hypermnesium

Membro
  • #Conteúdo

    1925
  • Registado Em

  • Última Visita

  • Feedback

    0%

Tudo postado por hypermnesium

  1. Ajuda - Como iniciar-me no vinil?

    O teu amp tem 70watt por canal a 4ohm, não tens que te preocupar que elas rebentem, elas supostamente são de 75watt a 6ohm.
  2. Ajuda - Como iniciar-me no vinil?

    Não há nada manhoso na promoção. Há modelo novo e há stock para ir limpando. Esta loja vende muito mesmo, comprei lá quase tudo que tenho de hifi e tem bons preços e fazem boas ofertas/promoções. Lê um pouco sobre a Q-Acoustics, prémios e reviews... Eu tenho dois pares desta marca e não posso estar mais contente, para o preço que tem, não tem concorrencia.
  3. Ajuda - Como iniciar-me no vinil?

    https://www.supersonido.es/p/qacoustics-3020-gr Não inflaccionaram, sairam os modelos novos e algumas lonas estão a despachar o stock. Estou em espanha mas esta loja acho que envia para Portugal.
  4. Ajuda - Como iniciar-me no vinil?

    Este post perdeu-se no meio da discussão. Dá uma vista de olhos ás Q-Acoustics 3020. São bastante boas para o preço (tenho umas e estou satisfeito) e custaram-me novas 160€. Sei que passam do orçamento mas vale a pena gastares esse extra. @Faz Tudo Não se consegue de forma alguma nos teus posts identificar o gira discos mas tendo em conta a marca, é material fraquinho. Ok, não queres estar a gastar dinheiro e por aí fora, completamente ok com isso, o único que te digo é, arriscar a vida dos discos num giradiscos manhoso é má política. Estás a desgraçar discos que valem mais que o próprio gira-discos. Nos usados, já vi uns quantos gira discos bastante interessantes por 50€ a 100€, nestas coisas mais vale investir um nadinha mais e preservar o disco, que ir ao barato e arruinar o que realmente pode ter valor.
  5. Baixo Warwick

    Eu honestamente não gosto dessas séries da RB, esses braços são estupidamente incómodos e são baixos com tendencia a neck dive. Eu não compraria mas se experimentas e gostas, força nisso, cada um tem os seus gostos e preferências. Nesta gama eu prefiro os Yamaha e os Squier (mesmo os affinity que são fraquinhos mas cómodos).
  6. Os nossos Hi-Fi

    Dentro da onda do que já se faz noutras secções, achei que seria engraçado ver o equipamento que cada um tem lá em casa. Aqui está o setup que tenho montado lá em casa: Prato Rega RP1 + Performance Pack Amplificador Marantz PM6005 Leitor Cds Marantz CD6005 Colunas Q-Acoustics 2050i Para ouvir uns MP3 ou outras coisas desde o tablet ou o portátil, comprei um adaptador de bluetooth da Logitech. Infelizmente a sala é pequena
  7. Os nossos Hi-Fi

    Um dos meus objectivos quando vim para Barcelona era um bocado esse, trabalhar, estudar (fazer uns quantos cursos por aqui) e montar um estudiozito. Depois a realidade deu-me uma chapada lol Se bem que ainda tenho um projecto que mais ano menos ano, vou arrancar.
  8. Os nossos Hi-Fi

    @resolectric @tmo Na prática isto já foi um luxo, para celebrar o fim dos dois meses sem trabalho lol Só quero mesmo substituir a UX-1 porque não se dá especialmente bem com o mac, arrumar com o iMac e deixar aqui o macbook no seu lugar e dependendo de como as coisas corram no futuro, eventualmente substituir a denon por um ampzito decente. No fundo isto é só para criar a ilusão que eu tenho tempo de me sentar aqui e gravar qualquer coisa.
  9. Comprei uma Guitarra Single Cut :)

    Que grande guitarra! Quanto á produção ser feita na Indonésia, eu tenho experimentado bastantes baixos da Ibanez feitos na Indonésia e não posso apontar nada á qualidade de construcção. Não vejo especial diferença entre os Indonésios e os Koreanos, a partir do momento em que são séries ligeiramente mais caras e tem algum controle de qualidade, é um bocado indiferente quem controla a máquina CNC. Lembro-me há uns anos se falou que a Ibanez pensava em mudar a fabricação da série Prestige para a lá, pelo menos em alguns modelos, mas não sei se o chegou a fazer.
  10. Os nossos Hi-Fi

    Apanhei uma promoção e aproveitei para actualizar o escritório. Substituí as Denon que tinha por estas Q-Acoustics 3020. Não as testei ainda em condições mas do pouco que deu para testar, é um upgrade interessante. Obviamente soariam melhor noutras condições, com um melhor amplificador, mas ainda assim nota-se uma diferença assinalável. Agora falta substituir a UX-1 por uma Scarlett 2i4 e dou o tasco por encerrado.
  11. Comprei uma Guitarra Single Cut :)

    Há um par de anos experimentei uma ESP destas (podia quase jurar que era este modelo, mas posso perfeitamente estar enganado) e gostei mesmo muito da guitarra. Achei a guitarra estupidamente cómoda, com demasiado bling para o meu gosto, mas depois de 2minutos com ela, já nem me lembrava desse detalhe. Sempre tive o pé atrás com as LTD, todos os baixos LTD que toquei eram muito incómodos e nunca gostei especialmente do som deles, esperava que as guitarras fossem mais ou menos dentro da mesma linha e fiquei agradavelmente surpreendido. Se fosse agora mesmo para uma guitarra deste género, esta estaria definitivamente nos modelos a ter em conta, junto com a PRS SE 245 e com jeito uma Chapman (nunca toquei em nenhuma e tenho muita curiosidade).
  12. saco para pedaltrain novo32 - alternativas

    Tantos fan de cinema de autor... Eu tenho a pedaltrain jr (se não me engano) com o saco da pedaltrain e na verdade não me posso queixar. Não é tão cómodo como o que eu tinha da T-Rex, é verdade, mas nunca tive nenhum problema. PS: Aquilo leva uma espécie de tábua fina em cada um dos lados que dá rigidez ao saco, mas, por outro lado, andar com aquilo ás costas é um bocado incómodo e se acertas com aquilo em alguém nos transportes públicos, não costumam ficar muito satisfeitos.
  13. Os barretes e relíquias do OLX

    Aqui está a primeira vítima das taxas adicionais que o Trump aplicou aos productos chineses. Da China aos EUA, passando pela nossa alfandega...
  14. Os barretes e relíquias do OLX

    Parafusos e aparentemente fogo!! Há partes que parecem derretidas.
  15. Tendências e futuro da música

    Não precisava de comparar o funk aos filmes de super herois e muito menos a mamas... Concordo em muita coisas do que comenta mas falar de falta de originalidade e no fim terminar com uma cópia do Jô Soares...
  16. Uma espécie de Hammond

    Eu referia-me á tampa em si suponho que tenha algum nome, mas não sei qual é. Assim de repente, há alguma coisa decente para um raspberry pi? esconder o raspberry aí, um vst ou qq coisa que lhe valha, ligado a um amp... é capaz de ser um projecto engraçado.
  17. Uma espécie de Hammond

    Gostei muito do resultado final, como sempre, um excelente trabalho!! O que eu não dava para ter jeito, espaço e tempo para fazer umas brincadeiras como esta! Pela forma que lhe deste não creio que funcione, mas ficaria engraçado com uma tampa (não sei como chamar a isto) deste género: Não sei também se seria especialmente funcional...
  18. Guitarra em cortiça expandida

    É uma boa iniciativa? Sem dúvida. Não é mentalidade do bota abaixo, é crítica. Por alguém ter iniciativa, não significa só por si que tenho que elogiar, gostar, estar de acordo... É esta crítica, ou espírito crítico que ultimamente faz muita falta na nossa sociedade. Há muito que vivemos numa época de marketing, á mulher de César não basta ser, tem de parecer. Baseando-me só nas notícias e nas fotos que podemos ver, sem querer entrar na tese em si, não entra isto numa lógica de publicidade enganosa? Ou seja, em primeiro lugar, não é uma guitarra de cortiça, em segundo lugar, não vejo como se reduz em 75% o uso de madeira tal como diz o @ncarmona, em terceiro lugar, tendo em conta onde se usa a cortiça acho complicado usar essa guitarra como protótipo para avaliar as capacidades sonoras do material.
  19. Guitarra em cortiça expandida

    @xtech Acho que ninguém aqui critica a tese de mestrado, apenas a real valia do producto e até que ponto podemos considerar isto como um passo em frente ou não. A questão aqui é, apresenta-se um producto como sendo uma "guitarra de cortiça" e claramente não o é. Se amanhã alguém fizer uma guitarra tipo Les Paul com um tampo em cortiça, podemos chamar-lhe uma guitarra de cortiça?
  20. Guitarra em cortiça expandida

    Não me vou alongar muito porque tenho praticamente a mesma opinião do @tmo. No fundo estamos a falar de uma guitarra com apliques de cortiça. Como sempre nestes casos, se apresentamos o selo "inovação portuguesa" a imprensa come e propaga a lenda.
  21. Octaver

    Boas, Suponho que estejas a falar do m288 não? Por acaso nunca o experimentei mas tenho ideia que o tracking nem é mau de todo. Vou dar a minha opinião sobre os octavers, que obviamente é subjectiva e pessoal. Para mim os pequenos defeitos de tracking e até de reprodução, glitches no som e tal, fazem parte da essência de cada pedal. Por exemplo, um Boss OC2 vs um Boss OC3. O OC3 é polifónico e supostamente tem um tracking melhor mas o OC2 continua a ser uma referência dentro deste tipos de pedal, pelo som específico que reproduz e graças a esses mesmo glitches e problemas de tracking. Quando comparas este pedal ao digitech por exemplo, notas que o digitech é bastante mais "hifi" que o boss. E não digo que isso seja melhor ou pior, simplesmente é diferente e escolher entre um e outro vai depender muito do som que estejas á procura. Eu já percorri alguns octavers e acabei por ficar apenas com o EBS que gosto bastante, é simples e eficaz. Os defeitos de muitos pedais podem muito bem ser "características" mas isto nem sempre se aplica, há pedais que são simplesmente maus. Outro pedal que uso muito, o Line6 Echopark, simula vários tipos de delays e honestamente não o faz com especial qualidade mas tem um par de sons, nomeadamente a simulação de tape que gosto muito, não soa a fita, soa a tape do Echopark Um bom exemplo de como utilizar um pedal e aproveitar os seus glitches. Graças aos vários glitches e problemas de tracking do Harmonist, conseguiu-se este som na guitarra. Resumindo, há maus pedais e há pedais em que os defeitos até são vantagens e tu tens que ver se esses defeitos se adaptam ao som que tu procuras.
  22. LP Studio ou PRS S2 Singlecut

    Lendo o teu post, acho que já fizeste a escolha mas estás á procura de uma justificação lógica para soltar esses 300€ extra da PRS Tu gostaste mais do feeling e da forma de tocar da PRS e se á partida, tudo o que não é passível de ser substituído/melhorado num futuro consideras melhor na PRS que na Gibson, o investimento na PRS está justificado. Além disso, o factor gozo no fundo é o que mais importa, escolhe a guitarra que mais gozo te dê a tocar. Já agora, o @pipes tem muita razão, as LP Studio dos 90's eram realmente tanques, nada a ver com as mais "modernas". Lembro-me de tocar num par de Studio nessa época e de adorar as guitarras.
  23. Fender bassman 800 e bassman 410 neo

    Mas o caso dele pode ser diferente. Entre outras coisas, tens uma limitação de volume com o PF-50T em relação ao Fender que ele escolhey, e mesmo o V-4B que tem bastante mais potência, ainda assim, tem um som bastante característico que pode não ser a onda dele. Eu por exemplo, considero que os Ampeg são amps com caracter mas não seriam nunca a minha primeira opção, mas lá está, gostos e necessidades.
  24. Fender bassman 800 e bassman 410 neo

    Tu vais comprar esse amp usado pelo que eu entendi certo? O que tu podes fazer é ir a lojas, levas o teu amp e testas as cabs. Neste tipo de compras, as pressas são inimigas e a margem para erro em compras ás cegas é grande.
  25. Fender bassman 800 e bassman 410 neo

    Honestamente não as conheço. Mas lá está, experimenta, é um investimento grande para teres como referencia apenas o que comentam online. Até porque temos gostos diferentes