exmusico

Os barretes e relíquias do OLX



Posts Recomendados:

jlcosta    731
há 10 horas, The Passion disse:

@Liquid Era doce, por acaso até era, era docinho como um caramelinho. E é por tretas destas que vocês perdem clientes. Por atirarem descaradamente areia para os olhos das pessoas, porque honestamente o que dizes até é verdade, para quem não esteja por "dentro da coisa" até faz algum sentido, mas explicações dessas só tapam o sol com a peneira, e como a maioria da clientela até se deixa levar, este tipo de meias verdades continuam a dar carta branca às lojas para comerem o bolo e cuspirem as ditas "favas" na cara dos clientes. 

Vamos lá ver uma coisa, tal como no comércio automóvel, uma loja, equiparada neste caso a um Stand para facilitar a analogia, não é apenas uma loja. Como se trata de comércio especializado e requer uma atenção e conhecimento detalhados, as lojas são na verdade revendedores, ou agentes/postos de venda autorizados, e está na mão das lojas a principal triagem e deliberação dos serviços de garantia. Seja a loja apenas posto de venda ou revendedor directo. 

Então vamos lá traduzir o que disseste acima: As lojas para não criarem uma má relação com as marcas, negam, adulteram e muitas vezes nem sequer consideram uma activação de garantia como manutenção de um acordo de fornecimento que lhes é favorável, em detrimento dos direitos do seu consumidor. 

Epah, como é que eu hei-de dizer isto de uma forma bacana........
NÃO!! Nada disso, estás redondamente errado.

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
ncarmona    472
há 7 minutos, jlcosta disse:

Epah, como é que eu hei-de dizer isto de uma forma bacana........
NÃO!! Nada disso, estás redondamente errado.

Porque....

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
Egiptogrunge    74

Bem respondendo aos mais curiosos, uma marca que fazia isso era a DB tehcnologies. Atenção que nao era a marca em si mas os representantes legais dos seus serviços técnicos em Portugal. Toda e qualquer coluna que fosse la parar vinha pra tras por arranjar com a desculpa de mau uso do dono. Ora se fosse uma ou outra, ou ate 50% das colunas que isso acontecesse seria normal, pois o pessoal muitas vezes nem regular som sabe, agora todas ou quase!!!!

A loja acabou por arranjarem eles os equipamentos, e perderem algum guito, para nao ficarem sem os clientes, e acabou por nao fazer revenda de mais material dessa marca.

Sei que recentemente a loja teve uma reuniao com os representantes de uma marca recente no mercado, para serem revendedores oficiais em PT e serem também responsáveis pelos serviços técnicos, desta forma evitando problemas como esse.

E @The Passion, apesar de existirem muitos intrujões, e pessoal mafioso em lojas e afins, neste momento também nao esta fácil para eles. Reparem o exemplo anterior, se a loja nao estivesse disposta a arranjar as colunas que os serviços técnicos recusavam arranjar perderiam alguns clientes, ora se numa mega loja como thomann perder 4 ou 5 clientes nao lhes faz diferença, numa loja destas pode ser um grande rombo. E atenção, falo de uma loja que consegue ter preços em muito material igual a thomann.

 

ps.: editado, enganei-me e em vez de mencionar o The Passion tinha mencionei o Liquid.

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
jlcosta    731
há 3 horas, ncarmona disse:

Porque....

Porque não!
Feliz ou infelizmente a responsabilização das lojas fica-se pelo bom senso de cada uma.
Quem é responsável pela garantia é a marca e não a loja.

Vão buscar artigos onde quiserem, é assim que funciona, aliás é este o prato do dia das negociações entre lojista e fornecedores.


Experimenta por exemplo, comprar um BWM a um concessionário ou a um mero "stand" e não o leves sempre à marca fazer as revisões... não é o stand que se responsabiliza pela corrente de distribuição se um dia ela partir, mesmo que ela tenha garantia vitalícia, só porque tu vais à midas porque te convém e é mais barato. É a marca que decide o que fazer na garantia e sua reparação.

Não podes ir ao "stand" com a conversa de o carro ainda estar na garantia só porque ele é o "representante". É que nada a ver!
Isto é apenas um exemplo de como a lei não é literal.

  • Gosto 1

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
A.G.E.N.T.E.    135
há 11 horas, The Passion disse:

@Liquid Era doce, por acaso até era, era docinho como um caramelinho. E é por tretas destas que vocês perdem clientes. Por atirarem descaradamente areia para os olhos das pessoas, porque honestamente o que dizes até é verdade, para quem não esteja por "dentro da coisa" até faz algum sentido, mas explicações dessas só tapam o sol com a peneira, e como a maioria da clientela até se deixa levar, este tipo de meias verdades continuam a dar carta branca às lojas para comerem o bolo e cuspirem as ditas "favas" na cara dos clientes. 

Vamos lá ver uma coisa, tal como no comércio automóvel, uma loja, equiparada neste caso a um Stand para facilitar a analogia, não é apenas uma loja. Como se trata de comércio especializado e requer uma atenção e conhecimento detalhados, as lojas são na verdade revendedores, ou agentes/postos de venda autorizados, e está na mão das lojas a principal triagem e deliberação dos serviços de garantia. Seja a loja apenas posto de venda ou revendedor directo. 

Então vamos lá traduzir o que disseste acima: As lojas para não criarem uma má relação com as marcas, negam, adulteram e muitas vezes nem sequer consideram uma activação de garantia como manutenção de um acordo de fornecimento que lhes é favorável, em detrimento dos direitos do seu consumidor. 

É mais assim. 

Mas ainda bem que decidiste dar o ar da tua graça acerca deste tópico. A Mr.Jack não só acabou de me perder como cliente, como também todos os meus clientes, por sorte não faltam lojas onde comprar componentes.

Não sei se percebi bem a tua leitura, mas se percebi, estás a assumir que qualquer revendedor está habilitado a fazer uma peritagem sobre os eventuais problemas que possam surgir em todas as marcas que têm na loja.  Na realidade isso é praticamente impossível, a não ser que vendam um número reduzidíssimo de produtos/marcas/referências.

Dou-te um exemplo que conheço bem e nada tema a ver com o mercado de instrumentos. Um laboratório de dispositivos médicos vende material a farmácias (que vende milhentas marcas e produtos diferentes), o cliente compra à farmácia um termómetro de infra vermelhos "state of the art" com 3 anos de garantia.

Passados 3 meses o cliente aparece na farmácia a dizer que o equipamento não funciona. Achas que os farmaceuticos vão abrir o aparelho e ver se tem componentes danificados? O que vão fazer é recolher informação para facultar ao representante da marca quando este for avaliar o produto danificado.

Obviamente neste processo, e como em todo o lado, há bons e maus profissionais e a recolha de informação ou falta dela pode em alguns casos definir a responsabilização da marca. No entanto quem define se a reparação/substituição do item danificado está coberta pela garantia, é a marca.

Caso isso não aconteça, é o revendedor que come a reclamação do cliente final com batatas. Daí que as lojas optem por trabalhar com o fornecedor A em detrimento do B.

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
amrest    94
Citação

 

O comprador não tem que saber quem é o produtor / importador, etc.. Sabe qual a loja onde comprou e é onde recorre em caso de acionar a garantia. No caso dos stands de marcas estes estão ligados ao importador que tens as suas oficinas (chamadas de assistência oficial) e para onde são reencaminhados os veículos para a manutenção e assim não perderem a garantia. Cada negócio terá o seu "modus operandi".

Dec-Lei 67/2003

...

Artigo 3.º Entrega do bem
1 - O vendedor responde perante o consumidor por qualquer falta de conformidade que exista no momento em que o bem lhe é entregue.    

2 - As faltas de conformidade que se manifestem num prazo de dois ou de cinco anos a contar da data de entrega de coisa móvel corpórea ou de coisa imóvel, respectivamente, presumem-se existentes já nessa data, salvo quando tal for incompatível com a natureza da coisa ou com as características da falta de conformidade..

....

Artigo 7.º Direito de regresso
1 - O vendedor que tenha satisfeito ao consumidor um dos direitos previsto no artigo 4.º bem como a pessoa contra quem foi exercido o direito de regresso gozam de direito de regresso contra o profissional a quem adquiriram a coisa, por todos os prejuízos causados pelo exercício daqueles direitos.  

...

 

  • Gosto 1

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
xtech    2956

Tenho uma dúvida:

Se eu compro a uma loja, a loja recebe o meu dinheiro em troca de um produto que lhe chega às mãos (o cliente não sabe nem tem que saber como isso funciona). Quanto o produto apresenta um problema, eu devo dirigir-me ao meu interlocutor que recebeu o meu dinheiro pelo produto: a loja.  A partir daí, se é a marca que dá a garantia, se é a loja, é algo que o cliente não tem que saber, é algo que a loja deve resolver.

Ou seja, se quem recebe o meu dinheiro é a loja, para todos os efeitos a minha relação deve ser com a loja, não com fornecedores nem marcas, porque eu não comprei directamente da marca. A loja, enquanto vendedora, deve ser responsável por garantir o produto, já que a minha transação foi com ela.  Estarei enganado? 

Se as marcas dão garantia ou não, isso é a loja que tem que lidar. Se o produto tem que ir à marca para ser reparado ou não, também. Acho que é inaceitável e até ilegal que se passe esse ónus para o cliente. Porque quer dizer, para vender estão na linha da frente e apresentam-se como "a frente da marca", para o suporte "já não é connosco, a garantia é a marca que a dá"? Uma venda é um contrato celebrado entre dois outorgantes: o cliente e a loja. Daí que terceiros não devem estar envolvidos por lei, digo eu!

 

@The Passion podes escolher vários "vendedores" para te chatear, mas fazes mal em apontar bateriais ao @Liquid, tem tido um comportamento nesse aspecto absolutamente irreprensível, com todos os clientes daqui e inclusivamente no que a mim diz respeito. Impecável mesmo (assim se conserve :) ).

  • Gosto 1

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
jlcosta    731
há 10 minutos, xtech disse:

Se as marcas dão garantia ou não, isso é a loja que tem que lidar. Se o produto tem que ir à marca para ser reparado ou não, também. Acho que é inaceitável e até ilegal que se passe esse ónus para o cliente. Porque quer dizer, para vender estão na linha da frente e apresentam-se como "a frente da marca", para o suporte "já não é connosco, a garantia é a marca que a dá"? Uma venda é um contrato celebrado entre dois outorgantes: o cliente e a loja. Daí que terceiros não devem estar envolvidos por lei, digo eu!

E é isso que acontece com as lojas. Globalmente no compromisso do bom senso sim. Na obrigatoriedade é que não.
Já foste a alguma loja de instrumentos com alguma coisa estragada que, estando dentro da garantia não quiseram saber de ti?
Eu não.

A Loja tem encargos, tem serviços, tem muita coisa para poder reivindicar ganhos sobre um produto, mas quando compras um pedal, dentro da caixa não vem a garantida da mrjack, ou da musifex, ou da lismúsica, vem a dos 5 anos da BOSS e é isso que vale.

A garantia é automaticamente acionada quando compras o pedal e tem a duração que a marca promete desde essa data.
Há lojas que "dão" / "negociam" mais tempo de garantia, como Wortens e Fnacs, ou que dão troca directa/devolução nos primeiros dias após compra, mas isso são outros quinhentos, também não é literal.

E após compra @xtech, dói, mas do ponto de vista do encargo do consumidor, a loja é um terceiro!
Cabe à loja negociar boas condições e bons preços, para também ela poder vender isso aos clientes.
Há as que o fazem, outras nem tanto, é o que define muitas vezes o tempo de uma loja aberta ao público em que nós somos os juizes desse processo.

  • Gosto 2

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
Liquid    161
há 48 minutos, amrest disse:

O comprador não tem que saber quem é o produtor / importador, etc.. Sabe qual a loja onde comprou e é onde recorre em caso de acionar a garantia. No caso dos stands de marcas estes estão ligados ao importador que tens as suas oficinas (chamadas de assistência oficial) e para onde são reencaminhados os veículos para a manutenção e assim não perderem a garantia. Cada negócio terá o seu "modus operandi".


Claro que sabe, a começar pela marca escarrapachada no produto. Se qualquer forma, parece-me do senso comum que o consumidor exija que o produto quando em garantia, seja revisto e reparado pela assistência oficial da marca e não por um "jeitoso" qualquer.

 

há 27 minutos, xtech disse:

Tenho uma dúvida:

Se eu compro a uma loja, a loja recebe o meu dinheiro em troca de um produto que lhe chega às mãos (o cliente não sabe nem tem que saber como isso funciona). Quanto o produto apresenta um problema, eu devo dirigir-me ao meu interlocutor que recebeu o meu dinheiro pelo produto: a loja.  A partir daí, se é a marca que dá a garantia, se é a loja, é algo que o cliente não tem que saber, é algo que a loja deve resolver.

Ou seja, se quem recebe o meu dinheiro é a loja, para todos os efeitos a minha relação deve ser com a loja, não com fornecedores nem marcas, porque eu não comprei directamente da marca. A loja, enquanto vendedora, deve ser responsável por garantir o produto, já que a minha transação foi com ela.  Estarei enganado? 

Se as marcas dão garantia ou não, isso é a loja que tem que lidar. Se o produto tem que ir à marca para ser reparado ou não, também. Acho que é inaceitável e até ilegal que se passe esse ónus para o cliente. Porque quer dizer, para vender estão na linha da frente e apresentam-se como "a frente da marca", para o suporte "já não é connosco, a garantia é a marca que a dá"? Uma venda é um contrato celebrado entre dois outorgantes: o cliente e a loja. Daí que terceiros não devem estar envolvidos por lei, digo eu!


A loja tem responsabilidade, obviamente, mas quem decide sobre o que é garantia ou não, é a marca e não a loja, e não podia ser de outra forma.
Por exemplo, se tu levares um artigo à loja para acionar a garantia e quem esta atrás do balcão disser taxativamente, isto não é garantia...eu por exemplo, como consumidor, exigia que fosse entregue aos serviços técnicos da marca para uma avaliação e ser revisto, depois consoante o relatório, logo se dá outro passo.

As situações de garantia são sempre um potencial de conflito e o problema começa quando as posições se extremam e o bom senso deixa de imperar. Em ultima instância terá sempre resolução num tribunal qualquer, mas acho que não interessa a ninguém.

Eu acredito que as lojas devam fazer tudo para manter o cliente satisfeito, mas a máxima do cliente tem sempre razão, a experiência encarrega-se de desmentir.

 

há 26 minutos, xtech disse:

 

@The Passion podes escolher vários "vendedores" para te chatear, mas fazes mal em apontar bateriais ao @Liquid, tem tido um comportamento nesse aspecto absolutamente irreprensível, com todos os clientes daqui e inclusivamente no que a mim diz respeito. Impecável mesmo (assim se conserve :) ).

 

Obrigado pelo voto de confiança! :yes:

  • Gosto 3

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
pgranadas    2307
há 1 hora, xtech disse:

@The Passion podes escolher vários "vendedores" para te chatear, mas fazes mal em apontar bateriais ao @Liquid, tem tido um comportamento nesse aspecto absolutamente irreprensível, com todos os clientes daqui e inclusivamente no que a mim diz respeito. Impecável mesmo (assim se conserve :) ).

Se todos os lojistas tivessem a postura que a MrJack tem em informar e apresentar as melhores soluções aos seus clientes, não sei porque haveria sequer interesse em recorrer às tais megalojas muito conhecidas.

  • Gosto 1

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais

Regista-te ou entra para comentar!

Para deixar um comentário é necessário estar registado. É muito fácil!

Criar uma conta

Regista-te e vem fazer parte desta comunidade! É fácil!

Registar-me

Entrar

Já estás registado? Entra aqui!

Entrar agora