Rui T

IVA dos instrumentos musicais desce?



Posts Recomendados:

pgranadas    2245
há 1 hora, stratocosta disse:

ou fácil.

estás a comparar hipermercados com tascas :P 

já comprei muita tralha na tó , mas só se não arranjar por cá. se tenho dúvidas mando um email ou vou a loja.

o que é perigoso , já não é a primeira vez que vou para comprar cordas e agarrada as cordas vem uma guitarra :D

Essa coisa de guitarras virem coladas, conheço a sensação. Acho que metem alguma cola especial que desconheço.

Nao estou a comparar nada. Apenas constato uma realidade. A To também já foi uma tasca. Mas foi precisamente porque trabalhou com a abertura que a internet dava, que se tornou naquele Golias. O problema em Portugal, foi sempre a mentalidade bairrista, e o facto de que os patrões tugas, quando se lhes propõe uma coisa, perguntarem quanto é que isso custa, em vez de perguntarem quanto é que podem ganhar com isso. Típico empresário tuga, que não quer pagar 1000€ Por mês a empregado para lhe manter um site em condições e actualizado na hora, mas gasta 10000€ para ir molhar o cú nas praias do brasil. Por isso, não consigo ter pena deles.

Se o negocio lhes corre mal, é culpa inteira deles.  Como diz um colega meu "C'est le prix à payer".

  • Gosto 4

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
jlcosta    722

Epah eu até compreendo onde queres chegar e sinceramente, concordo em parte.

Mas...
1. Fermentar um negócio que visa 10 milhões de pessoas e outro 83 milhões é diferente. A todos os níveis.
2. Essa abertura da internet que falas, hoje está mais equilibrada entre países da UE, mas há 10 anos não.
3. Poder de compra e acesso a linhas de crédito nem se comparam.
4. A alfândega portuguesa tem dos maiores problemas estruturais a vários os níveis que tornam Portugal um país mais fechado quando comparado a uma Espanha, França, Reino Unido e Alemanha.

E por aí fora...

Lembro-me de comparar a actual Sonigate em Leiria com a Musicstore e desde então já enfrentou ínumeros problemas financeiros, já mudou de nome uma data de vezes e hoje nem loja online tem.

Por exemplo, a Gibson, numa encomenda de "x" guitarras, obriga a cada proprietário de loja investir em várias de alta gama que não se vendem, num país de poucos números a todos os níveis... É ligeiramente injusto generalizar qualquer modelo de negócio de instrumentos.

  • Gosto 2

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
pgranadas    2245
há 51 minutos, jlcosta disse:

1. Fermentar um negócio que visa 10 milhões de pessoas e outro 83 milhões é diferente. A todos os níveis.

Lá está, a tal mentalidade "bairrista". 10 milhões!!! 83 milhões!!! Como assim? Se vivemos na Europa, e entrámos na comunidade europeia, porque raio havemos de continuar a ver as coisas num plano nacionalista? Na Europa há cerca de 510 milhões de habitantes. E esse é o mercado para o qual as empresas devem trabalhar.

 

há 57 minutos, jlcosta disse:

2. Essa abertura da internet que falas, hoje está mais equilibrada entre países da UE, mas há 10 anos não.

Permite-me discordar, mas ainda que fosse assim, porque ainda hije, passados 10 anos, as empresas nada fizeram para beneficiar disso?

 3. Poder de compra e acesso a linhas de crédito nem se comparam

Mas começamos a falar, que os tugas compravam lá fora. Portanto, o poder de compra é o mesmo. Linhas de crédito, também as há em Portugal. O problema é que são mais depressa requeridas para comprar um Mercedes, do que para investir num site.

há 1 hora, jlcosta disse:

4. A alfândega portuguesa tem dos maiores problemas estruturais a vários os níveis que tornam Portugal um país mais fechado quando comparado a uma Espanha, França, Reino Unido e Alemanha

Cabe aos empresários encontrar soluções. O problema, é que não passam de uns ursos incompetentes.

Mas afinal não estamos na Europa? Se a alfândega portuguesa funciona mal, usem outra. É muito simples, basta colectar uma pequena empresa num país com uma boa alfândega (faz-se disso por esta Europa fora, ás carradas, aqui no Luxemburgo, o que não falta é escritórios, que estão vazios e têem apenas um telefone. Telefone esse reencaminhado para a verdadeira empresa. Para que serve então o escritório vazio? Para ter uma morada no Luxemburgo, registada como sede da empresa e pagar os impostos no Luxemburgo) continuando, nesse país com melhor alfândega aluga-se um armazém, e transporta-se a mercadoria para casa. Nada complicado, se a alfândega portuguesa é um problema, usa-se a espanhola. Quanto ao custo de transporte e tal, fica já com a informação que entre portugal e Luxemburgo, custa 1€ por kilo, bem negociado, ainda desce mais.

Quanto a fornecedores tipo Gibson, mas há alguma lei que obrigue os usar? Se a Gibson e a Fender são elitistas, paciência. Compra-se umas guitarras dessas marcas na Thomman (sim, uma empresa pode usar a Thomman como distribuidor) e enche-se o resto do Stock com aquilo que a maioria das pessoas procura, ou seja, barato de preferência.

Sei que não estou a considerar tudo e bla, bla, bla... mas o ponto que pretendo mostrar é: existem soluções para os problemas, o maior e mais grave problema, é que as pessoas não têm capacidade para os ultrapassar.

Quem tem a capacidade. Tem empresas como Thomman, MusicStore, Andertons, Woodbrass, Musiker, Bax-shop, MusikProduktiv, e muitas outras.

  • Gosto 3

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
jlcosta    722

@pgranadas

A minha opinião é rotundamente diferente dos argumentos que apresentas.
Mas gosto do teu positivismo, faço minhas as palavras do @stratocosta, abre uma tasca com belos preços e tens mais um a comprar lá :yes:

  • Gosto 2

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
pgranadas    2245

@stratocosta, @jlcosta, gostaria muito de abrir uma loja, mas não passo de um pelintra que nem férias no Algarve pode passar, quanto mais em Copacabana. E não suporto aquela coisa que entra na loja...como é mesmo?.... há já sei.... clientes. Essa raça de gente é algo para o qual não tenho pachorra.

  • Riso 4

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
há 23 horas, xtech disse:

Eu hoje já fiz a minha parte: mandei um email para a tó man a dizer que o iva baixou e portanto é hora de baixar os preços ao pessoal. É que quando a thoman baixar, as outras vão todas atrás, incluindo as portuguesas.

já tinha pensado no mesmo, vou mandar também xD

  • Gosto 2

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
Rui T    1510
há 11 horas, pgranadas disse:

Por acaso, uso mais a MusicStore, mas usaria as lojas portuguesas com agrado se:

-Tivessem um catálogo e site claro, actualizado e navegável.

-Fossem transparentes nos preços. Quando vejo o habitual "Sob consulta", pessoalmente perco logo o interesse e não volto lá. 

-Tal como as concorrentes estrangeiras, fosse fácil perceber quando e quanto se pagará por portes das encomendas.

Concluindo, se o "pessoal" continua a comprar na Tó na Music ou na bord alheira, a culpa não é do "pessoal" e está nas mãos dos proprietários das lojas mudar isso, que nem é tão difícil assim.

Eu gosto do site actual da Mr. Jack. Nunca comprei através do site porque vou à loja.

  • Gosto 1

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
pgranadas    2245
há 3 horas, Rui T disse:

Eu gosto do site actual da Mr. Jack. Nunca comprei através do site porque vou à loja.

Está porreiro sim senhor. Só há algumas arestas que seria interessante alimarem, para chegarem ainda mais longe.

A primeira, era um versão inglesa do site. Isso abriria-lhes a possibilidade de exportar material.

A segunda, fazer desaparecer alguns "sob consulta" que lá andam.

A terceira, é que anda por lá muito Fender e Gibson, e nada do que o pessoal discute mais pela net. Chapman, Sire, Ibanez, G&L, etc. Que possivelmente até são marcas que não fazem as exigências de Stock que já se falou, para além que bastava o custo de duas Gibson, para encher praticamente a loja toda.

A quarta, é que não consigo perceber quanto é que terei de pagar de portes.

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
Rui T    1510
há 4 horas, pgranadas disse:

Está porreiro sim senhor. Só há algumas arestas que seria interessante alimarem, para chegarem ainda mais longe.

A primeira, era um versão inglesa do site. Isso abriria-lhes a possibilidade de exportar material.

A segunda, fazer desaparecer alguns "sob consulta" que lá andam.

A terceira, é que anda por lá muito Fender e Gibson, e nada do que o pessoal discute mais pela net. Chapman, Sire, Ibanez, G&L, etc. Que possivelmente até são marcas que não fazem as exigências de Stock que já se falou, para além que bastava o custo de duas Gibson, para encher praticamente a loja toda.

A quarta, é que não consigo perceber quanto é que terei de pagar de portes.

Ibanez duvido muito que alguma vez venha a ter.

Os portes estão no Centro de Ajuda.

 

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais

Regista-te ou entra para comentar!

Para deixar um comentário é necessário estar registado. É muito fácil!

Criar uma conta

Regista-te e vem fazer parte desta comunidade! É fácil!

Registar-me

Entrar

Já estás registado? Entra aqui!

Entrar agora