Antonio

Membro
  • #Conteúdo

    1538
  • Registado Em

  • Última Visita

  • Feedback

    100%
As minhas Músicas Preferidas

Reputação

417 Reputação Excelente

1 Seguidor

Sobre Antonio

Informação de Perfil

  • Sexo
    Masculino
  • País
  • Cidade
    Pinhal Novo
  • Instrumento
    Guitarra

Quem visitou o meu perfil

3336 visitas ao perfil
  1. Estúdio próprio

    Se for só mesmo para gravar audio e misturar dá sim! Principalmente se tiver uma mixer para poder ter escuta em tempo real sem passar pelo PC Eu investi num i7 de 8va geração e consigo ter projectos sempre em tempo real! Desde a gravação á masterização. Com os VSTs todos em MIDI e tudo. Consigo ter um projecto já masterizado e, se for preciso, ainda gravar umas cenas num synth com o controlador midi sem latência
  2. Estúdio próprio

    i5 recente e algo deste genero: https://www.thomann.de/intl/focusrite_scarlett_2i2_studio_pack_2nd.htm?ref=search_prv_17 O problema principal que vais encontrar é a acústica da sala, que é o que realmente faz a diferença...
  3. Tendências e futuro da música

    Vou colocar a "coisa" de outra forma. Tal como nas minhas intervenções anteriores vou tentar mudar o disco para um tom positivo... Nós somos músicos, entendemos a linguagem da musica. O publico tem mais dificuldade. Ora, será que a facilidade que há hoje em dia em fazer um video e coloca-lo online, não é uma grande mais valia como forma de explicar ao publico a mensagem da nossa musica? Eu estou a fazer um video por cada musica, sempre com letra (ainda estou a aprender a fazer vídeos por isso não são grande coisa... but still... lol). As pessoas veem uma vez o video, percebem a a mensagem e depois ouvem varias vezes a musica! Para mim o video é tipo um manual de instruções para ouvir a musica. E acho brutal poder ter isso. Claro que existem MUITOS vídeos que não fazem nada pela mensagem da musica, até porque muitas dessas musicas nem têm mensagem nenhuma de jeito, e apenas apresentam gajas descascadas ou imagem coloridas para, como dizes, tentar colmatar a falta de outras coisas mais importantes. Mas por favor, não vamos culpar as ferramentas pelo uso que lhes dão EDIT: Esqueci-me de referir, no caso de espectáculo ao vivo, um concerto é uma experiência audio-visual. Não há volta a dar a isso. Podemos ignorar esse facto ou podemos usa-lo a nosso favor
  4. Tendências e futuro da música

    YES! Alguém a dizer isto sem ser eu. Assim não sou eu o crucificado! Se querem ganhar dinheiro com a musica têm de a encarar como um trabalho e têm de ser profissionais. Tudo tem de ser estudado e ensaiado. A qualidade tem de estar lá! Seja em que estilo for.
  5. Tendências e futuro da música

    Tal como eu já disse, os criadores têm de ser criativos também na forma de monetisar. Quando digo que cada um dos 1000 true fans rende 100€ ao ano não me refiro apenas a dinheiro directo do bolso deles. Afiliate programs, patrocínios nos vídeos, patrocínios nos concertos, etc... Já tenho umas ideias mais originais na minha cabeça, para quando a minha cena crescer perto desse nível. Mas essas são minhas O público está a crescer lentamente mas de forma sustentada e previsível. It's on track! Para ser sincero, neste momento a minha maior irritação são músicos a comentar nas cenas publicamente a dizer o que é que eles fariam melhor Passo a vida a ter de apagar comments lol Os músicos são o pior público do mundo.
  6. Tendências e futuro da música

    E pá, eu já toco covers e dou aulas por dinheiro. Quero ver se arranjo forma de viver a compor, gravar e executar as minhas cenas. Acho que o objectivo de todos os artistas é poderem viver da sua arte de forma a não terem de fazer outros trabalhos e poderem fazer o que gostam todos os dias, o dia todo. É só isto...
  7. Tendências e futuro da música

    Fogo. Vocês são mesmo pessimistas Eu prefiro sempre considerar o copo meio cheio em vez de meio vazio. Além disso, na minha opinião, é indiscutível que hoje em dia é mais fácil ter uma carreira nas artes. Não estou a falar em enriquecer, mas viver dignamente.
  8. Tendências e futuro da música

    Ainda! A grande diferença é que agora ninguém sabe que novo modelo de negócio vai funcionar. Os criadores têm de ser criativos também na forma de monetisar o seu trabalho. Há duas ideias que gosto muito. 1- não haverem poucos criadores multimilionários mas sim muitos criadores a viver confortávelmente. 2- a idea dos "1000 true fans". Imagina que consegues 1000 pessoas que são verdadeiramente fans e cada uma te rende 100€ ao ano. Seja por rodarem incessantemente as músicas em streaming, comprarem bilhetes para concertos, comprarem merch e claro, outras formas mais criativas de monetisação que consigas inventar. Ora 1000 pessoas a render 100€ ao ano são 100.000€ por ano!
  9. Tendências e futuro da música

    Quantas Labels já faliram nesta década? Como anda o conteúdo das TVs generalistas? O conteúdo é claramente de desespero e uma tentativa de ainda agarrar a audiência que não passou, nem vai ter capacidade de passar, a utilizar os novos tipos de entretenimento (Idosos e classes muito baixas). Ainda por cima os media tradicionais não param de dar tiros nos pés a tentar ainda combater numa guerra terminada e perdida... É como digo, estamos numa fase de transição
  10. Tendências e futuro da música

    Hoje em dia consegues gerar conteúdos de qualidade sem recorrer a lables. Com imaginação e criatividade, faz se um granda vídeo clip com o smartphone. Em relação à publicidade, nas redes sociais é super barato. 100€ dão exposição a milhares de pessoas e podes facilmente fazer o targeting para atingir o público alvo de forma super eficiente. Acredita, ainda estamos em fase de transição, mas isto está a melhorar a olhos vistos para os criadores de conteúdos!
  11. Tendências e futuro da música

    Felizmente estamos a assistir a uma viragem neste assunto. Eu dou aulas, lido com muita gente nova. Ver TV, ouvir radio, ler revistas, etc. Já está a cair em desuso! Felizmente .
  12. Dúvida

    Ou isso
  13. Dúvida

    O Problema principal vai ser o Nut. As "calhas" não são todas iguais. A corda mais fina não cabe na calha da mais grossa
  14. Claro! O segredo não é o estúdio mas as orelhas que lá trabalham! O meu ponto, que devo ter exprimido mal, é que as novas bandas têm muito a ganhar em ter meios para gravar e ouvir, com qualidade razoável, todos os ensaios. Dá perspectiva e acelera a evolução para aí 500%! E hoje em dia arranja-se material para gravar ensaios com qualidade muito fixe por menos dinheiro que ir a um estúdio gravar a serio! Depois então, para fazer uma gravação à séria logo se pensa em, ir a um estúdio. Mas, na minha opinião, isso é uma fase muito à frente. O meu conselho é criar uma presença online primeiro. Façam uns vídeos engraçados, gravem uns ensaios, etc... Inventem algo, tipo Vlog da historia da banda ou epopeia de chegar a horas a um ensaio, etc... Arranjem um canal de youtube ou pagina FB, instagram, etc, com 2k ou 3k seguidores. Depois, antes de falar com o tipo do bar façam um post patrocinado no instaram ou FB com o target para pessoas exactamente daquela zona. Se mandarem mensagem para o gajo ou telefonarem e assim que disserem o nome da banda ele tiver aquela sensação que já vos conhece (porque vocês forçaram publicidade online para zona dele e ele até já leu o nome em qualquer lado), a conversa corre logo de outra forma! Assim como se enviarem uma mensagem com um link e assim que ele abrir o link para um video vir 2k ou 4k views e uns 100 likes, a percepção da banda já vai no caminho certo ainda antes de ver o video. em termos de investimento, sai pelo mesmo preço ou ainda mais barato que fazer copias de CDs e andar a gastar combustível a entregar nas casas de espectáculos. Sem contar que é muito mais cómodo porque se faz em casa de robe e pantufas
  15. Concordo plenamente. Contudo, e correndo o risco de parecer chato, esta também é forma antiga de pensar. Hoje em dia pelo preço de gravar em estúdio se compra um interface e grava-se todos os ensaios! Eu tenho dito aos meus alunos, quando começam as primeiras bandas e pedem conselhos, para gravarem tudo! Nem que seja com o telemóvel. Um método de ensaio que resulta é tocar uma vez o tema, gravando, e ouvir logo de seguida tirando notas do que deve ser melhorado. Toca-se outra vez, ouve-se outra vez, repete, repete... Até a gravação estar fixe em termos de arranjo e execução. Hoje em dia um Huawey barato qualquer ou coisa parecida, bem colocado na sala, grava um audio muito perceptível do ensaio!