melodia toca sempre uma das notas que pertence ao acorde sobre o qual estás a tocar no momento. Nesta fase é proibido tocar notas que não sejam tiradas diretamente do acorde. Depois de teres esta melodia formada, acrescentas as "passagens". Ou seja, complicas a coisa de forma a ligar as notas que já tens e estão dentro da harmonia com notas "fora" que criam tensão para resolver nas outras. Aqui podes usar a escala que quiseres e que esteja dentro da tonalidade. Pentatónica, diatónica, modos Gregos, etc.. Até pode ser cromático! Desde que aterres numa nota pertencente ao acorde vai estar nice! Atenção que aqui é que entra o bom gosto. E não existem escolas de bom gosto… Espero que esteja claro o suficiente. Isto em pessoa, com exemplos, é tão fácil de explicar.
  12. Tendências e futuro da música

    @pipes Concordo com o gajo numa cena: Se as pessoas não compram musica temos de nos desenrascar de outras maneiras. Não está certo. O nosso trabalho tem valor. Mas infelizmente isto é o que é. Ou aceitamos e mudamos completamente o modelo de negocio ou não fazemos guito nenhum. Ponto. Acho que ficar agarrado ao antigo modelo de negocio e a refilar que as pessoas sacam as musicas todas e os serviços de streaming dão pouco, não vai resolver o problema…
  13. Tendências e futuro da música

    A facilidade e subsequente qualidade da mistura é directamente proporcional à qualidade do arranjo. Sem dúvida nenhuma. Um bom arranjo, bem gravado e executado, soa logo bem só levantando os faders. São brutais de misturar. Porque o processo de mistura passa a ser focado na parte criativa em vez de na resolução de problemas...
  14. Tendências e futuro da música

    Sim! Esse caso é uma aberração e abre um precedente perigoso. Revela bem como a "justiça" é de facto um negócio manipulado por alguns. Quanto às melodias. Vou citar a Anya quando tive a ver este vídeo em conjunto com ela: "Modas são modas, música é música! Eu adoro uma boa melodia e quem realmente gosta de música também. Quem vai atrás de modinhas, e nem entende uma boa melodia, nem sequer é o meu público alvo" Adoro trabalhar com esta mulher!