Rui T

Membro
  • #Conteúdo

    2522
  • Registado Em

  • Última Visita

  • Feedback

    100%
As minhas Músicas Preferidas

Reputação

1527 Reputação Brutal

Sobre Rui T

Informação de Perfil

  • Sexo
    Masculino
  • País
    Portugal
  • Cidade
    Lisboa
  • Instrumento
    Guitarra

Quem visitou o meu perfil

3672 visitas ao perfil
  1. Os barretes e relíquias do OLX

    Comigo é o "pondero vender". Então pondera, e quando chegares ao fim põe à venda. Ou não.
  2. Tendências e futuro da música

    Eu não vi o filme, mas a piada original é mesmo do Woody Allen. E acho que era mais antiga do que esse filme. Talvez de um dos livros... Aliás, esse filme não vi, apesar de ter visto muitos filmes dele durante os anos 80 e lido os livros.
  3. Tendências e futuro da música

    Não posso ouvir Wagner. Fico com vontade de invadir a Polónia.
  4. Se calhar devia ter lido isto antes de ter comprado um JD-990 usado... Ainda não o experimentei com um teclado mas gostei dos previews que o equipamento tem. P.S. - Fui experimentar e gostei. mas não muito dos sons internos. Pianos, metais, etc é tudo para esquecer. O que interessa são os pads e as strings. E o meu vinha com o vintage synth expansion board e Strings Ensemble Card e isso é que faz a diferença toda. P.P.S. - Quanto às avarias eu tenho um Korg Prologue e as queixas sobre a fiabilidade são muitas. Já não é o primeiro nem o segundo que se queixa que ao ligar, o synth morreu. E durante sete ou oito meses a afinação do Mi, Fá e Fá# era irregular. Até que corrigiram isso por software. O som é que é muito bom, na minha opinião. P.PP.S - Mas as teclas do JD-800 é um clássico. Estive quase a comprar um, mas não havia sítio nenhum onde não se falasse disso e desisti e fui para o JD-990 que supostamente seria a rack do JD-800. Não é bem, mas serve...
  5. Ergon Guitars

  6. Qual o problema ao fazer som?

    Só uma pequenina correcção ao português: é munição. Monição é um termo do Direito Canónico relativo a um aviso judicial emitido por um bispo. Fonte: Ciberdúvidas
  7. Taxas Alfandegárias - Ebay EUA

    Acho que esse valor de 30% é adequado. Sempre usei esse valor e só da última vez é que não bateu certo, porque agora os CTT cobram uma taxa de apresentação à alfândega de 12 euros e num pedal é significativo. Mas atenção que esse valor é sobre o equipamento mais o transporte. Verificaste se esse pré é a 120V ou 240V? Se fôr a 120v vais precisar de um transformador.
  8. new GAS

    Mas eu já tenho quase 52 anos, não tenho assim tanto tempo para esperar... E sim, um CS80 com um preço acessível era a p*** da loucura!
  9. new GAS

    O problema é que está tudo atrasado. O único que já saiu foi o o VC340. No MS101, o MDI não funcionava nas primeiras unidades e agora só há entrega para Julho. O Crave é só para Outubro. O Odissey não se sabe. O OB-Xa (?) - é um clone do Oberheim - já está em projecto há quase dois anos. A RD-808 estava programada para Março, estamos em Junho e nada. O DS-80? Lá para 2022... digo eu... Por enquanto acho que me vou atirar a um Prologue - agora que já afina, demoraram só 7 meses a resolver o problema - e a um Blofeld.
  10. GAS por AMPS

  11. new GAS

    O amp não conheço mas tenho um G3 e é um grande pedal!
  12. Guitarras estranhas

  13. Os barretes e relíquias do OLX

    Claro! Já o Billy Corgan tinha chegado a essa conclusão... https://www.guitarworld.com/news/billy-corgan-paint-color-actually-changes-the-sound-of-a-guitar A mim parecem-me ser do final dos anos 60 - princípio dos anos 70.
  14. Eu fui lá ontem à tarde e acho que fui na melhor altura porque houve um workshop de improvisação jazz que rapidamente se transformou numa conversa animada com o Nuno e o Sandro (nunca me lembro dos últimos nomes), e foi muito bom. A explicação para não haver mais guitarras do Adriano, e provavelmente dos outros, é que normalmente eles só têm para expôr as últimas obras porque são feitas de encomenda - que é o caso daquela que lá estava que é uma barítono - e por isso é que o neck é bastante grosso. Eu já tinha tocado nela quando foi entregue ao dono - que a baptizou de "Juicy Lucy" - e para mim também não dá. Aliás ontem estava lá a acústica que o Adriano está a acabar. Mas senão tivesse assitido ao workshop tinha a mesma opinião que vocês. Realmente eram poucas guitarras. Um dos amps boutique é o amp do Simon, que trabalha na Guitar Rehab na parte electrónica, e foi ele que fez. O outro era um Apache, o mais pequeno.