TheGP_GTi

Como é andar num conservatório?



Posts Recomendados:

PCanas    883
On 01/06/2018 at 16:49, exmusico disse:

A menos que se goste de música clássica e erudita, andar no conservatório é contraproducente para quem quer fazer carreira musical em géneros contemporâneos.

Mas tb reconheço que Portugal não é o país ideal para  se aprende música contemporânea...

Eu fiz conservatório e a única coisas que lhe devo é a velocidade. Todo o resto são vícios que nunca perderei e que até ma chateiam qd estou a improvisar jazz ou outro estilo e lá vou cair em frases da música clássica... 

Mas isso no jazz até pode ser uma vantagem. Assim tocas coisas diferentes e foges das frases clichés do jazz. Até podes misturar as duas coisas ;)

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
Danicafd    5

Boas, se servir de ajuda contribuo com a minha experiência pessoal de ter andado num conservatório:

Andei num conservatório a aprender música erudita desde os 10 até aos 18 anos a aprender flauta transversal.

Tudo isto em paralelo com o percurso escolar normal de um indivíduo desta idade em Portugal.

Nos primeiros 5 anos, só tive 3 disciplinas: orquestra, instrumento e formação musical (teoria).

Nos últimos 3 anos há conservatórios que aumentam a oferta curricular, acrescentando Análise e Técnicas de Composição, História da Música e alguns têm Acústica. Só tive as primeiras duas.

Para uma pessoa que está mais por dentro do rock, jazz, blues, metal... o conservatório de música erudita é um mundo com apenas alguns pontos de interseção com o resto.

Quando comecei a ter ATC (Análise e Técnicas de Composição), pensei que ia escrever músicas a torto e a direito. A verdade é que análisamos um monte de obras desde a Idade Média até ao atonalismo do séc. XX e nunca me falaram de escalas de blues nem ferramentas a usar para fora daquilo que era abordado e que poderia dar jeito para música "mais comercial".

 

A minha opinião é que o Conservatório é uma excelente base, não me posso queixar, mas se te queres atirar para o rock e assim tens que descobrir coisas por ti próprio na mesma. Claro que não teria nem sequer um terço da teoria musical e do "à vontade" que tenho agora com a música.

E sim, é preciso estudo em casa, no mínimo dos mínimos diria para aí 20 minutos por dia.

  • Gosto 1

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
PCanas    883
há 10 horas, Danicafd disse:

(...)

Quando comecei a ter ATC (Análise e Técnicas de Composição), pensei que ia escrever músicas a torto e a direito. A verdade é que análisamos um monte de obras desde a Idade Média até ao atonalismo do séc. XX e nunca me falaram de escalas de blues nem ferramentas a usar para fora daquilo que era abordado e que poderia dar jeito para música "mais comercial".

(...)

On 16/04/2018 at 16:56, PCanas disse:

(...)

Se queres aprender rock não vais para um conservatório, pela mesma razão que se queres aprender  violoncelo não vais para o Hot Club. São estilos diferentes e escolas especializadas nesses estilos.

(...)

 

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais

Regista-te ou entra para comentar!

Para deixar um comentário é necessário estar registado. É muito fácil!

Criar uma conta

Regista-te e vem fazer parte desta comunidade! É fácil!

Registar-me

Entrar

Já estás registado? Entra aqui!

Entrar agora