kyuuga

Membro
  • #Conteúdo

    50
  • Registado Em

  • Última Visita

  • Feedback

    0%
As minhas Músicas Preferidas

Reputação

49 Reputação Boa

Sobre kyuuga

Quem visitou o meu perfil

652 visitas ao perfil
  1. Qual o problema ao fazer som?

    Concordo completamente, pelo menos aqui em Portugal parece que há muitos poucos bons técnicos de som. Eu acho que para se ser um bom técnico de som há que ser (ou ter sido) um músico decente que tenha gravado algo ou tenha dado uns quantos concertos. Porque senão, na minha opinião, é muito díficil de se perceber como uma mix em palco deve funcionar. Eu falo por mim que sou baixista mas é muito raro ver um técnico de som que saiba como o baixo funciona...normalmente ou enchem aquilo de graves e é uma lama autêntica de som sem definição nenhuma a abafar tudo ou então fica completamente perdido no mix e mal se ouve (abafado pelo bombo e etc). E hoje em dia, com as mesas digitais, nem percebo como é que às vezes o som do soundcheck é tão diferente do som do concerto. Tudo bem que as condições podem mudar porque depois há lá gente e tal mas as diferenças são dramáticas...será que chegam ao fim do soundcheck e se esquecem de gravar as definições ou simplesmente não querem saber?
  2. Os barretes e relíquias do OLX

    Isto é que vai aqui uma açorda hein...
  3. Os barretes e relíquias do OLX

    Mas eu não percebo isso...eu sempre que pus (e ponho) os meus instrumentos e/ou pedais usados à venda faço um preço justo comparativamente a novo. E o pessoal tem que perceber que, quer queira quer não, depois de comprares algo, mesmo que esteja em estado NOVO, depois de lhe porem as mãos em cima desvaloriza logo. O pessoal vende instrumentos ao preço de loja quase e justifica dizendo que está como "novo". Chefe, se eu tivesse dinheiro para o preço usado quase novo fazia o esforço e comprava novo, né...há que pensar um bocado. Quem compra usado é porque não tem dinheiro para comprar novo ou quer poupar imenso dinheiro. Ninguém vai comprar uma guitarra usada a 375€ (que nova custa 400€) só porque está "novinha em folha".
  4. Os barretes e relíquias do OLX

    Alguém adicionou um 0 a mais no fim
  5. Os barretes e relíquias do OLX

    Este devia ser processado por burla...
  6. Os barretes e relíquias do OLX

    Essa do "qual o melhor preço que pode fazer" nunca percebi bem o melhor preço que posso fazer é o que me der mais lucro não é...agora pode é mandar um preço e eu aceito ou rejeito. Isto é como perguntar a uma gaja "olha lá qual é a melhor forma de te engatar?"
  7. Os barretes e relíquias do OLX

    Para mim, a descrição do item que se está a vender é meio caminho andado para estar realmente interessado no produto ou não. Se eu vir que o vendedor é uma pessoa séria e descreve bem/faz preços razoáveis então o meu interesse sobe logo 10x. E, claro, ser honesto sobre as possíveis "marcas de uso" e/ou falhas que o produto tenha é um MUST. Infelizmente isso em Portugal é um caso raríssimo...mais depressa apanhas estes marmanjos com descrições tiradas da net ou a descreverem as suas guitarras de 200€ como se fossem a próxima maravilha tecnológica do mundo.
  8. Os barretes e relíquias do OLX

    Nem há palavras mesmo, é o verdadeiro significado da palavra "charlatão" ...
  9. Os barretes e relíquias do OLX

    É como eu disse, não tenho nada contra. Mas é mais uma prova que o mercado de instrumentos usados em Portugal é simplesmente uma piada. Já nas guitarras encontra-se cada negócio de rir mesmo mas nos baixos e nas baterias é ridículo. Neste caso em específico dos Musicman Stingrays um baixo desses usado com mais de 10 anos vale sempre 900-1000€ lá fora. Em alguns casos até 850€ ou menos. Chegas aqui a Portugal e vês pessoal a vendê-los por 1600€+, alguns até por 1900€ (quando um novo, deste ano e versão melhorada custa ~2000€ novo). Depois o pessoal admira-se que tem dificuldade a vender instrumentos...eu já vendi 3 baixos e 1 guitarra no OLX e nunca tive problema porque faço preços justos e razoáveis. Claro que de vez em quando vem um marmanjo a fazer um lowball enorme mas eu não ponho preços estúpidos na descrição: meto o preço normal e é aquele fixo. Nunca percebi a tática de pôr um preço ridículo e depois dizer que é "negociável". Isso mais depressa assusta possíveis compradores do que propriamente os atrai.
  10. Os barretes e relíquias do OLX

    Ora hoje trago-vos uma história engraçada e que suspeito que não seja caso único. O meu objetivo aqui não é fazer queixinhas nem nada do género, só vos quero alertar para algo que é uma ocorrência comum. Há uns meses atrás, estava eu no BassChat (um fórum popular de baixistas com membros maioritariamente do UK) e vi um belo dum MusicMan Stingray à venda. Estando eu à procura dum baixo deste género contactei o vendedor e o valor dele era muito aliciante. Quase concretizamos negócio mas infelizmente na altura (isto foi à cerca de 3-4 meses) ele voltou a tocar com o baixo e quis ficar com ele porque estava a voltar a gostar do timbre. Tudo bem, nada contra, amigos na mesma. Recentemente ele pôs de novo à venda mas eu já não tinha interesse porque já tinha adquirido algo e a carteira não dá para tudo. Há uns dias atrás estava no OLX e como ainda tinha "Stingray" nas pesquisas guardadas, a aplicação alertou-me para uma listagem nova com esse nome. Lá vou eu ver por curiosidade e não é que tenho uma bela surpresa: https://www.olx.pt/anuncio/musicman-stingray-3-eq-pacific-blue-with-matching-headstock-IDCoHWu.html#8beaf5711f É exatamente o mesmo baixo que tinha visto e estive muito perto de comprar! Mas...1400€? Espera lá, o gajo do UK estava-me a vender por 800£ (~900€). Mandei mensagem ao senhor a perguntar se realmente tinha vendido o produto a alguém em Portugal e por quanto, se não fosse muito incómodo. Ele responde-me a dizer que vendeu a uma menina baixista portuguesa (checks out) por 750£ (830€) !! Ora bem, a janela entre a venda do homem e a criação do anúncio do OLX foi tão curta que duvido muito que a menina tenha realmente tido uma chance para tentar gostar do instrumento antes de o despachar portanto das duas uma: 1) ou o baixo tem um defeito muito severo; 2) ou a compra foi feita só para vender aqui em Portugal a um preço mais elevado. Portanto sim, eu sei que não é novidade para ninguém que há quem faça re-sells de produtos a um preço muito maior do que o normal mas comprar um instrumento no estrangeiro só para o vender mais barato aqui é de facto um nível acima. Mas é como eu digo, não venho aqui fazer queixinhas nem tenho nada a ver com o assunto, só achei que fosse uma "relíquia" diferente do OLX.
  11. Os barretes e relíquias do OLX

    O desconto não é sobre os produtos, é para dar destaque nas tuas próprias vendas. Ou seja, se tiveres um produto à venda e quiseres destacá-lo, essa compra está com 85% de promoção. É uma tática de clickbait do OLX...
  12. Os barretes e relíquias do OLX

    Concordo em certa parte...mas a descrição é mesmo pretenciosa e estúpida. Agora há super setups? Não sabia, tenho de arranjar alguém que me faça um Claro, é cá uma diferença...então com aqueles pickups WILKINSON ficam logo a parecer uns Wolfetone só com o acabamento... Claro que sim, vou já trocar a minha '59 Strat por esta BESTA BLUESY, que guitarrão. Não entendo porque é que o pessoal põe descrições destas, julgam que toda a gente para além deles é burra ou quê? Qualquer marmanjo que perceba minimamente de guitarras vê que este produto é uma guitarra básica e pouco mais passa disso. Já vai com MUITA sorte se lhe oferecerem 200€, até uma Harley Benton seria melhor.
  13. Os barretes e relíquias do OLX

    Aqui na zona de Braga/Porto há os dois extremos. Há lojas que te atendem com muita simpatia e têm conhecimento na matéria e que, apesar de não ter muito material em loja para testares, te fazem melhores preços que a Thomann (por exemplo a Faminho a nível de Fenders é uma maravilha, arranjam-te preços que é uma delícia). Já do outro lado da moeda, falando pela minha experiência, tens lojas como a Ludimusic no Porto que até tem algum bom material na loja mas o atendimento é horrível (há lá um funcionário sempre a fazer cara de mau, mesmo desagradável) e os preços são um absurdo, só dá para rir mesmo. Só chulam quem não percebe mesmo nada do assunto.
  14. Eu vou deixar aqui a minha posta de pescada...eu até nem acho que a música "moderna" seja má, apesar de haver muito lixo mas isso sempre houve - o que acontece é que conforme os anos foram passando, a música foi sendo filtrada, ou seja, quem ouve música hoje de há 40 anos atrás vai ouvir a boa parte e não a má que ficou para trás. O que mais me incomoda hoje em dia é, com o acesso da tecnologia, a complacência que há de muitos artistas e "músicos". Há uns anos atrás dizia-se que qualquer um podia ser DJ e era verdade. Hoje em dia qualquer um pode ser músico. Há milhões e milhões de sites que vendem beats e melodias na internet. Há gente que se dedica a ser produtor e que fica completamente esquecida recebendo uns míseros trocos em relação ao que o artista faz. E mete-me imensa confusão ouvir artistas que se nota que não percebem nadinha de música a prosperar e a receber os créditos todos como se tratassem duns génios. Depois vamos à internet ver os créditos e se for preciso nem a letra escreveram (já para não falar que 90% das vezes a melodia vocal é-lhes ensinada pelos produtores). Tens 20 gajos para escrever a letra e mais uns 20 para fazerem a música. No entanto esses 40 são desconhecidos para toda a gente e a fama e o dinheiro vai para os agentes/managers/promotores/artista, enfim tudo menos os músicos de verdade. https://en.wikipedia.org/wiki/Views_(album) Escolhi um álbum/artista mesmo à sorte agora no momento, o primeiro nome que me veio à cabeça. Vão ver a quantidade de Writers e Producers que aí aparece no álbum. É, para mim, uma atrocidade. Alguém conhece algum desses marmanjos sem ser o Drake? Duvido muito. Além disso eu acho que, mais que nunca, o fator beleza é fundamental para se prosperar na música. Sempre foi mas na música moderna de hoje em dia é quase fundamental. Acho que podemos olhar para todos os artistas mainstream e quase nenhum deles tem má aparência. Faz lembrar aqueles filmes de high school dos anos 2000 em que os putos de "17 anos" na escola são todos uns top models. Para terminar, e isto é mais um personal issue meu, raramente gosto duma música "artificial" em que o instrumental é todo digital constituído por sons criados em computador - desde a bateria aos inúmeros sintetizadores. Pareço um velho a falar mas eu prefiro 100x mais música que seja orgânica, que tenha sido criada com instrumentos de verdade. Não importa quais, nem digo que precise de ter baixo/guitarra/bateria em tudo, mas algo em que se note que o artista seja proficiente e tenha aprendido a tocar aquilo. Infelizmente é muito mais fácil comprar umas melodias e um beat na net feitos no Fruity Loops do que propriamente aprender a tocar algo e a sentir-se a música que se faz. Pronto isto são os meus 2 cents, valem o que valem e não sei qual a relevância que têm para o tópico em questão, mas decidi partilhar.
  15. Dúvida ou questão intrigante

    Para responder à tua pergunta, e aviso desde já que pouco ou nenhum conhecimento tenho sobre isso, imagino que das duas uma: 1) ou usam madeiras diferentes e compram blocos enormes para depois indo cortar à medida das guitarras que queiram fazer; 2) ou então compram a alguém dentro da UE, pode não haver aqui em Portugal mas felizmente dentro da UE é fácil importar esses bens materiais. Suponho que até seja uma mistura dos dois. Podem importar os materiais que querem de outro lado mas depois fazem o trabalho deles ao cortar tudo direitinho. Daí ficar muito mais caro do que outro tipo de instrumentos pois é um trabalho exímio feito à mão e é para isso que se pagam os serviços deles. Posso estar a dizer uma completa barbaridade mas suponho que seja assim que funcione.