Egiptogrunge

Membro
  • #Conteúdo

    79
  • Registado Em

  • Última Visita

  • Feedback

    0%
As minhas Músicas Preferidas

Reputação

68 Reputação Muito Boa

Sobre Egiptogrunge

Informação de Perfil

  • Instrumento
    Guitarra

Quem visitou o meu perfil

1282 visitas ao perfil
  1. Empreendodorismo - Site de Música

    A ideia é boa, mas em negócios o que importa sempre é a implementação. Acho que onde terás mais dores de cabeça será na forma como vais transmitir confiança e segurança, principalmente a quem fornece os equipamentos para alugar. Eu falo por mim, tenho bastante material que poderia alugar, no entanto acho que dificilmente o faria, devido ao medo em alguma coisa se estragar e as chatices que isso daria...
  2. In ears dos Pobres

    Isso é verdade. Posso dizer que basicamente só usei os in ears em concertos e ensaios, onde curtia o som. Quando chegaram e para testar liguei ao telemóvel e não gostava deles para ouvir música. Tinha de fazer uma equalização no telemóvel para ficar mais a meu gosto. Assim pelo menos aquele modelo, eram in ears direcionados a músicos, a cena de por mais um cabo com microfone e botões para usar no tele pode ser apenas uma estratégia das marcas para aumentarem o volume de vendas.
  3. In ears dos Pobres

    Pgranadas, ninguém dirá o contrário, não devemos descurar o cuidado com a nossa audição. Mas toda a gente sabe que nem tudo que é caro é bom, e nem tudo que é barato é mau. O difícil é encontrar marcas/modelos que sejam baratos (ou melhor, acessíveis) e bons. E vir cá pedir sugestões/opiniões pode nos fazer poupar uns bons cobres. Quanto ao assunto em si, eu usei durante o ano passado uns mee 6 pro (tipo estes https://www.idjnow.com/mee-m6-pro-2nd-gen-in-ear-monitors-clear.html ), que me pareceram bons. Usei por recomendação do nosso técnico de som, e também guitarrista, que já tinha alguma experiência nessas lides, já que a minha era nula pois detesto headphones de enfiar pela orelha a dentro. Posso dizer que inesperadamente me adaptei bem, e que eles vêm com umas almofadas dum material tipo esponja (tinhas de comprimir a almofada com os dedos antes de colocar na orelha, depois de colocar a espuma expande e adapta-se melhor ao canal auditivo) mais alguns acessórios, como cabo com microfone caso fosse para usar com telemóvel, adaptador de jack para ponta grossa, saco de transporte resistente e mais algumas almofadas mas em silicone e não em esponja.
  4. Os barretes e relíquias do OLX

    Com a discussão das garantia lembrei-me de um caso comigo. Aqui há uns meses fiquei positivamente surpreendido com a APC. Então foi o seguinte, tinha um miúdo que queria comprar uma eletrostática, sem gastar muita massa. Andei a ver nos usados e havia uma APC com bom aspeto a bom preço. Lá marquei com o vendedor e efetuei a compra. A guitarra ainda tinha um ano de garantia. Um dia ou dois depois reparei que o neck perto da junção da cabeça da guitarra estava rachado atrás (a madeira não estava aberta mas notava-se uma pequena rachadela). Vi logo que aquilo poderia ser problemático pois o braço nessa zona era muito fino e era o trustrod que estaria a fazer pressão na zona e a promover a rachadela. Contactei com o vendedor e ele foi atencioso e indicou que colaboraria comigo no que fosse necessário. Entretanto dirigi-me à loja onde a guitarra foi comprada, que basicamente pertence à APC, e até foi o senhor António (o luthier fundador da marca) que me atendeu. Mostrei a guitarra e ele olhou para o autocolante dentro e para a rachadela e disse, "prontos vamos mandar para reparar, não se preocupe que reparamos isto facilmente e fica resistente". Eu fiquei admirado pois nem tinha a factura comigo (o vendedor ainda andava à procura), mas o senhor António disse que não necessitava da fatura, que olhou para o autocolante e viu a data de produção e como tal que ainda estava com garantia. Além disso não reclamou de ter andado a ajustar o trussrod. Eu ajustei um pouco pois o braço não estava "flat", e nem sei se a rachadela se deveu a isso, apesar de ter sido um ajuste ligeiro, ou se já existia e não tinha reparado. A verdade é que umas semanas depois já estava com a guitarra impecável e sem chatices. E com isso a minha confiança com a marca e a loja subiu.
  5. Os barretes e relíquias do OLX

    Bem respondendo aos mais curiosos, uma marca que fazia isso era a DB tehcnologies. Atenção que nao era a marca em si mas os representantes legais dos seus serviços técnicos em Portugal. Toda e qualquer coluna que fosse la parar vinha pra tras por arranjar com a desculpa de mau uso do dono. Ora se fosse uma ou outra, ou ate 50% das colunas que isso acontecesse seria normal, pois o pessoal muitas vezes nem regular som sabe, agora todas ou quase!!!! A loja acabou por arranjarem eles os equipamentos, e perderem algum guito, para nao ficarem sem os clientes, e acabou por nao fazer revenda de mais material dessa marca. Sei que recentemente a loja teve uma reuniao com os representantes de uma marca recente no mercado, para serem revendedores oficiais em PT e serem também responsáveis pelos serviços técnicos, desta forma evitando problemas como esse. E @The Passion, apesar de existirem muitos intrujões, e pessoal mafioso em lojas e afins, neste momento também nao esta fácil para eles. Reparem o exemplo anterior, se a loja nao estivesse disposta a arranjar as colunas que os serviços técnicos recusavam arranjar perderiam alguns clientes, ora se numa mega loja como thomann perder 4 ou 5 clientes nao lhes faz diferença, numa loja destas pode ser um grande rombo. E atenção, falo de uma loja que consegue ter preços em muito material igual a thomann. ps.: editado, enganei-me e em vez de mencionar o The Passion tinha mencionei o Liquid.
  6. Os barretes e relíquias do OLX

    Pois, sei de casos onde marcas de renome tinham centros de assistência técnica em PT que basicamente recusavam o arranjo de quase todos os equipamentos (falo de colunas ainda em garantia), sempre com a desculpa que a avaria era devido a mau uso do cliente. Depois as lojas acabavam por assumir as despesas dos arranjos. Este é um dos motivos de algumas lojas não venderem algumas marcas, pois já sabem que a assistência é uma merda e não querem perder clientes ou dinheiro em arranjos.
  7. Lulz e Mêmes musicais

    E as guitarras fender baseadas na série? Estão qualquer coisa de fantástico Vejam aqui: https://www.musicradar.com/news/fender-unveils-3-jaw-dropping-game-of-thrones-custom-shop-guitars
  8. Guitarra em cortiça expandida

    Eu basicamente concordo com a maioria das criticas aqui apresentadas. O que acho mal é que as críticas parecem estarem a ser apontadas, ainda que possivelmente de forma inconsciente, ao rapaz e à guitarra em si. Quando o que temos de criticar são as notícias. Sabem bem como são as notícias, muitas vezes, ou melhor, na maioria das vezes são deformadas de forma a obterem mais likes/clicks. Agora se este paleio todo (como o de ser a 1ª guitarra ser em cortiça..) tiver proveniência do rapaz, aí sim temos de criticar. Concordo que faz falta sentido crítico à sociedade, e que muitas vezes "passamos paninhos quentes", mas penso que mais do que isso somos excelentes a "botar a baixo" e medíocres a ter iniciativa...
  9. Guitarra em cortiça expandida

    Eu cá acho uma excelente iniciativa. Temos de mudar um pouco a mentalidade do "bota a baixo", dar valor a quem se mexe e faz acontecer. Se saiu algo fraco, pra próxima sai melhor, se não tiver a iniciativa é que não sai nada. Agora temos de perceber que vivemos numa época de marketing, é mais importante parecer que ser. Não lendo a tese não podemos estar para aqui a dizer se é boa ou não. Não sabemos o propósito, os objetivos, as conclusões. Que o rapaz tenha sucesso e que as guitarras soem bem.
  10. Anya Karin - A song a month (ou tentar... LOL)

    A vibe inicial e o assobio faz lembrar Guns N Roses
  11. Tendências e futuro da música

    Já tinha visto esse vídeo recentemente. Realmente é preciso uma discussão séria sobre esta temática. De momento parece que as grandes companhias é que estão a ganhar com isto....
  12. Manutenção do Material - Colunas

    Parabéns pelo bom trabalho Que voltem a ficar com mau aspeto, será sinal de muito trabalho
  13. Nando FX

    Se precisares também podes falar com o Miguel da MVO Custom https://www.facebook.com/MVOCustomShop/
  14. As marcas Low Cost

    Exato, foste surpreendido pela positiva. É isso que eu procuro ao arriscar numa marca com pouco tempo de existência, mas ao mesmo tempo estou salvaguardado tendo em conta que o preço que custaram as colunas o risco é pequeno. Preciso de menos tempo para rentabilizar o investimento. Ou seja se algo correr muito mal (tipo as colunas darem o berro logo após a garantia) não perco muito devido ao pequeno valor investido, mas se pelo contrário tudo correr como esperado (as colunas portarem-se muito bem aí uns 4/5 anos) terá sido uma excelente compra. É esperar e ver.
  15. As marcas Low Cost

    Isto vai tudo do que o cliente procura. Tu fazendo som ao vivo para bandas e afins o público alvo vai ser diferente, se calhar é público com um ouvido mais apurado e exige um som de maior qualidade. Eu no meu caso a maioria do pessoal liga zero ao sistema de som que tenha. Existem alguns que gostam de mostrar que sabem muito mas é só bluff, não sabem nada e vêm falar em Yamaha ou Bose só porque conhecem esses nomes, mas mesmo esses são raros. Apesar disso eu gosto de ter um sistema de som com alguma qualidade, até porque tenho alguma base musical, e o meu ouvido já tem algum treino. Mas lá está, tento sempre fazer uma boa análise de mercado, ouvir dois ou três dos equipamentos selecionados após essa análise e decidir-me conforme o meu ouvido, as necessidades e o preço. Na realidade espero que as colunas durem mais que 4/5 anos, alias o mais provável é que durem pois eu também sou cuidadoso com o material, mas lá está o seu baixo valor, comparando com as marcas de referência, permite que se não durarem possa comprar outras. É um pouco como os telemóveis, agora pouca gente compra um telemóvel para durar mais que 2 anos (exceto eu que é até partir ou não funcionar mais ), se comprares telemóveis daquelas marcas mais acessíveis mas com qualidade, tipo Xiaomi, vais ter um equipamento que te serve perfeitamente e permite quase tudo como os topos de gama mas a metade ou menos do valor. Mesmo que tenhas o azar do Xiaomi dar o berro podes comprar outro novo e mesmo assim fica mais barato que ter comprado apenas um iPhone, com a vantagem que o novo Xiaomi sendo mais recente já trás outras mais valias. De qualquer forma em termos de qualidade de som, potência, peso, e preço estou contente com as colunas, sei que não são umas Yamaha DXR, mas custaram metade, e as Yamaha não têm o dobro da qualidade. Lá está é esperar que a fiabilidade seja boa. Não sei como foi o teu caso, mas se calhar quando compraste as Raven sabias da sua qualidade sonora mas também não saberias da sua fiabilidade.