miguelmatos

Membro
  • #Conteúdo

    12
  • Registado Em

  • Última Visita

  • Feedback

    0%
As minhas Músicas Preferidas

Reputação

7 Reputação Neutra

Sobre miguelmatos

Informação de Perfil

  • Sexo
    Masculino
  • País
  • Instrumento
    Baixo
  1. (TESTE) - Rock em Portugal

    Acabei de fazer este teste. A minha Nota: 60/100 O meu Tempo: 73 segundos
  2. Antes de mais, obrigado pela partilha deste artigo. Eu pessoalmente discordo deste título: "The slow, secret death of the six-string electric. And why you should care." Para mim o título deveria ser " The slow, secret death of the six-string electric. And why you shouldn't give a shit about it." Interessa para alguém que a grande indústria da guitarra esteja em decadência? Tendo em conta os tempos em que vivemos a resposta é Não. Porquê? Nos tempos em que vivemos, com as novas tecnologias, há uma exposição enorme à música: compra-se música com um clique, "vê-se"/ouve-se música no youtube em formato de concertos, clips e até albuns completos, há serviços de streaming, um mundo infindável de canais gratuitos dedicados à educação musical, uma quantidade infindável de material disponível sem qualquer custo, para não falar das variadíssimas opções a nível de orçamento quando se vai comprar um instrumento. Quero com isto dizer que nunca a música esteve tão disponível e alcançável a qualquer pessoa do mundo. E isso nota-se na música feita atualmente: existem estilos para todos os gostos, experimentalismos para todos os gostos... etc. É mais difícil selecionar o que se quer pôr no leitor de mp3 do que propriamente procurar. Se a guitarra elétrica já não tem lugar central neste novo mundo, paciência. Não me tira sono porque sei que hoje mais do que nunca a música é bastante acessível e nunca houve tanta liberdade para os músicos criarem. Se os músicos de forma individual e pessoal começaram a valorizar outros tipos de instrumentos e ideias músicas, tem é que se respeitar. Para mim não há vacas sagradas Cada um de nós deve preocupar-se em fazer e tocar o que nos dá prazer, mesmo que isso seja tocar instrumentos que não estejam na moda como Cravo
  3. Iniciante - diferenças entre baixos / o que comprar

    Concordo plenamente com isto que @xtech disse O problema não é o instrumento ser feito na china ou onde quer que seja. Há muitos instrumentos a serem feitos em países asiáticos com qualidade boa e excelente. Tem a haver com o facto de os componentes do instrumento serem muito foleiros, o que faz do instrumento um pau com cordas. E assim é difícil sentir-se prazer a aprender um instrumento. O melhor baixo de relação preço/qualidade é, de longe, o Sire V7 (Marcus Miller), que consegues comprar novo a partir de cerca de 400 €. Abaixo disso tens os Squiers da Fender. Numa gama muito baixa tens os Harley Benton, que me parecem merecer também uma oportunidade https://www.youtube.com/watch?v=PvtEdap74cA ou https://www.youtube.com/watch?v=_mKDDAZmBtk. Com boas cordas e com um bom setup, estes baixos não te deixam mal. Quanto a amps, eu compraria um pequeno combo de 10W ou 15W, que é perfeito para ensaiar em casa sem chatear os vizinhos e que pode ser usado em pequenos concertos com acompanhamento acústico, ou pelo menos sem bateria. Warwick BC10, Fender Rumble 15, Hartke HD 15... Ficas bem servido. Eu pessoalmente tenho o Warwick para praticar em casa e estou muito satisfeito.
  4. Piano de ouvido

    Bem-vinda! Eis as minhas sugestões. Toca piano todos os dias. Tenta aprender músicas novas todas as semanas. Depende apenas de ti transformar o sonho realidade ou deixar o sonho esvanecer. Ouve música que te inspire todos os dias. A música não está nos dedos ou nas mãos, está na cabeça. Aumenta o teu vocabulário musical ouvindo muita música e de diferentes estilos. Se achas que precisas de aprender a ler pautas para progredir investe num professor que te ensine a ler pautas e teoria musical. O resto virá naturalmente.
  5. apresentação

    Bem-vindo João! Bons sons!
  6. Apresentação

    Bem-vindo Miguel!
  7. Apresentação

    Bem-vindo Pedro!
  8. Apresentação

    Bem-vindo Luis!
  9. Luis, antes de mais parabéns por teres seguido o teu sonho e ambição na música. Isso é acima de tudo motivador para quem tem o mesmo objetivo. Contudo acho que as alternativas possíveis não abrangem o teu caso. Porque, pelo que escreves, não vives em abundância, mas também não vives em dificuldades (parece-me). É que se as alternativas fossem: "ser músico, vivendo de forma remediada ou ter outra profissão que permita uma vida mais abastada e ir fazendo música nos tempos livres?", diria que a minha resposta seria a opção 1. É que para mim viver com dificuldades é não ter dinheiro para necessidades básicas (casa, comida...). Não sei... Se calhar tou a levar a questão demasiado literal
  10. Na minha opinião acho que é mesmo por aqui. É muito difícil escolher a opção 1 porque viver com dificuldades não é sinónimo de felicidade e a busca pela felicidade está na base das nossas escolhas no dia-a-dia. Por outro lado é possível viver da música mas é preciso ter-se noção de que é um trabalho exigente para se ganhar algum dinheiro: é preciso saber-se fazer um pouco de tudo, viajar muito, ter uma boa rede de contactos, ter diferentes projetos, etc etc... Mas quem corre por gosto não cansa.
  11. A minha apresentação

    Olá malta, O meu nome é Miguel, tenho 29 anos e sou baixista (apesar de tocar um pouco de tudo). Inscrevi-me no fórum para estreitar relações com a comunidade e conhecer malta que, assim como eu, gosta de música, pensa música e quer fazer música. Desde já obrigado! Um abraço!