Procura na Comunidade

Resultados de tags 'guitarra '.



Mais opções de procura

  • Procurar por Tags

    (Opcional) As tags ajudam a encontrar este conteúdo. Escrever tags separadas por vírgulas.
  • Procurar por Autor

Tipo de Conteúdo


Comunidade

  • Geral
    • Discussão Geral E Cultura
    • Divulgação
    • Apresentações
    • O Cantinho da Thomann
  • Divulgação
  • Teoria Musical
    • Teoria e Composição Musical
  • Guitarra
    • Guitarra
    • Amplificação
    • Pedais e Efeitos
    • Instrução e Técnica
  • Baixo, Bateria, Teclas, Voz e Outros Instumentos
    • Baixo
    • Voz
    • Bateria e Percussão
    • Teclas - Pianos, Arranjadores e Sintetizadores
    • Outros Instrumentos
  • Faça Você Mesmo (DIY)
    • Projetos de DIY
  • Som
    • Estúdio
    • Ao Vivo e em Palco
    • Vintage e HiFi
  • Novidades e Ajuda
    • Novidades e Regras da Comunidade
    • O Forumusica: ajuda e opiniões
  • Banda Exemplo's Tópicos
  • MÚSICOS EM LISBOA's Tópicos
  • Músicos em Braga e arredores's Tópicos
  • Mixing in The box.'s Tópicos
  • Mixing in The box.'s Tópicos
  • Grupo de musicos Amarante's Tópicos
  • Music=Life's Tópicos

Categorias

  • Busca Músicos

Categorias

  • Guitarras
  • Baixos
  • Peças Guitarra e Baixo
  • Bateria e Percussão
  • Pianos e Teclados
  • Amplificadores de Instrumentos
  • Pedais e Efeitos
  • Coisas para DIY
  • Áudio Profissional
  • Outros Acessórios
  • Outros Instrumentos
  • Livros e Revistas
  • Álbuns e Bilhetes

Categorias

  • Técnicos e Luthiers
  • Lojas
  • Formação e Ensino
  • Estúdios
  • Salas de Ensaio
  • Aluguer de Som e Luz
  • Fotografia e Imagem
  • Produtoras e Editoras
  • Importadores
  • Fabricantes
  • Desenvolvedores de Software Musical
  • Bares e Sítios para Tocar
  • Outros Serviços para Músicos

Categorias

  • Dicionário

Categorias

  • Guitarra
  • Baixo
  • Efeitos
  • DIY
  • Gravação e Som

Categorias

  • Música e Cultura
  • Teoria Musical
  • Guitarra
  • Electrónica Musical
  • DIY
  • Baixo
  • Teclas
  • Gravação e som

Calendars

  • Concertos
  • Workshops
  • Music=Life's Eventos
  • Grupo de musicos Amarante's Eventos
  • Mixing in The box.'s Eventos
  • Músicos em Braga e arredores's Eventos
  • MÚSICOS EM LISBOA's Eventos
  • Banda Exemplo's Calendário

Categorias

  • Testes de Cultura Musical
  • Testes de Teoria Musical
  • Testes de Gravação e Estúdio

Estilos Musicais

  • Ideias (Permite Download)
  • Alternativo
  • Baile
  • Blues
  • Country
  • Folk
  • Fusão
  • Jazz
  • Metal
  • Clássica
  • Pop
  • Reggae
  • Religiosa
  • Rock
  • Techno
  • Outro
  • Banda Exemplo's Player
  • MÚSICOS EM LISBOA's Player
  • Mixing in The box.'s Player
  • Grupo de musicos Amarante's Player
  • Music=Life's Player

Blogs

Não há resultados a mostrar.

Não há resultados a mostrar.


Tipo de Membro


Está online?


Com Foto?


Número de posts

Entre e

Idade

Entre e

Último post

Entre e

Telemóvel


Cidade

Encontrado: 56 resultados

  1. Set up guitarra Minho/Porto

    Boas, Que sítios recomendam para fazer um set up a uma stratocaster na zona do minho/porto, preferencialmente o mais próximo de Braga possível? Sei que isto já foi perguntado várias vezes aqui mas parece que os sítios não param de fechar ou simplesmente nao encontro informação em lado nenhum. *Se desse para ver o set up a ser feito ou pelo menos não ter que deixar lá a guitarra uma semana, era ideal. Obrigado
  2. Que coisa mai liiiinda

    Hoje lembrei-me desta. Já temos as esquisitas, faltava as lindas.
  3. Como prometido aos colegas do tópico dos Barretes do OLX no seguimento de uma conversa paralela, decidi finalmente criar esta publicação que irá abordar o tema da relação entre músicos e técnicos. Não tenciono enumerar nenhum conjunto de regras invioláveis, no entanto, espero poder deixar várias ideias para vossa consideração. Começo por me apresentar, já que muitos de certeza não me conhecem pessoalmente, e por uma questão de transparência. O meu nome é Bruno Garcia, sou neste momento, para além de músico, que considero sempre como minha ocupação principal, técnico de instrumentos musicais, e em conjunto com o meu sócio Rui Miguel Campos, luthier e designer de instrumentos na marca que estamos neste momento a desenvolver, fora isso, sempre trabalhei no ramo da música e do espectáculo de uma forma ou de outra, seja como lojista, rodie, técnico de estrada, etc. De forma alguma considerando-me dono da verdade absoluta, a minha experiência servirá de certo para estabelecer uma discussão saudável. Para simplificar, vou considerar o instrumento descrito como uma guitarra, pois os princípios básicos são quase universais. - O que saber antes de abordar um técnico: Quando o nosso instrumento necessita de manutenção é do interesse do músico dispor de alguns conhecimentos básicos acerca do mesmo. Para além da marca e do modelo, conhecer a sua "anatomia" e componentes podem permitir ao músico fazer um diagnóstico preliminar do estado, possíveis causas do problema e mesmo não sabendo efectuar a reparação, algumas noções acerca do tipo de trabalho que vai solicitar. O segundo ponto a ter em consideração é para mim um dos mais importantes, porque para além de conhecer a morfologia e algumas noções técnicas, conhecer realmente o nosso instrumento requer um pouco mais de atenção. Refiro-me ao estado geral em que o instrumento se encontra, se está de alguma forma danificado, como e quando foi danificado e se costuma estar inapropriadamente acondicionado. Para além de ser informação valiosa a transmitir a um técnico, serve também como garantia para o músico de que o instrumento será entregue após a reparação, sempre, no mesmo, ou em melhor estado de conservação. Para isto acho importante salientar alguns conselhos que devem ser habituais. Idealmente, entregar o instrumento limpo é importante, porque embora parte do trabalho do técnico, na minha opinião, passe pela limpeza e acondicionamento, um instrumento limpo permite que o músico tenha a garantia que o instrumento não lhe seja devolvido com danos estéticos adicionais. Saber que marcas de uso (ou abuso!) tem, riscos, fissuras no verniz, metais ou plásticos danificados, etc. Devem também tirar fotos antes da reparação para poderem exigir compensação no caso de dano. Da mesma forma, aconselho também aos meus colegas técnicos que criem um registo fotográfico de Antes/Depois detalhado, porque volta e meia também existem casos de aproveitamento da parte do cliente. - Abordagem: O músico tem o direito de saber que tipo de trabalho vai ser efectuado, isto deverá ser feito presencialmente, porque cada instrumento tem a uma série de particularidades que o distinguem e vão exigir diferentes tipos de trabalho. É também importante que o técnico saliente a possibilidade de ter de reajustar o orçamento durante a reparação ou manutenção, no entanto, as razões para tais alterações devem ser explicadas em detalhe e comprovadas ao cliente, por exemplo, uma guitarra que aparentemente necessitava apenas de um setup geral, pode durante a manutenção revelar que precisa de um nivelamento de trastes. No caso do cliente não aceitar a alteração, seja pelo aumento do custo ou pela necessidade de efectuar uma reparação mais invasiva (as razões mais comuns), o técnico deve reservar-se ao direito de cobrar o trabalho que foi efectuado até à altura em que se deparou com o problema inesperado, terminando obviamente o que lhe seja possível dentro do trabalho que lhe foi originalmente requisitado. Cada tipo de trabalho deve ter um valor fixo e nunca se deve pagar a um técnico ou luthier "à hora". No que toca a valores, é certo que alguns possam discordar, e claro que entendo certos argumentos nesse sentido, no entanto, é uma questão de transparência e demonstração de honestidade para com o cliente. Todos conhecemos histórias do género, normalmente, o mecânico vigarista que diz que fez tudo, durante um mês, e no fim de contas não fez absolutamente nada e foi de um dia para o outro. É desingénuo (Cunho a palavra!) da nossa parte enquanto técnicos, porque neste ponto dirijo-me directamente aos meus colegas, vamos pensar, por exemplo, num setup básico, eu já tive setups que demoraram mais de um dia a concluir, por vários motivos, e também já efectuei bastantes em 15 minutos, e recebo o mesmo, porque o resultado final, é o mesmo e o cliente não deve de pagar mais por alguma particularidade, por alguma eventualidade, e muito menos, pela nossa ineficiência. Se se opõem, por favor, voltem a ler este parágrafo com calma e atenção, e elaborem abaixo nos comentários. Da mesma forma, é importante estipular um prazo de entrega que seja confortável para ambos. Aos músicos, devo lembrar a importância de não fazerem a manutenção apenas um ou dois dias antes de uma data importante, como uma gravação ou um concerto, porque caso haja algum imprevisto e seja impossível ao técnico entregar o instrumento de acordo com a vossa urgência, podem ser forçados a falhar com o vosso próprio compromisso e a culpa é inteiramente vossa. A manutenção atempada do nosso material é parte da preparação para essas situações, claro que existem excepções, mas se possível, façam-no. - Relacionamento interpessoal: Por algum motivo os técnicos têm a "fama" de sisudos. Um dos desabafos mais comuns entre os meus cliente é a dificuldade de comunicação com vários técnicos, não só cá no país, mas também lá fora! Bem, isto é uma grande desvantagem para todos os envolvidos, se o relacionamento com o cliente for de certa forma amigável, é mais provável que ele volte a requisitar os nossos serviços, desde que não mostremos falta de profissionalismo, que é ainda mais importante. Igualmente, o cliente também deverá ser afável. Um técnico deve mostrar-se disponível para esclarecer duvidas, mesmo que não sejam directamente relacionadas com o trabalho em questão, tudo isto dentro do razoável, claro, porque nem sempre temos disponibilidade para perder o tempo necessário a aprofundar uma resposta que seja 100% satisfatória e que reflicta o nosso real conhecimento. Mais uma vez, espero que isto vos seja proveitoso e que propicie uma discussão saudável e interessante, poderia alargar-me, no entanto penso ter estabelecido uma boa base sem tornar o texto difícil de digerir. Estejam à vontade para partilharem experiências, colocar questões adicionais, memes, etc, etc, etc...
  4. Improviso em Guitarra

    Olá pessoas, Poderiam por favor ver se este improviso em guitarra feito por mim está bom? Poderiam dar a vossa opinião no que posso melhorar? É este o link Obrigado!
  5. Guitarra portuguesa - cavalete

    Boa tarde, tenho uma guitarra portuguesa de Coimbra e comecei a aprender a tocar há uns meses mas continuo a ter alguma dificuldade em "carregar" nas cordas com a mão esquerda. Apesar de já não me custar como no início, os acordes continuam a sair muito a custo. Um amigo disse-me que o cavalete poderá estar um bocadinho alto e daí custar mais... como resolvo isso? Há alguma maneira de resolver em casa? Obrigada Nota: o cavalete é em plástico
  6. Boas pessoal. Sou utilizador de pedaleiras multi-efeitos já há uns bons anos mas reparo que ao usar headphones diferentes, especificamente 2 que tenho em casa, que o som é diferente em cada um. A minha questão é se existe um determinado tipo, gama, de headphones que seja mais indicado para uso em pedaleiras de guitarra ou se um headphone básico normal daqueles que eu tenho é suficiente. se for interesse, o que uso neste momento é o Sennheiser HD 4.20s.
  7. metodo de guitarra portuguesa

    Boas, estou agora a iniciar guitarra portuguesa de coimbra, gostaria de saber se este metodo, devido ao seu alto preço, vale ou nao a pena comprar, já tenndo pratica com outros instrumentos de cordas. metodo: MÉTODO DE GUITARRA PORTUGUESA de José Santos Paulo (Edição Comemorativa dos 115 Anos da Tuna Académica da Universidade de Coimbra)
  8. Novo no Diy - Ajuda

    Boas pessoal, estou a pensar iniciar no mundo do diy com um kit de guitarra single cut da harley benton. Sendo que a nível de montagem da guitarra em si não terei problemas (estou habituado a fazer os setups das minhas guitarras e nunca tive problemas ate agora) e a nível da eletronica o kit é bastante basico, penso que onde terei mais dificuldade será na parte da pintura/envernizamento. Alguém me consegue ajudar nesta parte? Que passos devo seguir? Que tintas, vernizes são recomendáveis, que marcas e lojas onde se podem comprar? Etc.... Obrigado desde já pela ajuda.
  9. regresso a Portugal

    não sei se é o melhor local para deixar esta info mas se acharem melhor eu colocarei onde me pedirem ok? eu vou estar de regresso a Portugal la para agosto, e depois de isto tudo acalmar, talvez pro ano vou começar a fazer cursos, ainda não sei como irei fazer pois existem varias possiblidlidades em cima da mesa. Aqui no UK fiz varias maneiras, instrumento completo, ou compra de pacotes de horas etc. eu gosto de tentar perceber oque o cliente quer e focar nessas ideias. se alguém quiser entrar na lista de espera envie me um email. Abraço JM
  10. Tocar Guitarra no PC

    Boas, Queria ligar guitarra eletrica ao pc para fazer gravações e também poder tocar com headset, tenho pedal USB Zoom G2.1Nu e pc da ASUS com windows 10. Gostaria de ter dicas primeiro de como ligar a um software de amp e conseguir ouvir no headset, e depois disso melhorar qualidade e latência. Qualquer dica será bem aceite Obrigado
  11. Pickguard Gibson SG 50’s Tribute

    Boas!! Queria saber se há alguem que saiba onde posso mandar fazer um pickguard para a minha Gibson SG 50’s Tribute. Esta guitarra sai de fábrica sem pickguard e não existe nenhum à venda no entanto queria dar um novo look á guitarra. O pickguard é igual ao que está na imagem. cumps
  12. LH Guitar - Canhotos

    Boa Tarde Malta, Vamos interagir e trocar ideias? Quem é canhoto tal como eu e Hendrix? LoL (Humilde comparação...) Abraços
  13. O comprimento da escala importa?

    Todos nós já experimentámos guitarras com uma escala de 24,75” e guitarras de 25,5”. No primeiro caso estão, normalmente, as designadas Les Paul. No segundo, as Stratocaster. Uma pergunta que é legítima de se colocar é: Faz assim tanta diferença tocar numa ou noutra escala? A resposta não será fácil. Vejamos: 24,75” correspondem a 628,65 mm. Enquanto 25,5” correspondem a 647,70 mm. No fundo a diferença entre escalas tem um valor de 19,05 mm ( 647,70 - 628,65 = 19,05 mm), ou seja, aproximadamente 2 cm. Estes 2 cm distribuídos ao longo do comprimento da escala não traduzem grande alteração nas larguras entre trastes. Matematicamente, por exemplo, na escala de 25,5” o espaço entre o 4.º e o 5.º traste tem uma largura de 28,85 mm e na escala de 24,75” o mesmo espaço tem uma largura de 28,00 mm. Ou seja, a diferença entre ambos é um valor de 0,85 mm, não chegando, portanto ao valor de 1 mm. Essa diferença poderá ser um pouco maior da pestana ao 1.º traste, um pouquíssimo maior que 1 mm, mas à medida que se avança para os trastes mais perto do corpo da guitarra essa diferença começa a ser desprezível. Portanto, todos dirão,”Este fulano deve querer descobrir a pólvora?”. Vamos fazer esta experiência: Peguem numa guitarra com a escala de 24,75”. Coloquem o indicador na nota G (3.º traste) da 6.ª corda. Agora, com o dedo mindinho vamos fazer a sequência “Hammer”-”Pull off”- “Hammer” na nota B (7.º traste). Agora passem para a 5.ª corda e repitam o movimente entre as notas C e E. Depois para a 4.ª corda, entre as notas F e A... e assim sucessivamente até chegarem à 1.ª corda. Lá chegados façam o caminho inverso. E repitam o exercício até se sentirem confortáveis (ou não). Agora peguem numa guitarra com a escala de 25,5” e façam o mesmo exercício. No exercício, a diferença da distância entre trastes nas duas guitarras é de 2,5 mm aproximadamente. Consoante as características das mãos de cada um muita coisa poderá acontecer, a saber: Mão pequena – dificuldade em fazer o exercício em ambas as guitarras; Mão um pouco maior – alguma facilidade na guitarra de 24,75” mas não praticável na guitarra de 25,5”; Mão um pouco maior – conforto na guitarra de 24,75” e alguma facilidade na de 25,5”; Mão um pouco maior – demasiada facilidade na guitarra de 24,75” e conforto na de 25,5”; Mão grande – talvez optem por uma guitarra com uma escala maior.
  14. Guitarra Clássica - Recomendações?

    Boa noite a todos, Toco guitarra eléctrica há alguns anos. O meu material não está comigo de momento, por isso queria comprar uma acústica para matar o bicho. Procuro uma clássica com cordas de nylon e escala 3/4. Acho que com 150€ já conseguiria algo decente e não quero gastar muito mais do que isso. Vejo algumas interessantes na Thomann, mas estou aberto para procurar outros vendedores. Nesta altura não posso ir às lojas experimentar as guitarras, por isso gostava de ouvir as vossas recomendações e/ou opiniões. Obrigado desde já.
  15. Olá a todos! Aqui partilho o meu canal de youtube, onde vou colocando composições minhas de diferentes estilos (desde a música clássica ao metal, passando muito pelo mundo celta), sobretudo instrumentais, para já, e com vários instrumentos (essencialmente violino, guitarras e teclado/piano). https://www.youtube.com/channel/UCj9EpPCocXcqEzQoQhmyFAw Espero que gostem, e quem gostar subscreva!
  16. Conectar dois amplificadores

    Boas. Ultimamente tenho estado a pensar em conectar a saída de um amplificador de guitarra à entrada de um amplificador de baixo. As minhas perguntas, se alguém me souber responder, é: -isso estragaria algum dos amplificadores? -daria muito hum, ou feedback, mesmo com ambos os canais em clean? O motivo pelo qual tenho estado a pensar neste assunto, é que tenho um chorus excelente no amplificador de baixo, mas não tenho acesso a distorção só com esse amplificador. Já o de guitarra tem uma distorção razoável, mas o resto dos efeitos deixa a desejar. Cumprimentos e votos de boas festas a todos!
  17. Ângulo do braço de uma guitarra

    Um assunto que ainda não vi (pelo menos nos últimos tempos) debatido no fórum. Existem muitos links sobre o assunto. Escolhi este por exemplo: http://www.buildyourguitar.com/resources/tips/aangle.htm Numa primeira análise, um ângulo que obrigue a levantar os saddles, coloca o "braço para trás". Ou seja, a zona da pestana do braço fica mais junto ao nosso corpo. A figura a seguir (vista do alto) procura exemplificar 3 possíveis situações e implicações na maneira de tocar(?) Alguém tem experiências a contar sobre este assunto? Vantagens e ou desvantagens?
  18. Boss gt-1000

    https://www.boss.info/us/products/gt-1000/ Parece que a Boss por fim vai lançar uma pedaleira multi efeitos decente, com qualidade de Topo. Gostei do facto dos efeitos serem derivados dos efeitos BOSS MDP e algoritmos diretamente dos pedais DD-500, MD-500 e RV-500, pedais de topo da boss e que são bastante caros comprados individuais, vamos ver o preço que sai a nova gt1000 com estes 3 pedais incluídos.
  19. Pickup na vertical

    Aqui vai uma questão : "Ando de olho " numa guitarra LTD ESP Viper Estou curioso em relação a esta configuração Dois captadores, um "normal humbucker na ponte e um na vertical do braço ... Alguém com conhecimento de causa para comentar esta configuração ?
  20. Concerto Eduardo Branco - Salão Brazil Coimbra

    até
    Eduardo Branco um compositor, guitarrista, letrista e produtor de Coimbra volta aos concertos para apresentar o seu mais recente sucesso, o single "Sorrir". Esta nova música é a primeira de apresentação do seu novo álbum que irá estar disponível no próximo ano. Numa das mais emblemáticas salas da cidade de Coimbra - Salão Brazil, o músico promete um concerto repleto de surpresas e boa música. Bilheteira: Salão Brazil Preço do Bilhete: 4€ (Inclui a oferta de uma bebida) Single Sorrir: https://www.youtube.com/watch?v=ZgBVCehiyJk Spotify: http://bit.ly/SorrirSpotify Instagram: https://www.instagram.com/eduardobrancomusic/ Website: http://eduardobranco.pt/
  21. tocar com ou sem auxilio

    Boas. Sou guitarrista e vou começar este ano a tocar numa banda de baile profissional. Quando tinha um dupla estava habituado a tocar com estante e portfólio mas agora que estou em algo mais profissional isto não fica tão bem. Conheço pessoas que usam tablets com as letras e os acordes, e outras que usam dossiers A3 deitados no chão com os acordes das musicas para se orientarem em palco. Gostaria de saber as vossas recomendações e se têm alternativas. Muito obrigado e um resto de uma boa noite.
  22. Boas! Sou vocalista, de Vila de Prado (entre Braga e Vila Verde) e procuro guitarrista para fazer um projecto de música medieval. Procuro também flautista de bisel. A música "The Wolvenstorm" do jogo Witcher 3 é o exemplo perfeito do que gostaria de fazer. Estou aberta a fazer covers ou originais, ou ambos. Gostaria de no futuro tornar o projecto comercial, ou seja, actuar em eventos, por isso preciso de gente séria e comprometida com o projecto. Até já!
  23. Antes que este link desapareça por algum motivo, deixo-vos aqui algo para ler nos tempos livres: https://www.researchgate.net/publication/233420802_Vibroacoustical_Study_of_a_Solid-Body_Electric_Guitar Estou a ler aos poucos. Estou a gostar. Tem algumas coisas que confirmam aquilo que se fala aqui, outras são "novidade" (pelo menos para mim). No entanto, também temos que observar algumas dificuldades deste tipo de trabalho. Deixo aqui uma conclusão do autor: It seems that the three guitars dynamically behave in a very similar way, with almost the same modal frequencies, modal dampings and mode shapes. However, for the 4th mode of Ash guitar at 387Hz(torsional mode),whatever the excitation method, we can notice a significantly different modal damping compared with the otherguitars (circled in Fig. 3.8). From this Modal Analysis study, it can be concluded that the close similarities in term of dynamical behavior (modal parameters) of the three tested guitars are certainly due to their identical shapes and dimensions. The mode shapes show that the neck (plus the headstock) vibrates much more than the body, which could mean that the material of the neck has more influence than the material of the body on an electric guitar’s tone. Nevertheless, since the necks of these three tested guitars come from the same maple trunk, the slight and subtle differences in tone perceived by the participants of B.Navarret’stestbetweenthethreeguitarsmaybeduetothedifferentwoodsusedfor their body, particularly for ash. In general, the type of connection (glued, bolted, screwed...) between the neck and 19 CHALMERS, Master’s Thesis 2009:76 the body is also of paramount importance, since it contributes to the overall damping i.e. the sustain of the guitar. For all the three tested guitars the neck is screwed to the body, so we can not compare that parameter. This being said, other important parts of an electric guitar which might have an influence on its tone are the string ends, where each of the six strings are connected to the instrument. This is the focus of the next chapter. Fonte: Master’s Thesis in the International Master’s program Sound and Vibration YO FUJISO Team Lutheries – Acoustique – Musique (LAM) 11 Rue de Lourmel – 75015 Paris, France Department of Civil and Environmental Engineering Division of Applied Acoustics Vibroacoustics Group CHALMERS UNIVERSITY OF TECHNOLOGY Göteborg, Sweden 2009
  24. Ajuda! Guitarra 335

    Bom dia, Estou a pensar comprar uma guitarra estilo Gibson 335, mas não pretendo gastar muito dinheiro por isso terei de ir para uma alternativa. Conheço muitas marcas que fazem guitarras estilo 335 bastante bem, desde Guilds, eastman guitars, Tokais, Yamaha etc. No entanto nenhuma delas apresenta um preço razoável para a minha carteira. Alguém tem sugestões ou experiência nesta matéria? Já pensei na epiphone dot claro mas estou a ver se aparecem mais opções. Encontrei uma epiphone que é um ligeiro upgrade da DOT : https://www.musicstore.de/pt_PT/EUR/Epiphone-ES-335-Pro-Limited-Edition-Iced-Tea/art-GIT0038914-000 No entanto já está Sold Out =(. Para mim o mais importante é a construção da guitarra e a qualidade nas madeiras/braço e prefiro sacrificar nos pick ups porque mais tarde poderia fazer upgrade para uns Gibson 57 classic. Também estou sempre a ver o OLX para ver o que aparece, em 2ª mão vou certamente conseguir melhores preços.