Mr. Smith

Membro
  • #Conteúdo

    919
  • Registado Em

  • Última Visita

  • Feedback

    100%
As minhas Músicas Preferidas

Reputação

0 Reputação Neutra

Sobre Mr. Smith

  • Aniversário 16-07-1961

Informação de Perfil

  • Sexo
    Masculino
  • Cidade
    Amora - Seixal
  • Instrumento
    Guitarra

Quem visitou o meu perfil

2692 visitas ao perfil
  1. Monitores de estúdio

    Tenho aqui em casa uma muito parecida mas da Fostex - uma multitracker XR-7 Cumps,
  2. Também aplaudo o teu esforço de evangelização para trazer o pessoal para esta área! Pode ser que me atreva, mas estou como o @pgranadas ler esquemas... Cumps,
  3. Está muito bom este tutorial, ainda por cima soa bem!! Cumps,
  4. Os barretes e relíquias do OLX

    Se for Tokai mesmo que mais recente está a um preço justo se estiver tudo bem com a guitarra.
  5. Acho muitíssimo bem! Não é o pessoal da música que está sempre a mandar vir que os promotores de espectáculos querem que se toque de "borla" ou quase... Antes tocaria para 100 pessoas agora certamente irão uns milhares. O Salvador limitou-se a fazer o qq qualquer um de nós faria... ou não?! Cumps,
  6. Amar pelos Dois (Partitura)

    Obrigado por partilhares! Cumps,
  7. Ok, tudo bem, a mim também me aborrecem generalizações não fundamentadas que foi o que me pareceu que tinha acontecido (desculpa se entendi mal). Também não tenho mais nada a acrescentar a este assunto. Cumps,
  8. Desculpa lá mas isso de culpar o insucesso metendo o ónus no "sistema" para mim não serve. São tantas as variáveis!! Das bandas que citastes " Xutos, Gifts, Moonspells, Abrunhosas, Velosos, Palmas" conheces as suas origens e os seus trajectos para poderes afirmar que não merecem ter o estatuto que possuem? Trabalharem muito para isso e nunca desistirem perante todas as dificuldades que foram surgindo parece-me a resposta mais óbvia. Contemporâneos do Palma, Xutos e Veloso ficaram para trás umas largas dezenas e tiveram todos as mesmas oportunidades na década de oitenta, sei do que falo pois acompanhei o "fenómeno". Agora, Portugal é um mercado pequeno e realmente as oportunidades vão muitas vezes para quem já está estabelecido porque do ponto de vista comercial dão mais garantias. A música é um negócio e quem vive dela não está para perder dinheiro. Pergunta aqui ao pessoal do forum que vive da música se dão muitas borlas? Cabe às bandas que iniciam as suas carreiras lutarem e demonstrarem o contrário. É arregaçar mangas e nunca desistir, começa-se por baixo e não nos Tops de vendas ou com agendas carregadas de concertos em boas salas. Muitas bandas morrerão à nascença, outras já na praia. Nada de novo, no tempo dos Xutos e Veloso também foi assim! Cumps,
  9. Este tema até dava um tópico giro. Estou com o stratocosta, tudo funciona mais ou menos da mesma maneira como ele diz, não é exclusivo do mundo do espectáculo. John10, a escalada para o sucesso é íngreme, só meia dúzia lá chegam. Os nome que referistes na música também terão tido dificuldades no início mas perseveraram nunca desistindo. Também têm mérito e é redutora a tua visão em minha opinião, como a sua única qualidade fossem os "connects". Os que os rodeiam e que referiste, também não é novidade nem são exclusivo do "espectáculo", são os amigos que duram enquanto tiveres por cima. Cumps,
  10. Bom dia! O que é o "círculo" a que se referem? Cumps,
  11. Pois eu gostei muito e também soa a diferente no contexto! Ainda bem que é em PT. Nem consigo apontar grandes defeitos ao tema, sobretudo por comparação com o que se costuma ouvir. Cumps,
  12. Parece óbvio que tocar ao vivo deve ser fundamentalmente para agradar ao público, ou pelo menos ao público que ouve o estilo que tocas. Se não para quê tocar ao vivo? Se o público não gostar não enchem salas nem sequer são convidados para tocar.
  13. Os nossos Hi-Fi

    O melhor será talvez enviar email ao distribuidor para Portugal e perguntar qual o "agente" mais próximo. http://www.audioteam.pt/ Cumps,
  14. Boas! Pensei que fosse mais simples de fazer. Ainda dá algum trabalho! Cumps,