Posts Recomendados:

Antonio    385

@John10 Concordo com tudo. Apenas uma pequena correcção: As pessoas nem musicas ao calhas ouvem. Põem a tocar parae servir de som ambiente enquanto fazem outra coisa... Hoje em dia para fazeres as pessoas ouvirem a musica precisas de um bom vídeo. E mesmo assim, um granda vídeo normalmente só te consegue 30s de atenção do ouvinte antes de ele clicar noutra coisa qualquer

  • Gosto 1

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
mpexus    535
há 9 horas, John10 disse:

 

Isto para dizer que o consuma da música mudou muito e o "attention span" das pessoas é cada vez menor. Ninguém se senta uma hora para ouvir um disco. Quanto mais para ir ler sobre o disco e ir conhecer mais coisas?

 

Porque há muito mais coisas para ver e ouvir ou lêr do que até agora houve.

Um gajo/a antes ouvia um disco todo pq não tinha mais nada para fazer, metias o disco a tocar e ou ficavas parado a ouvir ou lias um livro ao mesmo tempo. Não dava nada de  jeito na TV pq quando dava não era um Disco que se ia ouvir mas sim ver o programa. Hoje há sempre algo de jeito ou que nos interesse para ver e ouvir, mas há tanto que a nossa atenção dispersa-se.

Nada tem a  ver com a horrível frase: No Nosso Tempo É quer era Bom (detesto ouvir esta merda). Tema  ver que no nosso tempo não havia nada mais para fazer e hoje há. Continuar a pensar que se vai voltar ao "antigamente" é de loucos, não não vai e a música assim como a TV ou Radio  Jornais/Revistas perderam protagonismo.  Não interessa se se vai fazer a melhor musica alguma vez feita, maioria care less, ouve por ouvir e siga há coisas para ver/ouvir/fazer.

A semana passa fui pela primeira vez ao Louvre, isto para dar um exemplo de "excessos". Sabendo de antemão que é impossível ver tudo num só dia mesmo assim tentei ver o máximo que pude pq não sei quando lá poderei passar outra vez. Ao fim de 3 horas já se começa a ver tudo a correr sem prestar atenção a practicamente nada, vais-se ver o que prende mais a vista e olha-se na diagonal para o resto. Há tanta obra mas tanta obra com tantas salas e salinhas adjacentes que a saturação nos assola em muito curto espaço de tempo. É um quase um "crime" um gajo passar ver algo em 3 segundos e seguir para a próxima... mas é assim e pq há milhares de obras expostas num espaço gigantesco em se anda à vontade  Kms lá dentro.

Com a Música passa-se o mesmo, há tanta e tantas outras coisas que nos prendem a atenção que ninguém vai perder horas a ouvir 1-2 discos de enfiada e não estar a fazer mais nada. Então a malta nova não o faz de certeza, a vida é curta demais para se perder muito tempo só com poucas coisa quando tens todo um Mundo de Lazer e informação ao dispor de umas teclas. Nem eu o faço há uns bons 20 anos ou mais, tenho mais que fazer que estar olhar para a capa de um Disco enquanto este toca, além de que a "tusa" que se tem pela Música ou uma banda nos anos de teen não se tem em adulto.

  • Gosto 2
  • Obrigado 1

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
tmo    1379

Totalmente de acordo contigo @mpexus. Eu faço isso enquanto estou a trabalhar. Há uns anos descobri algumas bandas interessantes através de uma rádio online. Quando algumas as músicas passavam, eu dava-me ao trabalho para ir investigar, mas a grande maioria servia mais para fazer uma espécie de Blackout ao ambiente do trabalho e a manter a cabeça estimulada (coisa que o trabalho não faz, obviamente), é uma espécie de multitasking...

É ingrato para com os artistas, sem dúvida... mais ainda sendo eu (nós) um (vários) elemento(s) do grupo em causa...

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
paulosergio    383

Há muita variedade e oferta. Mas muita música atual de sucesso é tocada em guitarras acústicas e a malta nova quer aprender. Há sempre aqueles que desistem, mas é normal, se fosse fäcil, todos saberiam tocar. Ed Sheeran e Shawn Mendes são dois exemplos.

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
stratocosta    3666
há 2 horas, paulosergio disse:

Há muita variedade e oferta. Mas muita música atual de sucesso é tocada em guitarras acústicas e a malta nova quer aprender. Há sempre aqueles que desistem, mas é normal, se fosse fäcil, todos saberiam tocar. Ed Sheeran e Shawn Mendes são dois exemplos.

graças a Deus. imagino o que seria a minha garota a tocar nas minhas eléctricas em altos berros músicas do demo :devil: 

  • Riso 3

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
LuisEmanuel    260
há 9 horas, paulosergio disse:

Há muita variedade e oferta. Mas muita música atual de sucesso é tocada em guitarras acústicas e a malta nova quer aprender. Há sempre aqueles que desistem, mas é normal, se fosse fäcil, todos saberiam tocar. Ed Sheeran e Shawn Mendes são dois exemplos.

Muito Ed Sheeran tenho eu aprendido e ensinado... :ph34r:

Mas gosto de várias das músicas dele. E acho que é um bom músico que faz muito mais do que emprestar a voz aos seus álbuns. 

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
paulosergio    383
há 14 minutos, LuisEmanuel disse:

Muito Ed Sheeran tenho eu aprendido e ensinado... :ph34r:

Mas gosto de várias das músicas dele. E acho que é um bom músico que faz muito mais do que emprestar a voz aos seus álbuns. 

Exato. Ė um exemplo de como também se faz boa música que os jovens gostam. Acrescento ainda, para além de Shawn Mendes e Ed Sheeran, os Imagine Dragons. 

Entre outros, alguns portugueses, com temas de qualidade para tocar em guitarra acústica.

Claro que vai haver sempre quem só goste de funk, pimbas e tal.

 

 

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
John10    580
há 15 horas, mpexus disse:

Porque há muito mais coisas para ver e ouvir ou lêr do que até agora houve.

Um gajo/a antes ouvia um disco todo pq não tinha mais nada para fazer, metias o disco a tocar e ou ficavas parado a ouvir ou lias um livro ao mesmo tempo. Não dava nada de  jeito na TV pq quando dava não era um Disco que se ia ouvir mas sim ver o programa. Hoje há sempre algo de jeito ou que nos interesse para ver e ouvir, mas há tanto que a nossa atenção dispersa-se.

Nada tem a  ver com a horrível frase: No Nosso Tempo É quer era Bom (detesto ouvir esta merda). Tema  ver que no nosso tempo não havia nada mais para fazer e hoje há. Continuar a pensar que se vai voltar ao "antigamente" é de loucos, não não vai e a música assim como a TV ou Radio  Jornais/Revistas perderam protagonismo.  Não interessa se se vai fazer a melhor musica alguma vez feita, maioria care less, ouve por ouvir e siga há coisas para ver/ouvir/fazer.

A semana passa fui pela primeira vez ao Louvre, isto para dar um exemplo de "excessos". Sabendo de antemão que é impossível ver tudo num só dia mesmo assim tentei ver o máximo que pude pq não sei quando lá poderei passar outra vez. Ao fim de 3 horas já se começa a ver tudo a correr sem prestar atenção a practicamente nada, vais-se ver o que prende mais a vista e olha-se na diagonal para o resto. Há tanta obra mas tanta obra com tantas salas e salinhas adjacentes que a saturação nos assola em muito curto espaço de tempo. É um quase um "crime" um gajo passar ver algo em 3 segundos e seguir para a próxima... mas é assim e pq há milhares de obras expostas num espaço gigantesco em se anda à vontade  Kms lá dentro.

Com a Música passa-se o mesmo, há tanta e tantas outras coisas que nos prendem a atenção que ninguém vai perder horas a ouvir 1-2 discos de enfiada e não estar a fazer mais nada. Então a malta nova não o faz de certeza, a vida é curta demais para se perder muito tempo só com poucas coisa quando tens todo um Mundo de Lazer e informação ao dispor de umas teclas. Nem eu o faço há uns bons 20 anos ou mais, tenho mais que fazer que estar olhar para a capa de um Disco enquanto este toca, além de que a "tusa" que se tem pela Música ou uma banda nos anos de teen não se tem em adulto.

Bem, o que eu disse não implica que seja mau ou bom. É o que é. Claro que há mais coisas para ouvir e ver, e se calhar por isso mudou a forma como as pessoas ouvem música.

Contudo contesto a ideia de que não é possível ouvir 1 ou 2 discos de enfiada. Eu limpo a casa, ponho discos a dar na aparelhagem. Limpar a casa não me requer tanta atenção que não possa ouvir e apreciar a música. Faço viagens de carro, ouço discos, conduzir não me requer tanta atenção que não possa ouvir e absorver a música. Já cheguei a ouvir as sinfonias 3, 5, 6, 7, 8 e 9 de Beethoven de seguida enquanto trabalho. O trabalho que faço não me requer atenção que me impeça de ouvir e desfrutar da música (normalmente música clássica até me faz trabalhar melhor e mais depressa). Da mesma forma que há pessoal que ouve a Comercial todo o dia enquanto trabalha. É uma questão de escolha. Mas mais uma vez, não há nada de mal em as pessoas fazerem diferente hoje em dia. É apenas o que é.

  • Gosto 1

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
mpexus    535

Sentas-te só a ouvir os discos de enfiada como se fazia há uns 20-30 anos?  Era ai que queria chegar e foi o que referi, estar simplesmente só a ouvir sem entrar em outras actividades fisicas e usar a musica como background. Eu quando estou a trabalhar tenho sempre musica a tocar nos phones, nem que seja para não ouvir o barulho de fora.

  • Gosto 1

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais

Regista-te ou entra para comentar!

Para deixar um comentário é necessário estar registado. É muito fácil!

Criar uma conta

Regista-te e vem fazer parte desta comunidade! É fácil!

Registar-me

Entrar

Já estás registado? Entra aqui!

Entrar agora