goatboy

Membro
  • #Conteúdo

    113
  • Registado Em

  • Última Visita

  • Feedback

    N/A
  • Content Ratings

    94

Tudo postado por goatboy

  1. Há quem faça as coisas diferente e bem. Estas travis bean têm muito bom aspecto. Nunca experimentei mas já ouvi dizer bastante bem dos braços de alumínio.
  2. Acho que está na altura de me submeter à critica aqui do forum. Ainda estou muito verde na parte da gravação/mixagem, mas digam da vossa justiça. Coisas a melhorar, insultos, qualquer coisa Já agora.. como é que se insere o player do soundcloud? O embbed deles não está a resultar para mim.
  3. Concordo. Confesso que ainda não perdi muito tempo com o som da bateria. Apercebi-me que antes de começar a gravar nunca tinha prestado muita atenção aos sons da bateria.. Isto deve ser defeito de guitarrista. Nem tudo são tones de guitarra! Por acaso foi intencional ter enterrado os solos um pouco na mistura. Não gosto muito de momentos de "pára tudo, vou solar", gosto mais quando um solo encaixa na música como um riff ou uma melodia diferente. Mas sou capaz de ter exagerado Os solos também precisam de um pouco mais de trabalho. Gravei qualquer coisa só para ficar com as estrutura completa, com a ideia de melhorar depois, mas até gostei da energia do solo final. Obrigado pelos comentários pessoal.
  4. Ya. É muito boa cena também. Casa muito bem com uma LP/Marshall.
  5. @John10 Uso o firefox. Mas agora já aparece a faixa. Go figure. @xtech Thanks! É um fender fm gravado com um sm57. Não é o setup mais cool do mundo mas desenrasca
  6. O TS é o meu drive favorito, mas não sei se será a melhor aposta para palm mutes tight. Não tenho grande experiência com os outros, só com o boss. É porreiro e não desilude mas não é um pedal muito divertido. É mais um cavalo de trabalho. Já tive um mxr que acho que se encaixa bem no estilo que referes. Sai um bocado do budget, mas se quiseres investigar o MXR FET Driver...
  7. Realmente squier parece ser o mais seguro. Há algumas marcas brancas que sinceramente não sei se valerão a pena. Não me convinha era esticar muito mais por acaso. https://www.thomann.de/pt/fender_sq_jaguar_special_ss_bk.htm?ref=prod_rel_307573_1 Estes são short scale mas até têm bom aspecto e um preço simpático. Alguém tem alguma experiência com isto?
  8. Por falar em preço... Recomendam algum baixo para quem tem budget apertado? Máximo de 250/300€. Gosto muito do estilo do jazz bass. p-bass e essas coisas.
  9. Eu n preciso de mais um reverb mas isso está a dar-me gases
  10. Eu também fico a olhar para os ficheiros dos prozões como um burro a olhar para um palácio. Se tiver mais de 5 elementos na mix já estou a lutar para que as coisas não se estejam a atropelar. E em relação a plugins.. não consigo usar muito mais para além eq e compressão.
  11. Já ando a micar as reverend há uns tempos..
  12. O gas é uma constante da vida.
  13. A mim dá-me GAS.
  14. Ele agora anda a tocar com o que resta dos grateful dead (dead & company) e tem usado PRS. Confesso que até não desilude e eu já estava com vontade de dizer mal .
  15. Ainda hoje estive a ver esse dos queens. Muito fixe
  16. Este. Tens ali uma secção de busca de músicos.
  17. Isso era do tempo em que o stereo ainda não estava completamente desenvolvido e estavam ainda a experimentar com a coisa. Do que eu entendo do assunto, e alguém corrija se estiver errado, os beatles durante grande parte da sua existência gravavam em mono e depois mandavam os instrumentos, para a esquerda direita ou centro para criar uma ilusão de stereo. Hoje em dia rodas um botão e consegues por o instrumento com uma posição mais ou menos natural, mas naquela altura era difícil evitar estes extremos. Por isso é que do phone direito vai sair uma coisa e do esquerda outra completamente diferente.
  18. Toquei uma vez com uma strat que tinha levado uns SDs e pareceram-me ter mais volume e ser mais redondos. É um som mais equilibrado, mas perde-se um bocado da stratyness. Eu prefiro os que vêm de stock na fender AM, mas é só a minha opinião, há de depender do gosto de cada um. E como o deadpoet disse, na seymour duncan tens mil e uma opções de escolha, é difícil dizer se são bons ou maus, quando há para todos os gostos .
  19. Não sou fã do acabamento, mas o p90 no braço é um bom toque. Também lhe dava.
  20. @pgranadas Eu não percebo muito disto, mas a interface não funciona já como DI? Tinha ideia que poderia ligar directamente a guitarra. EDIT: Não tinha lido a resposta acima. Sry. Enfim mais GAS para a lista
  21. Penso que sim. Uso uma focusrite 2i2.
  22. Eu também ando numa de cenas para gravar. Comprei recentemente um SM57 e uns phones. Em termos de gear para guitarra... tudo o que seja acima dos 150€ compro usado
  23. Deve haver uma manha qualquer escondida porque não consigo sacar um som usável no amplitube. Uso às vezes para arranjos e efeitos, mas só isso. Não sei se é psicológico ou não, mas noto uma diferença. Por outro lado, já tenho ouvido coisas gravadas digitalmente que, bem mixadas, soam bem. Go figure.
  24. Hoje em dia não se ouve música da forma correcta, mas a música que se ouve também tem os mesmos contornos. Pelo menos no mainstream, a música é um produto, para passar como ruído de fundo no centro comercial. As tão faladas loudness wars até vêm daí, de tentar fazer a música soar mais alto nas colunas ranhosas da H&M. Se não haver algum interesse especial pela música, vontade de procurar, saber e estudar, o que vai chegar até ao dito cidadão comum é algo já mastigado e sem sabor - o que também não vai gerar interesse para procurar mais. Sempre houve muita porcaria nas rádios, mesmo nos 60's e nos 70's, mas também havia coisas brilhantes que ainda hoje ouvimos. Será que vamos ouvir alguma coisa do que passa numa rádio genérica daqui a 50 anos? Tenho as minhas dúvidas.