André da Telé

Membro
  • #Conteúdo

    5580
  • Registado Em

  • Última Visita

  • Feedback

    100%
  • Reacções ao conteúdo

    0

Reputação

28 Reputação Boa

Sobre André da Telé

  • Aniversário 12-04-1991

Informação de Perfil

  • Género
    Masculino
  • País
    Portugal
  • Cidade
    Abrantes/Almada
  • Instrumento
    Guitarra

Quem visitou o meu perfil

4156 visitas ao perfil
  1. São boas cordas! Tenho umas na clássica agora.
  2. Já tive vários, no entanto o Vintage Reissue é o que mais gosto e uso. O opamp tanto faz se é ou não o LM308 (aliás, já o pus num que trazia o OP07 e sinceramente não o achei melhor). Mas uma mod que gosto é substituir as resistências R7 e R8 por trimpots (http://homemadefx.web.fc2.com/Rat.gif). Dá para alterar a característica da distorção - mais ou menos graves, mais woolly, mais trebly.
  3. Desventrar, um Rat no máximo com o Filtro a condizer. Feito.
  4. Não. Tenho curiosidade, mas acho que é uma coisa que não iria gostar muito. Em termos de cordas na clássica, tenho andado a experimentar conjuntos diferentes, mas no sentido oposto às carbono, ou seja, mais mellow. D'Addario EJ30 (rectificadas) - o toque é definitivamente uma coisa que necessita de habituação, e existe sempre um ligeiro 'ruído' ao toque. Gostei delas, mas acabei por pô-las na clássica mais barata para experimentar umas Augustine. Augustine Classic Red - os agudos são de facto mais redondos, mas acho que no geral a corda 'quebra' mais cedo, em termos de volume. Os graves são ok, mas passado um mês e pouco (não tenho tocado assim muito, 3-4h por semana) começo a desgostar do som dos agudos. Soam 'baratos'. De notar que não gostei nem de uma nem de outra em strumming. Soavam francamente mal. Amanhã devo trocar as Augustine por umas Hannabach 800MT, que já não experimento há uns anos valentes, mas das quais fiquei com muito boa impressão. Se não gostar volto à base, D'Addario EJ45. Para a acústica de cordas de aço, tenho curiosidade em experimentar umas 80/20 Bluegrass (light top, medium bottom) da D'Addario.
  5. Fanboy alert:
  6. isto preenche os requisitos?
  7. http://instagram.com/p/yQLPz2oTEh/
  8. Yup. Infelizmente não encontrei distribuidores cá, e tive de arriscar. Pelo preço não arranjava nada tão bom cá, apesar de ter sido um pouco às cegas. Comprei na Moloney Music (Irlanda). Excelente atendimento. Não tem graves a montes, mas tem um som bonito. Obriga-te a trabalhares a técnica de mão direita se quiseres baixos mais presentes. Qualquer dia gravo qualquer coisa. , essa Martin é linda!
  9. Pois, eu também tenho uma série de Behringers, duas cópias do VB-2, FZ-2, PN-2, do Slow Gear e curto deles todos. Já tive o vibrato e o fuzz na board e sempre se aguentaram à bomboca. Os outros dois é que são muito fracos.
  10. Tenho lá um em casa, apesar de não ser meu. E é muito mau. Ruído a montes. E o mesmo para o reverb azul deles. Não sei se são só aqueles que são maus, se há bons exemplares. No entanto, são os únicos pedais da Behringer que tenho que não gosto.
  11. Relativamente a cordas de nylon, acho que as D'Addario Pro Arté são cordas muito boas. São equilibradas e muito consistentes. Mas claro, é uma questão de preferência - por exemplo nessa Taylor, que não tem o formato de uma guitarra clássica, não te sei bem dizer que tipo de cordas te recomendaria. Eu aqui há tempos precisava de uma corda ligeiramente mais quente (de nylon), e então experimentei as rectificadas da D'Addario. Não desgostei, apesar de não ser fã do som delas em corda solta (já em registos agudos são muito porreiras). Mas agora que a guitarra voltou a "abrir" vou voltar ao nylon não-polido, e devo experimentar umas Augustine, ou então Hannabach, que também gosto muito. Boas guitarras! Pessoalmente, os formatos O, OO ou OOO são me mais agradáveis à vista, e tendo uma O acho que no futuro investirei numa OO.
  12. Nos últimos tempos tenho-me dedicado mais às acústicas, voltando às origens, por assim dizer. Comprei uma de cordas de aço (single O, 12 fret) - as únicas que cá tinha em casa eram (são) clássicas, e um guitalele. Aqui estão duas delas: (Alhambra 7P e Recording King RP-06) De qualquer das maneiras, deixem aí as vossas meninas (clássicas, alaúdes, archtops, ukeleles, etc) e GASes que tenham - que seja este o ponto de encontro de um fórum maioritariamente eléctrico [emoji14] Deixo um primeiro debate: preferem 80/20, phosphor bronze ou 85/15? Tenho usado umas 85/15 da D'Addario e não desgosto.
  13. Fico mais descansado. O gajo tem-se tornado cada vez mais no meu guitarrista/artista preferido. O Heigh Ho roda aqui, religiosamente, todos os dias
  14. Alguém daqui conhece ou já ouviu Blake Mills? O gajo foi guitarrista de sessão de carradas de bandas, e tocou com tanta gente (desde Lucinda Williams, Fiona Apple a Julian Casablancas, Dawes) que é provável que já... Esta primeira música se calhar vai mais ao encontro da cena Alt Country/Folk (?) Esta é ele a dar-lhe no muitíssimo bom gosto e slide. Esta mostra um bocado as influências sul-americanas dele.
  15. É uma cabeça que já foi um combo. Uma espécie de projecto de restauro. Actualmente tem uma EF86 e uma 12ax7 no pré, com um par de 6L6 no power. Em baixo disso é uma 1x12".