goatboy

Membro
  • #Conteúdo

    138
  • Registado Em

  • Última Visita

  • Feedback

    N/A
  • Reacções ao conteúdo

    128

Tudo postado por goatboy

  1. Sim, o pessoal não tem noção do exagerados que os graves estão nos phones normais até ouvir com uns de referência. Mas mesmo assim, já comparei com os que um colega meu usa para mistura (são uns shure, já não me lembro do modelo) e continuo a achar que os graves dos akgs ficam um pouco aquém. Não é nada de dramático, mas o que acaba por acontecer é a minha primeira mistura sair sempre com um pouco de baixo a mais. Depois tenho de rodar uns quantos phones e colunas até afinar a coisa, mas suponho que isso seja o pão nosso do engenheiro de som.
  2. Eu tenho esses AKG. São porreiros em termos de definição de som e muito neutros. A única coisa que sinto que não está tão lá são os graves, que me parecem um pouco anémicos.
  3. Não consigo gostar. O tema, apesar de soar bem, é quase copy paste das baladas dos 50's e o Salvador não é propriamente um talento que consiga sacar uma coisa destas sem roçar o foleiro. Dito isto, não podia querer saber menos do festival da eurovisão.
  4. Opa, são reis de reinos diferentes eheh
  5. Com o rei do riff é claro. Keith Richards
  6. Eu tenho aí uma em casa ainda à espera de fundos para um upgradezito nos picapaus. O braço é largo mas é relativamente fino, para mim é confortável. Os pickups realmente não são a melhor das coisas e um potenciómetro saltou com muito pouco uso. Fora isso...
  7. Pois... sinceramente entristece-me ver o pessoal a fazer ups sucessivos no mesmo anúncio sem ninguém responder. É como disseram aí há uns tempos noutro tópico, quando um gajo anda à procura de pessoal para tocar não há ninguém, quando há um concurso qualquer da edp caiem todos que nem moscas. Bem sei que às vezes é complicado encontrar alguém se identifica especificamente com a nossa visão, mas também acho que os músicos têm um bocado medo de arriscar e experimentar cenas novas e no geral podiam ser mais abertos musicalmente. Uma vez toquei numa banda de funk apesar de não ter nenhum experiência no estilo e foi das coisas mais divertidas que já fiz. Eu não sou do Porto mas se fosse juro que respondia ao anúncio.
  8. Esse burst tem muito bom aspecto! A sterling para os musicman é como a squier para a fender? Não sabia que existia. Da musicman o que me dá mais GAS ainda são os amps
  9. Epa nada mau mesmo. O preço parece-me bem para o que é. Tenho de ver mais uns demos mas é um sério candidato ao próximo gas.
  10. Eu gosto muito dessas bandas, principalmente Boris e Mono, mas isso é post rock, post metal, noise rock ou o que lhe quiseres chamar. Quando oiço falar em J-rock penso naquele pessoal que parece que saiu de uma anime, ou então cenas tipo babymetal, onde há sempre um factor kitsch envolvido (ou pelo menos para nós, ocidentais lol). Corrijam-me se estiver errado, mas acho que o termo J-rock não se refere apenas à nacionalidade das bandas.
  11. Confesso que nem tinha pensado nisso. A correia realmente não é de grande qualidade, é uma daquelas de nylon esfarrapado que já tenho há séculos. Recomendas algum tipo específico para este tipo de problema? Cabedal se calhar? A minha SG sofre do mesmo mal e já agora dava jeito saber
  12. Depois de uns dias passados com o eastwood.. A minha opinião é que soa bastante bem e é confortável de tocar mas o setup que trazia era muito mauzinho. A acção estava muito baixa o que provocava muito fret buzz. Fiz um pequeno ajuste à truss rod e o buzz reduziu logo, mas com mais tempo e paciência ainda pode ficar melhor. Não será o baixo mais versátil do mundo mas tem muito mojo para tocar um rock à antiga. Outro ponto negativo é que tem tendência a nose dives, talvez um dia venha a trocar o local de encaixe da strap para outro com mais estabilidade. Os picapaus são p-90s e respondem muito bem ao potenciómetro do tone, nada a apontar nesse aspecto. O volume no entanto parece que está todo no primeiro terço do botão.. dos 7 até ao 0 parece que não faz grande diferença. Sendo um b-stock vinha com algumas marcas junto à cover da ponte, mas nada que se veja sem estar à procura.
  13. Depende do que estiver a acontecer no momento. Se estiver a gravar alguma coisa ou a ensaiar para algum gig, o foco vai estar nisso. Se não houver nada de concreto para fazer, é pegar no bacalhau e jammar com o looper até fartar. Às vezes são 20 min outras vezes 2horas.
  14. Confesso que pensei em participar neste, mas acabei por me esquecer. A vontade também não era muita lol
  15. Yep é Eastwood! Também gosto muito desse modelo.
  16. Não sei se foi a decisão mais racional mas mandei vir uma coisa destas. Não é mosrite, claro.
  17. Não consigo dizer a minha banda favorita, quanto mais a música. Sou parcial por isto, mas amanhã pode ser outra coisa qualquer.
  18. O mojo também tem preço
  19. Não sei bem como é que aquilo pode funcionar, mas me gusta.
  20. Não concordo que seja um passo atrás porque surge em reacção a certas tendências que, para mim, também não seriam o caminho certo. O punk tem a ver com expressão e intensidade, e não com tecnicismos. O blues, que suponho que gostes, é a mesma coisa, só que num registo diferente. Os tipos tocam sempre a mesma progressão e usam sempre a mesma escala! Tem a ver com feeling e mais nada. A música não deve ser isso mesmo, qualquer que seja a sua forma? Isto também é só a minha forma de ver as coisas, nestes assuntos não há verdades absolutas.
  21. Eu até curto de cheap trick, tem boas canções. O gajo é cromo mas não se deixa levar demasiado a sério. As guitarras estranhas com vários braços é só para alimentar a personagem dele em palco, e acho que há muito humor ali envolvido. No beef, e também não sou grande fã de sex pistols, só por curiosidade, qual é a tua opinião acerca do punk rock no geral? Também consideras ramones, dead kennedys, e todas essas bandas mais rudimentares uma nulidade musical?