pgranadas

Membro
  • #Conteúdo

    3203
  • Registado Em

  • Última Visita

  • Feedback

    0%
  • Reacções ao conteúdo

    1101

Tudo postado por pgranadas

  1. Ora aqui está um excelente exemplo, de que se estivermos atentos, encontra-se materiais muito interessantes em todo o lado.
  2. Tutorial - Como fazer um Master? Resumo: No final de uma gravação e da sua mistura, é o momento de preparar o tema para a edição em disco e passagem em rádio. Como se faz isso? ... Ver este tutorial completo
  3. Boas Pedro, e bem vindo. Apesar de ter tido o meu contacto mais intenso com a música há mais de 20 anos, fazia-o como teclista, e foram depois muitos os anos que se passaram com o teclado a apanhar pó. Mais recentemente redescobri a música, por começar a aprender a tocar guitarra e baixo. E a verdade é que os últimos 3 anos, teêm sido mais produtivos do que toda a minha vida. Por isso, estás a começar bem a tempo, eu comecei com os instrumentos de cordas aos 43, e não sinto que tenha sido tarde. Pode inicialmente parecer que estas em desvantagem relativamente a quem começa mais novo...mas estás em vantagem em experiência de vida, e sabedoria adquirida, que te vai ajudar em muito mais do que pode parecer, e isso associado à disciplina e dedicação, vai te ajudar a recuperar bem o tempo. Desde que dediques, pelo menos 30 minutos diários, daqui a uns meses vais olhar para trás, e nem vais conseguir acreditar no progresso que conseguiste. Por isso, coragem e força nisso.
  4. Julgo que esse risco, não se tendo a certeza do que se está a ligar ao quê, existe sempre. Portanto tens duas opções, ou lês atentamente ambos os manuais e tiras as dúvidas, ou começas com níveis de sinal muito, mas mesmo muito baixos e ficas muito atento. Se tiveres um micro para fazer a captação através dele, corres menos riscos.
  5. E que tal uma guitarra onde dá para testar todos os pu's?
  6. Olá @SantiagoRamires, A rádio, está infelizmente invadida pela música chamada de "mainstream", que é em parte, a "culpada" pela chamada "loudness war". Basicamente isso significa que alguém se lembrou de que seria importante que a sua música se deveria ouvir o mais alto possível, para se destacar das restantes ( até porque há aquela sensação psicológica de que mais alto soa melhor) e depois toda a gente seguio isso. Actualmente toda a música mainstream está excessivamente alta e comprimida. Para ilustrar isso, repara na seguinte imagem, que mostra a mesma música, masterizada originalmente, e depois alguns anos mais tarde. É um abuso, e infelizmente as gerações mais novas, nem se apercebem disso. A música está a descer de qualidade, não só a nível criativo, como é referido muitas vezes, mas a nível de qualidade audio, fica difícil imaginar pior cenário. Por isso falar de máximos e mínimos rádio friendly, basicamente é entre o microdecibel (isto existirá!!!!) antes de distorcer, e falar de mínimos, numa era em que toda a gente se esqueceu, que o silêncio faz parte da música, é difícil. Nao respeitar isso, corre-se o risco de não se ser aceite nas rádios, infelizmente. Alguns artistas optam por fazer dois masters. Um para rádio, e outro para o disco. Dessa forma satisfazem as rádios, e não comprometem (pelo menos excessivamente) a qualidade do seu disco. Infelizmente, ITunes e afins, não ajudaram em nada esta questão, porque também eles seguem a tendência radiofónica.
  7. Pois, isso é um "problema " que muita gente não compreende, e há mesmo quem leve a mal, à falta de entusiasmo que algumas pessoas evidenciam por algumas guitarras de origens famosas, precisamente por ao se pegar nessas, a sua comparação com as máquinas nipónicas ser inevitável e decepcionante.
  8. Possivelmente, mas dá uma vista de olhos no manual para ter certezas. Nunca usei esse processador, por isso não sei se permite dividir efeito para cada canal L e R. Se assumir o efeito como apenas modo mono ou stereo, mas não permitir fazer o balanceamento total de um efeito para uma das saídas, já não me parece que dê. Alias, quanto mais penso nisso, menos provável me parece que o permita.
  9. No próprio olx deves encontrar coisas interessantes. Normalmente a busca por baixos é bem inferior à de guitarras, por isso os vendedores não teêm muito por onde se esticar. Professores, infelizmente não te consigo recomendar. Mas sendo de Lisboa, o que não falta são escolas, e para se iniciar julgo que praticamente qualquer professor é bom para se dar os primeiros passos. Depois se não gostares, podes sempre mudar. Por vezes também há malta que dá aulas privadas, tipo alunos do Hot Club ou do concervatorio que precisam de ganhar algum dinheiro.
  10. Relativamente ao baixo, não compres caro, mas cuidado com o barato demais. A minha experiência com baixos não é muito grande, mas um facto que notei claramente, é que os instrumentos mais baratos, são também mais difíceis de tocar, por isso, cuidado. Os que o @hypermnesiumrecomendou são óptimas opções, se não conseguires ter orçamento para um desses novo, vê o mercado de usados, costuma aparecer boas pérolas. Quanto a dificuldades, elas existem, mas a dedicação e o empenho tem seus frutos. Ainda me lembro de quando peguei num baixo as primeiras vezes, e das dores que tinha nos dedos ao fim de um bocado. Com a pratica e o calejar dos dedos, elas desaparecem. Com a desistência e com a pouca dedicação, não. Por isso, coragem e força nisso.
  11. E agora que está no sítio certo.... a forma mais simples, será ligar os microfones a uma mesa de mistura e enviar o sinal para o precessador através de grupos ou auxiares(dependendo da mesa) é assim até poderás eventualmente usar mais micros com um reverb, por exemplo. Ligar directamente, como já disse o @xtech, não. Mas se descarregares o manual do site da lexicon, poderás ter todas as informações.
  12. Que bela forma de dizer que eu fui o ganancioso do grupo.....
  13. O forum é indicado, a secção "Guitarras/Amplificação " é que não.
  14. E mandar vir uma strap da Thomman, e montares às ferragens como pretendes? Não seria mais pratico?
  15. Muita gente, opta por umas boas colunas de Hifi, em vez de monitores de estúdio, por diversas razões. Umas vezes porque se compra boas colunas e amplificador nos usados, e também porque os monitores amplificados teem amplificadores com fraca qualidade. Outro factor importante é o tamanho do espaço e a distância que terás os monitores de ti, para não teres algo demasiado grande e demasiado perto, como acontece comigo, e claro, como referiu o @xtech, por muito bons monitores que tenhas, se o espaço não estiver tratado, não te servirá de nada, e se calhar terás mais vantagem em ter uns bons auscultadores.
  16. Há professores que dão aulas ao fim de semana, precisamente por causa dessas situações. Pode é ser mais complicado ter vaga, mas se calhar até tens sorte.
  17. Aqui dá para fazer um dois em um. pergunta original do @stratocosta, novo material pode ser um ponto de inspiração. Noto isso especialmente quando pego num sintetizador novo. Novos sons, diferentes reacções, novas inspirações. No desenvolvimento do @tmo, considero que estou no 3' ponto. Neste momento tenho ideias muito concretas do que pretendo, não me entusiasmo facilmente com qualquer coisa. Ou se trata de algo que contribui positivamente para o que preciso, ou então encaro como algo que me dispersa do mais importante e aí torna-se em algo negativo, portanto ignoro.
  18. As válvulas são um consumivel!!!! Essa para mim é nova. Pensava que era um componente electrónico do amplificador, que tanto quanto sei, também deverá ter garantia... Mas posso estar enganado.
  19. Eu tenho duas hard cases....e só usei uma, uma vez.....Lol
  20. Já não há transportes públicos de Sintra para Lisboa!!!! Antigamente, até havia comboio....
  21. Claro que fica, o tempo que estão a deslocar-se de um lado para o outro também tem de ser pago. Vai tu lá...
  22. É o que dá comprar guitarras escazitas.
  23. https://www.olx.pt/anuncio/epiphone-korina-flying-v-1958-IDAqBJW.html#674c483cf1
  24. Nao é verdade, estás é a levantar um falso boato contra o @deadpoet. Nao acredito que alguém defensor das prs, as vá descaracterizar dessa forma. Bom gosto logo à partida portanto.