resolectric

Sequoia Guzmán - antevisão do album



Posts Recomendados:

há 20 horas, resolectric disse:

Produzi isto há um mês.
Estes dois singles sairam hoje (23 de Julho, 2018)

 

 

 

Está de facto uma sonoridade porreira, assim meio para tame impala

No entanto, isto é o meu ouvido viciado, acho que esta estética puxava para umas vozes menos naturais. E se calhar mais em coro, nao sei se me faço entender. A voz não me atraí particularmente, também em termos de performance.  Obviamente esta é a minha opinião e vale o que vale e nao sei até que pontos terias poder de os influenciar nesse sentido. 

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
resolectric    864
há 13 horas, tmo disse:

Mas depois estás a esquecer-te dos passos seguintes que é a "revelação" (no digital o processo também se faz), onde se podem corrigir pormenores que não ficaram bem, novos enquadramentos, apagar elementos visuais, etc...

Não estou a esquecer, não! ^_^
Fiz um curso de fotografia no ARCO, em Lisboa, essencialmente para aprender a trabalhar em laboratório. Depois trabalhei como fotógrafo para os jornais "A Capital" e "Correio da Manhã". Em 1988 fui fotografar a guerra no sul de Marrocos, com a Frente Polisário e juro-te que não me senti nem "produtor" nem "técnico". Senti-me só um sortudo do caraças e tive imensas saudades do laboratório :D

Há "uma dúzia" de anos, com o desaparecimento dos locais de revelação de negativos que existiam mais "à mão", comprei um scanner Epson 4990 para continuar a digitalizar os meus negativos, que ia revelando. Hoje mantenho 13 máquinas fotográficas de película e uma digital, pequenina (Kodak v705). Por vezes tenho a sensação que de dentro das duas máquinas que usei em Marrocos ainda sai areia :(

Faço o trabalho de "laboratório" para as digitalizações em Photoshop e sinto perfeitamente que há momentos em que estou a "produzir" e outros em que estou simplesmente a fazer trabalho técnico.
Quando trabalho na minha workstation para audio, aqui no estúdio, é exactamente o mesmo: a mesma ferramenta pode ser usada de duas maneiras. Umas vezes para operações técnicas e a partir de certo ponto, para Produção.
Creio que tem a ver com o facto de se ultrapassar (ou não) aquela fronteira mais ou menos difusa que separa a criatividade da técnica.
E sinto que o simples facto de se colocar um reverb numa voz, não é Produção.

Mas os limites que separam "as águas" não são claros nem iguais para toda a gente.
Nesse post inicial, com o "histórico" desta Produção, repito que só enumerei parte dos passos dados na chamada "pré-produção".
Ou seja, não narrei o historial completo da gravação dos Sequoia Guzmán!

Se existirem perguntas mais detalhadas, mandem.

  • Gosto 1

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
resolectric    864
On 24/07/2018 at 20:02, SantiagoRamires disse:

Está de facto uma sonoridade porreira, assim meio para tame impala

No entanto, isto é o meu ouvido viciado, acho que esta estética puxava para umas vozes menos naturais. E se calhar mais em coro, nao sei se me faço entender. A voz não me atraí particularmente, também em termos de performance.  Obviamente esta é a minha opinião e vale o que vale e nao sei até que pontos terias poder de os influenciar nesse sentido. 

Obrigado pelos comentários e pela apreciação!
Na realidade nunca ouvi Tame Impala mas já ouvi o nome.
Não te assustes! Acho mesmo que não ouvi 99% das bandas que aparecem nos festivais de verão. É defeito meu...

Compreendo as tuas sugestões e é de notar que nenhum de nós faria o mesmo trabalho de forma igual. O mundo seria muito mais cinzento se assim fosse. Aliás, eu mesmo, se voltasse a gravar ou a misturar o album dos Sequoia Guzmán, iria certamente ficar com um resultado diferente deste.

Mas... nunca alteraria as características da performance da voz, que considero incrívelmente boa e expressiva.
Tem uma ironia fantástica, muito bem transmitida pelas expressões, modulações e pelos "devaneios" na tessitura do vocalista.
Nota a expressividade da voz na música «Mais perto de ti», por exemplo na estrofe dos 1:17 aos 1:44.
Acho que o senhor cantor dos S.G. ultrapassou muitas barreiras "quadradonas" da forma de cantar em português (português: um povo tristonho que se veste de preto e só lança foguetes em dia de procissão para celebrar mortos e figuras fictícias)

Mesmo o «Beira-mar», aparentemente um tema mais "levezinho" (sarcástico e irónico) tem momentos deliciosos de performance vocal, de expressividade e de total "falta de vergonha" em ultrapassar os limites:
"- Não consigo fazer isto com a minha voz!
- Exactamente! Faz!
"
(conversa no estúdio :D )

E tem manipulação e coro q.b.
Por vezes talvez até tenha demais mas pronto.

E com isto, @SantiagoRamires, não estou a rebater a tua opinião! Estou a responder e a chamar a atenção para detalhes que apontas e que eu acho que posso defender! Porque assino esta Produção por baixo e orgulho-me dela. Nada mais! As tuas opiniões, críticas e tal, são muitíssimo bem vindas. Já fiz mais de 300 albuns e já levei cacetada que não imaginas. Na imprensa escrita e não em "blogs", ou seja, a doer mesmo :D
E encaixei. Aceito as críticas na boa, desde que sejam coerentes (como a tua) e justificadas (como a tua).
Portanto, não digas que "a tua opinião vale o que vale" pois tem valor certamente!

Obrigado!

 

  • Gosto 2
  • Riso 1

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
há 10 horas, resolectric disse:

E com isto, @SantiagoRamires, não estou a rebater a tua opinião! Estou a responder e a chamar a atenção para detalhes que apontas e que eu acho que posso defender! Porque assino esta Produção por baixo e orgulho-me dela. Nada mais! As tuas opiniões, críticas e tal, são muitíssimo bem vindas. Já fiz mais de 300 albuns e já levei cacetada que não imaginas. Na imprensa escrita e não em "blogs", ou seja, a doer mesmo :D
E encaixei. Aceito as críticas na boa, desde que sejam coerentes (como a tua) e justificadas (como a tua).
Portanto, não digas que "a tua opinião vale o que vale" pois tem valor certamente!

Obrigado!

Havendo mais perguntas sobre este trabalho, façam-nas.

 

Tudo o que dizes faz de facto sentido. E lá está, aqui é uma opção de gosto pessoal e de abordagem à sonoridade. A cena está de facto bem conseguida, disso nao aponto nada. Eu é que faria diferente (faria ou sugeria como produtor). Mas nem Cristo agradou a todos não é

E aqui o teu trabalho seria agradar ao músicios em questão acima de tudo. 

 

  • Gosto 2

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais

Regista-te ou entra para comentar!

Para deixar um comentário é necessário estar registado. É muito fácil!

Criar uma conta

Regista-te e vem fazer parte desta comunidade! É fácil!

Registar-me

Entrar

Já estás registado? Entra aqui!

Entrar agora