phillipric

Membro
  • #Conteúdo

    1275
  • Registado Em

  • Última Visita

  • Feedback

    0%
As minhas Músicas Preferidas

Reputação

155 Reputação Excelente

Sobre phillipric

  • Aniversário 12-11-1984

Informação de Perfil

  • Sexo
    Masculino
  • País
    Portugal
  • Cidade
    Póvoa de Varzim
  • Instrumento
    Piano/Orgão
  1. Se alguém já usou, como funciona a opção bluetooth do Roland? A app dará para usar qualquer partitura que queiramos, inserir PDF, etc? Dará para virar a página usando o pedal? E se estivermos a usar o pedal para expressão, como resolve? Achei que a questão do bluetooth podia ser interessante e um ponto extra a favor do Roland, mas se não servir para o que pretendo, será mais para enfeitar do que outra coisa.
  2. Amps de baixo...

    Parece que havia um qualquer transistor de 3 pinos em que 2 estavam partidos. O meu sogro disse, no entanto, que esse esquema não era o do amplificador, dado que o do meu baixista só usa uma válvula no pré e no esquema surgem 2. Já reparei em pesquisas que há 2 modelos um com uma caixa preta e outro com uma caixa cinza claro... mas acho que a designação é igual.
  3. Mas se calhar irei optar pelo Roland por isso mesmo. Em live, o que se pretende não é o mais acústico possível. E é como os Roland me soam. Como um som já processado que se ouve numa música pronta.
  4. Dúvida de Ligação de Baixo ao AMP

    Hummm.... a DI não faz somente de DI. Tem Drive, Presence, blend, bass e treble. A DI do AMP é só saída. O uso é ao vivo.
  5. Dúvida de Ligação de Baixo ao AMP

    Pessoal, como aconselham ligar o seguinte material: Baixo G& L 2500 DI Behringer V-tone Bass Bdi21 AMP Hartke HA3500 De momento, está a ser ligado do baixo à DI, da DI ao amp e da DI do próprio AMP para a mesa. No entanto, em conversa com um user deste espaço, ele disse que seria melhor ligar do baixo ao AMP, do AMP à DI e da DI do próprio AMP (ou effect send) à mesa de mistura. O que sugerem?
  6. Amps de baixo...

    Há cerca de 2 anos o meu sogro abriu o amp e disse que não viu nada de anormal, nenhuma resistência escurecida, nenhum condensador empolado, visualmente estava tudo bem. No entanto, continua a parecer-me que o som não está bom, por isso, lembrei-me da questão da válvula. Obrigado pela dica. Vai dar jeito, bem como o esquema.
  7. Coluna + Amplificador (Combo) da conhecida marca EDEN Nemesis, versão N12. O combo tem muito pouco uso, está devidamente acondicionado com capa de protecção que vai de oferta, embora a mesma esteja um pouco danificada, cumpre na perfeição a sua função. Amplificador de 150W. Neste momento encontram-se separados e ofereço a caixa onde o amplificador está acondicionado ou poderá ir tudo numa peça só. Negócio realizado em mão por forma a verificar o perfeito estado do material. Zona de Póvoa de Varzim. Valor fixo com entrega em mão. Envios serão feitos após transferência bancária do valor de portes e despesas de acondicionamento. Qualquer dúvida, basta entrar em contacto.
  8. Amps de baixo...

    Não sei se é o local mais adequado, mas cá vai. O baixista da minha banda tem um AMP Hartke HA3500 e está a usar com um combo de uma EDEN de 15" e uma Hartke 210XL. Anteriormente usava uma EDEN de 12" dual-cone. A questão é que o AMP parece estar a fazer um ruído de vez em quando, tipo "estalar". Também acontece as luzes do equalizador estarem ligadas, apagarem e voltar a ligar passado algum tempo. Nesta questão, sendo chata, não me parece interferir com o som, mas o resto, parece-me mesmo que existe um ruído residual e aquele "estalar". O que me lembrou é que, acho que o amp tem uma válvula, certo? Pergunta de quem não sabe: Uma válvula pode começar a ficar "cansada", ou seja, mesmo sem estar avariada já não cumprir o seu papel? Já agora, seria possível encontrar o esquema eléctrico e da placa deste amp?
  9. Eu estou na dúvida, mas entre sons muito similares (o Roland parece-me mais brilhante que o Yamaha mas com uma terminação nos graves mais natural), estou mais inclinado para o FP30. Visualmente também parece menos "brinquedo" que o Yamaha.
  10. Curioso que tenho uma ideia inversa. Embora, pelo menos na gama Arius da Yamaha, também acho que o som não faz jus à qualidade habitual da Yamaha. A Roland, em Samples de Piano tem a sua qualidade. No final, acaba também por ser uma questão de gosto pessoal.
  11. (TESTE) -Teoria Musical - Nível 1

    Acabei de fazer este teste. A minha Nota: 100/100 O meu Tempo: 108 segundos
  12. Roland Fantom X6

    Tendo contactado com o apoio da Roland, recebi esta informação: For the management of several parts on different midi channels, it needs a MASTER KEYBOARD with a ZONE number above 2. O que significa a questão do teclado precisar de um número acima de 2... suponho que Zone não se traduza por zona...
  13. Roland Fantom X6

    Não sei se há cá utilizadores com Fantom X, mas deixo a questão (já tinha deixado no tópico dos Pianos mas aqui fica mais enquadrado): Estou a ponderar, para o futuro, a possibilidade de comprar um Stage Piano. Está dependente de conseguir uma configuração com o Fantom ou não... A minha ideia, seria ligar o Fantom por Midi a um controlador de 88 teclas e usar os sons das Layers nas Performances em que 1 ou 2 sons seriam tocados pelo Controlador e os restantes no Fantom. Consegui ligar um outro teclado para experimentar, mas só consigo configurar a primeira Layer para o controlador e as restantes para o Fantom.
  14. Novo, sempre que possível. Não se sabe o uso que um usado levou, em que estado já estará o teclado. Na escola temos um Clavinova e as teclas estão a empenar todas e algumas a já não reproduzir o som. Tem 8 anos, claro que de uso intensivo. Mas nada dura para sempre... logo...
  15. Não ia para o Arius, sinceramente. Dentro dos apresentados, o P45 pelo compromisso qualidade/preço, o Clavinova ou o HP3. Tenho já há um bom tempo um HP2 e gosto do teclado e do som. Não sei se ainda mantém. Não tinha grande conhecimento da marca, mas os Kawai também devem ter sidos em conta e a Korg também está a aparecer com modelos muito interessantes. Já agora deixo a questão, estou a ponderar, para o futuro, a possibilidade de comprar um Stage Piano. Está dependente de conseguir uma configuração com o Fantom ou não... A minha ideia, seria ligar o Fantom por Midi a um controlador de 88 teclas e usar os sons das Layers nas Performances em que 1 ou 2 sons seriam tocados pelo Controlador e os restantes no Fantom. Consegui ligar um outro teclado para experimentar, mas só consigo configurar a primeira Layer para o controlador e as restantes para o Fantom. Caso não consiga fazer isto, irei para um Stage Piano, onde ainda estou à procura de um compromisso qualidade/preço e Peso... kkkkkk O Sutiologic pareceu-me cumprir um mínimo desses requisitos... mas o piano poderia ser um pouco melhor, sem dúvida. De resto, ainda não tenho nada na ideia.