Paulo4343

Curso de Música Na Esmae



Posts Recomendados:

Paulo4343    0

Boa noite. Alguém aqui frequenta o curso de musica na Esmae? Vou fazer as provas de acesso para violino e gostaria que alguém que esteja lá a estudar desse a sua opinião sobre a exigência das provas, o que está a achar do curso, etc.

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
ZP vlc    44

Boas. Tirei o meu curso na ESART (violoncelo), mas como vivo no Porto conheço bem a ESMAE. Se queres um primeiro e fundamental conselho, vai ter umas aulas com o prof com quem queres estudar. Logo ali saberás se estás apto, se ele gosta de ti, se ele está numa de te ajudar e tal... E principalmente se gostas dele, se sabes que vais aprender com ele, etc. É tão ou mais importante gostares dele quanto ele gostar de ti :) Além de que tiras logo pressão sobre a prova :)

 

De resto quanto ao ambiente lá dentro, enfim... É de cortar à faca. Pessoalmente não tenho grande paciência para alguma malta de baixo nível (comparado com o resto da europa) em competição para ser o maior da sua aldeia. Estragam o ambiente todo enquanto espalham a sua bela ignorância. O que não quer dizer que não haja boa gente por lá, simplesmente o ambiente é triste, feio. Safa-se a malta do jazz e da música antiga.

 

Em todo o caso disso vais encontrar em qualquer escola superior de música.

 

Agora para a prova de conhecimentos gerais de música... Aí trabalha. Encontra um livro de história da música ocidental (tipo o Grout) e dá-lhe uma vista de olhos. Ouve muita música (há por aí uma lista, mas dá-lhe forte nas diferentes épocas e nas obras mais revolucionárias... tipo prelúdio à sesta de um fauno, sagração da primavera, sinfonia fantástica, 3ª de beethoven, etc).

  • Gosto 2

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
ZP vlc    44

Claro que dão. Só tens de ir lá, perguntar quando é que eles estão, falas com eles e tal...

 

Quanto ao resto sim, há muita gente a ficar de fora :) Mas não stresses com isso...

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
ZP vlc    44

Se queres ser músico profissional... Não penses muito no "perto", porque vais andar sempre a vida toda de um lado para o outro. A conhecer miúdas  -_- 
 

De resto, de escolas superiores tens Aveiro (muita teoria), tens Lisboa (muita competição), tens Minho (muita inexperiência), tens Castelo Branco (muito fogo de vista), tens Évora (não conheço bem)... Se fosse eu, pela escola, escolheria algo entre Aveiro e Évora.

 

Quanto a violino mesmo... Não te sei dizer, sinceramente. Tens bicharocos incríveis tipo o Radu na ESMAE mas a verdade é que se não chegas lá com uma boa técnica ele também não ta vai dar. Tens gajos que te põem três meses a tocar cordas soltas mas depois sais dali a ganhar concursos, tipo Aníbal Lima em Lisboa. E tens gajos que não sendo os melhores do mundo, vão sempre dar couro e cabelo para te ajudar e para te fazer avançar, tipo o Augusto em Castelo Branco...

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
Paulo4343    0

Ok obrigado pelas dicas. Eu já tenho outro curso académico. Tenho 23 anos e queria tirar também o curso de violino pois amo a música. Espero que seja o suficiente para entrar cá no Porto vou trabalhar para isso :)

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
ZP vlc    44

Não tenhas é medo de falar com as pessoas, sejam colegas, professores, alunos...

Dou-te um exemplo: há coisa de 6 anos estava eu nas provas de acesso para a ESMAE, e ver o Jed Barahal (o prof de violoncelo) era como ver um deus. Eu tinha quase "medo" de um violoncelista tão bom, tão experiente, que me podia ensinar tanta coisa. Acabei por decidir ir para outro sítio.

 

Há uns meses ligaram-me para ir fazer reforço numa orquestra, e adivinha quem era o chefe de naipe: o Jed Barahal. Ele está sempre no mundo dele, mas fomos bons colegas, aprendi imenso com ele, admirei-o... Às tantas dizia-me ele "se quiseres combinamos e apareces lá na ESMAE que eu dou-te umas dicas". Subitamente percebi que me habituasse a olhar para ele como o colega que mais tarde acabou por ser, não estaria a faltar ao respeito nem a ser estúpido. Estaria sim a quebrar uma barreira idiota.

 

É por essa razão que agora, enquanto professor, deixo sempre a malta à vontade para me tratar como quiser. Alguns por "tu", outros por "você", uns mais formais, outros mais informais... Cada um sabe de si, e o que eu quero mesmo é que haja uma dinâmica de "colegas". Já não acredito naquela do "eu ensino, tu aprendes". E se alguém me tratar por "você" (a maioria), que seja por eu ser mais velho e mais experiente, não por ser o professor.

 

Se quiseres combinamos um copo por aí e falamos melhor :)

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais

Regista-te ou entra para comentar!

Para deixar um comentário é necessário estar registado. É muito fácil!

Criar uma conta

Regista-te e vem fazer parte desta comunidade! É fácil!

Registar-me

Entrar

Já estás registado? Entra aqui!

Entrar agora