pgranadas

Amplitube vs Bias vs GuitarRig vs Helix



Posts Recomendados:

pgranadas    1447

Olá,

Gostava de vos convidar a debater este tema. É inegável o crescimento de utilizadores de software para modelar amplificadores e efeitos, assim como também é inegável que estes produtos têm vindo a melhorar a sua qualidade.

Tive a oportunidade de testar todos os quatro, e há naturalmente pros e contras em todos eles. O ideal seria juntar num, os prós de cada um, talvez um di alguém o faça.

Gostaria de lançar o debate, porque creio que de alguma forma, já todos nós sentimos pelo menos a curiosidade de exprimentar estes programas, nem que tenha sido as versões gratuitas, para se ter uma ideia do que se anda a fazer.

Como já disse, todos teem pontos fortes e pontos fracos, surpreendentemente, aquele que mais decepcionou, foi o mais recente de todos, que também foi o que provavelmente mais buzz fez pela sua chegada. Falo do Helix. Sinceramente, decepcionou-me como eu não esperava. Com tantas boas críticas que existem à pedaleira, talvez as minhas espectativas estivessem demasiado em alta, porque detestei o programa.

Ja no outro canto, está o BiasFx, que na minha opinião, vale bem os 160€ que custa. Muito intuitivo de se usar, tenho inclusive pena de apenas o ter testado já após ter terminado o meu último projecto.

E vocês? Que dizem da vossa experiência?

 

  • Gosto 1

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
tmo    492

Infelizmente não posso opinar muito sobre este assunto, tenho uma experiência muito limitada ao Guitar Rig e Amplitube. DO que ouvi na altura, pareceram-me bem conseguidos, com preferência em termos de som para o Amplitube, mas de layout/programação/conceito geral e efeitos para o Guitar Rig.

Toco muito pela noite, mas acabo por ligar o meu material à placa de som. O Triaxis tem "Record Out" com simulação de coluna, o que não sendo extraordinária, soluciona o problema. Como me basta ligar botões, acabo por não investir nesta tipologia de software.

@pgranadas, já que tens acesso aos 4 softwares, como é que avalias cada um em termos de som, programação e utilização em "real time" / recurso a pedaleiras MIDI para alterar timbres "on the fly"?... Podias começar por listar aquilo que gostas e não gostas em cada um, por exemplo e assim já dás um mote ao resto do pessoal.

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
pgranadas    1447

Oi @tmo,

Sim, posso descrever um pouco mais a minha experiência, apesar de não conseguir apresentar um relatório ao teu estilo, o que é uma pena.

Em termos de facilidade de utilização, os vencedores são o Amplitube, e o Bias. O facto de se ter uma representação visual, muito "realista" dos pedais, amplificadores, etc, facilita muito. Em termos de features, o Amplitube é de facto muito evoluído, mas não sei até que ponto isso será uma vantagem, porque dei por mim por vezes perdido nas opções. É possível escolher carradas de microfones, de cabs, dos speakers em cada cab, etc, mas até que ponto é tudo isso necessário, ou se serve mais para nós perdermos, já é outra questão.

O Bias, tem uma representação visual muito idêntica ao Amplitube, mas com menos opções, mas também me foi mais fácil neste último conseguir mais rapidamente resultados satisfatórios.

O Guitar Rig, pode ser um pouco confuso ao início, porque tem a filosofia de rack, ao inves de pedais. No entanto, a nível de Delays, é o meu favorito, e depois de se compreender como funciona, consegue-se resultados muito bons.

O Helix, como já disse antes, foi a maior decepção. Compreendo que tenham mantido a filosofia gráfica da pedaleira, mas a Headrush nesse campo foi também muito mais inteligente. Não é difícil escolher os pedais, amps, etc, mas os settings de cada elemento não são para mim intuitivos, especialmente no caso dos amps. Achei confusa a designacao de alguns parâmetros, na realidade, nem consegui bem perceber a utilidade de alguns deles, se é que tinha alguma. Os presets de fábrica são muito interessantes, mas fiquei decepcionado com a edição. Tentei fazer presents a partir do zero, e não consegui obter o resultado desejado.

Em termos de resultados, porque é isso o mais importante...

Sons Clean:

Parece que os sons limpos são o mais facil de emular, porque todos os programas deram resultados satisfatórios.

Sons High Gain/Lead: 

Aqui a história muda drasticamente, mas só posso falar do ponto de vista de gosto pessoal, e não de comparação dos resultados obtidos, comparandos com amps reais.

Amplitube, tende a ter o som empastelado. Guitar Rig, demasiado artifícios na gama alta, tornando-o um pouco artificial. Helix, a mim soa-me melhor que o Amplitube, mas o som é sem brilho, parece que lhe falta definição (que curiosamente nos vídeos do YouTube, Helix vs Headrush, já tinha também notado). BiasFx, para mim foi o que me impressionou mais, equilibrado, dinâmico, não sei se soa como os amps reais, mas nem me interessa, gostei do resultado e dá gozo ao tocar.

Sons crunch:

Tal como nos Clean, todos apresentam, resultados satisfatórios, é mesmo uma questão de gosto.

Efeitos:

Todos tem os pedais do costume, se soam igual ou parecido com os verdadeiros, não comparei, por isso não posso dizer nada. Mas um dos efeitos de que gosto mais é o Delay, aqui o Guitar Rig é o claro vencedor, tem Delays mesmo muito bons. 

Para quem gosta de efeitos em stereo, como Delays Ping Pong, Reverbs, etc, todos permitem ter amplificadores diferentes para cada canal, assim como tudo o resto, por isso é possível ser-se bastante criativo nessa área.

O que tem mais opções a níveis de filtros, para criar sons mais elaborados, é de longe o Guitar Rig. É possível criar filtros automatizados, ou controlados em tempo real, para praticamente tudo e mais alguma coisa.

se os colocasse numa ordem de preferências, seria a seguinte.

Do ponto de vista de qualidade de som.

BiasFX, Guitar Rig, Amplitube, Helix.

Do ponto de vista de "features".

Guitar Rig, Amplitube, Helix, BiasFX

Preferencia pessoal.

BiasFX, Guitar Rig, Amplitube, Helix

A razão de ter o Bias em primeiro lugar da preferência, tem a ver com o facto de ter sido nele que obti melhor qualidade de tone, com menos dificuldades. Pode ter menos opções que os outros, mas como o que me interessa são resultados, a simplicidade do BiasFx permite isso mesmo, resultados com menos confusão e mais rapidamente.

  • Útil 3
  • Obrigado 1

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
tmo    492

@pgranadas, eh pah, sinto-me lisonjeado, mas não é necessário comparações. O que tens aqui descrito está muito focado e objectivo, e revela a tua experiência com os diferentes softwares.

Permite-me as perguntas, fizeste comparação "lado a lado" entre uns e outros com simulações dos mesmos amps e colunas? Muitas vezes a malta que faz estas comparações usa IRs iguais em todos para limitar o número de variáveis e dar alguma referência geral ao público. Não sei se concordo com esta abordagem, pois nem toda a gente tem os IRs usados para poderem reconstruir os sons. Pessoalmente, preferiria comparar as simulações de amps e de colunas, pois é isso que a malta tem quando compra o pacote. Tens a possibilidade de as fazer?

Outra pergunta, igualmente pertinente, como é que usas estas aplicações? ligas a guitarra à placa de som e... usas pedaleira para alterar timbres, tipo utilização "live" ou apenas para gravações, ponderas usar isto ao vivo ou em ensaios com outro pessoal?... essas coisas.

Pergunto isto porque, genericamente e por este tipo de soluções estar agarrado ao uso de um computador, tenho ideia de que não são tidas como possibilidade de se usar como processador de som em ensaios, concertos ou até em sound design...

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
pgranadas    1447

Sim @tmo, tentei fazer o que dizes, e o facto é que, todos os softs teem por exemplo os tipicos Fender, ou o Ac30. Em todos soa diferente...

Eu considero um erro, tentar-se comparar os amps modelados, com os reais. Porque a realidade seja dita, se metermos dois AC30 lado a lado, a menos que sejam do mesmo lote, com o mesmo tempo de queima de válvulas, e tenham a mesma alimentação, muito possivelmente eles soam diferentes entre si. Por isso, quando a Line 6 modelou um AC30, e a Power Grid modelou um outro, ou tiveram o mesmo amp, nas mesmas condições, ou então já é de esperar que soe diferente um do outro. E depois junte-se ainda a isso, a capacidade dos programadores fazerem o melhor algoritmo.

Por isso, eu pessoalmente acho um erro essa ideia que o amp modelado, soa ou deva soar igual a um real. Quanto muito, é uma referência de registro de tom, mas nunca uma cópia. Na minha opinião, claro.

Resumindo, quando faço um tone, não estou a pensar em usar um amp X porque pretendo o tone que normalmente se obtém com um amp X. Pego naquele que mais me soa ao que pretendo, e sigo a partir daí.

Quanto aos IR, nem nunca usei. Se calhar faço mal, mas o meu objectivo é tentar com o que tenho vindo de fabrica, ter o tone que me faça sentir satisfeito, se não dá, meto de parte e testo outro. Por isso já passei por eles todos, e até agora o que me deu resultados melhores foi o Bias, veremos se fico por aí.

Usar ao vivo, claro que é possível, todos eles permitem o uso de pedaleira midi, etc.. MAS...faz sentido andar com um portátil atras, mais interface audio, tudo num valor superior ao de uma pedaleira, quando uma pedaleira faz o mesmo e melhor, do ponto de vista de fiabilidade? Porque nunca nos podemos esquecer, que um pc pode crachar. E se andarmos com ele aos trambolhões, provavelmente crachará. Já uma pedaleira, é mesmo feita para levar porrada.

Eu não faço neste momento concertos nem toco em banda, mas se a situação surgir, investiria numa pedaleira, provavelmente na Headrush, pelo que tenho visto até agora.

Mas para trabalhar em estúdio, é o melhor sistema, pela simples razão, que usando um vst, podes posteriormente na mistura, alterar parâmetros do próprio tone da guitarra, ao invés de se ficar limitado a apenas mexer na EQ, ou meter mais compressor, ou mais reverb, etc. Com esta solução, gravas-se o sinal da guitarra limpo, e tens todas as opções da modelação sempre à disposição durante o trabalho de mistura. É como se fizesses sempre Reamp, sem a chatice de cabos, Reamp boxes, amps, micros, etc...

  • Gosto 1

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
tmo    492

Totalmente de acordo contigo, no entanto, quando te perguntei pela comparação dos sons usando simulações dos "mesmos" amps, a ideia era a de tentar perceber se gostaste mais de um software do que de outro, por exemplo e hipoteticamente, se o som marshall é melhor no Amplitube, o Fender no Guitar Rig e o Mesa no BiasFX... apenas nesse sentido... venham mais opiniões e experiências, obrigado pela partilha @pgranadas.

 

EDIT: movi o tópico para o subgrupo dos pedais e efeitos, pois parece-me ser o mais apropriado. Pode-se reverter sem problemas se não estiverem de acordo...

  • Gosto 2

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
stratocosta    3408

testei a uns dias o Helix e detestei aquilo. ainda julguei que era erro do utilizador , entretanto descobri que o saudoso Revalver ( https://peavey.com/products/revalver/ ) tem uma versão free, instalei e sem grandes "truques" sou-me logo melhor.

o marketing da L6 continua forte , é uma pena a Peavey não promover mais o Revalver.

mesmo assim , o Kemper está noutro campeonato ( a nível de €€€€ também :P ) mas jamais pagaria 400€ pelo Helix. 

  • Gosto 4

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
resolectric    430

Revalver!!!
Usava isso nos tempos dos plugins DirectX. Era incrível!
Agora uso Amplitube (o Revalver já está encostado à garagem dX) mas não me vou alongar na discussão pois não experimentei os outros.
E já está tudo bem explicado pelos participantes do tópico.

Nota: também tenho o Vandal pois vinha com o Sequoia. É fixe.

  • Gosto 1

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
tmo    492
há 11 minutos, resolectric disse:

Revalver!!!
Usava isso nos tempos dos plugins DirectX. Era incrível!
Agora uso Amplitube (o Revalver já está encostado à garagem dX) mas não me vou alongar na discussão pois não experimentei os outros.
E já está tudo bem explicado pelos participantes do tópico.

Nota: também tenho o Vandal pois vinha com o Sequoia. É fixe.

Tenho a certeza que com a tua experiência no ramo podes acrescentar algo interessante... :P Não queres aprofundar um pouco mais a coisa? Como é que usavas, em que contextos, que "emulações" gostas/gostaste mais... boa?

  • Gosto 1

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
stratocosta    3408

alguns pormenores que me agradam no Revalver:

- Versão stand-alone: não precisas de carregar um daw ou outro software extra para o usar.

- Modulo VST - inseres na cadeia qualquer outro vst que tenhas ( delay , reverb , amps etc. )

- Embora não seja o mais "bonito" a nível gráfico é bastante fácil de usar 

- Podes personalizar os amps, trocando componentes etc. ( acho que só o Bias faz isso mas é bastante posterior ao Revalver )

o fundador / programador do Revalver era um bacano , participava nos forums , aceitava sugestões etc.

entretanto a partir da altura que foi adquirido pela Peavey e o site original ( Alien Connections ) desapareceu também me desliguei em bocado do Revalver.

tenho ideia que os amps de emulação da Peavey mais recentes foram desenvolvidos pelo fulano.  

 

 

 

 

  • Gosto 3

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais

Regista-te ou entra para comentar!

Para deixar um comentário é necessário estar registado. É muito fácil!

Criar uma conta

Regista-te e vem fazer parte desta comunidade! É fácil!

Registar-me

Entrar

Já estás registado? Entra aqui!

Entrar agora