Posts Recomendados:

phillipric    171

Bom, sei que a temática pode ser algo problemática, porque existe "n" de bibliografia sobre o tema, mas da teoria à prática, por vezes, vai uma grande distância.

Toquei com um músico que tinha um estúdio em casa e estava a tirar um curso de edição que tinha sempre o hábito de, ao vivo, colocar os faders dos canais e geral todos no 0db e depois jogava com os ganhos. Aquilo parecia-me estranho porque nunca fiz isso desse forma. Além de que, no caso dele, ele apresenta o espectáculo dele de início ao fim e eu, quando toco ao vivo, quase sempre, preciso de momentos diferentes, com som ambiente e outras alturas com som com mais força.

Assim, qual a vossa forma de usar as mesas/amps? Costumam colocar o geral nos 0db e "jogam" com o potenciómetro do amplificador, ou amplificador ao máximo e jogam com o geral? Eu costumo usar a segunda forma. 

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
Egiptogrunge    52

Supostamente o Gain Staging bem feito é com os faders no 0db e o ganho no local onde os medidores de volume não passem do amarelo nas partes em que o sinal tem mais potencia, ou melhor, nas partes em que as pessoas gritam :D   Isto para microfones, e funciona bem com bandas e assim. Agora eu como tenho muitas variações de volumes durante os trabalhos, como em casamentos e afins, acabo por dar muito mais uso aos faders que aos ganhos. Então se houver karaoke é uma desgraça :D:D:D

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
Antonio    418

Eu ajusto o Ganho para que o sinal seja "saudável", sem clipar e com um volume nice com os fader perto dos 0Db. Mas depois ajusto nos faders. Deixar os fader todos no Zero e fazer pequenos ajustes no ganho para conseguir boa mistura parece-me contra intuitivo.. Mas cada um faz á sua maneira. Desde que o resultado final seja nice. 

Uma coisa é verdade, com o ganho bem ajustado e os faer todos a trabalhar na zona dos 0bd temos muito mais controlo no próprios faders porque a escala é logarítmica  

 

  • Gosto 3

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
resolectric    970

É o que disse o @Antonio.

É preciso recordar (e entender) que os faders não ajustam o nível do sinal que entra na mesa mas sim o que sai da mesa.

Posto isto, o ajuste do sinal do microfone (ou do instrumento) é feito com o ganho de entrada, qualquer que seja a posição do fader.

Carrega-se no Solo/PFL do canal em que se está a ajustar o ganho e regula-se para o nível ideal.
O nível ideal defino-o de uma forma muito simples quando se trata de uma mesa analógica: o mais forte possível, abaixo da distorção.
Para uma mesa digital as coisas já não são tão simples pois a distorção pode acontecer muito mais cedo e ser de 100%. O "headroom" varia imenso nas mesas digitais e nem todas suportam os mesmos "transientes" e picos com a mesma delicadeza.

Depois de bem ajustado o nível de entrada (no botão de ganho) equaliza-se e depois de se equalizar, ajusta-se novamente o ganho pois o nível torna-se diferente.

Só depois é que se ajustam os faders para o nível de saída que se pretende em cada canal.

  • Gosto 2

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
phillipric    171

Eu sei o que estão a dizer. A questão não é o ajuste geral do som, mas o facto de precisar de subir ou descer o som durante um evento. Suponhamos, um casamento, em certas alturas tenho o som a "meio-gás", música ambiente. Depois preciso de subir, noutras alturas descer. 

Nesse caso, usam o geral, ou o amp? 

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
resolectric    970
há 18 horas, phillipric disse:

...precisar de subir ou descer o som durante um evento.
...

Nesse caso, usam o geral, ou o amp? 

Depende.

O "geral" da mesa já está quase no máximo? Refiro-me ao Master Fader e aos Faders individuais. Passaram dos 80%, 85%? Então talvez seja necessário subir na amplificação.
Convém ter uma certa margem de manobra nos Faders da mesa para poder subir um pouco e bastante margem para poder descer.
Se o som ideal, bem nivelado é com os faders muito em baixo, não tens margem de manobra para atenuar de forma suave aquilo que tiver de ser atenuado. Isso pode querer dizer que o amplificador está com ganho a mais.
O mesmo quando os Faders estão muito próximos do máximo. Ficas sem margem para subir um pouco algum canal que tenha de ser elevado.

Também é preciso ter a certeza de que o sinal que a mesa está a enviar para a amplificação não é em excesso.
Se saturas a entrada do amplificador (com um sinal muito forte da mesa) terás distorção na saída mesmo que lhe reduzas o volume de saída.

  • Útil 2

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
phillipric    171
há 5 horas, resolectric disse:

Depende.

O "geral" da mesa já está quase no máximo? Refiro-me ao Master Fader e aos Faders individuais. Passaram dos 80%, 85%? Então talvez seja necessário subir na amplificação.
Convém ter uma certa margem de manobra nos Faders da mesa para poder subir um pouco e bastante margem para poder descer.
Se o som ideal, bem nivelado é com os faders muito em baixo, não tens margem de manobra para atenuar de forma suave aquilo que tiver de ser atenuado. Isso pode querer dizer que o amplificador está com ganho a mais.
O mesmo quando os Faders estão muito próximos do máximo. Ficas sem margem para subir um pouco algum canal que tenha de ser elevado.

Também é preciso ter a certeza de que o sinal que a mesa está a enviar para a amplificação não é em excesso.
Se saturas a entrada do amplificador (com um sinal muito forte da mesa) terás distorção na saída mesmo que lhe reduzas o volume de saída.

Por hábito, tenho os amps abertos ao máximo e vou jogando com o master fader. Dependendo do local, às vezes tenho o fader a cerca de 60/70% e desço um pouco o amp se precisar de um som menos forte. Mas tenho cuidado, uso os pfl para ver os níveis de entrada e ganhos tento que seja entre os últimos verdes, primeiros amarelos. 

  • Gosto 1

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
resolectric    970
há 16 horas, phillipric disse:

Por hábito, tenho os amps abertos ao máximo e vou jogando com o master fader.
...

Absolutamente correcto!
Para os casos em que é necessária muita potência ou em que a potência dos amps é a suficiente para que o Master Fader da mesa não tenha de estar "no mínimo". Em som ao vivo acho que é o mais natural.
Se o Master Fader tem de estar muito em baixo para se suportar o volume então o melhor é reduzir um bocado no amp.

Na monição do meu estúdio tenho os amps a 80% (+ ou -) e a saída final da mesa (para monição) em cerca de 50%.
Os amps são potentíssimos e nunca consigo trabalhar com volumes acima destes. Geralmente é abaixo disto mas sim, também tenho os amplificadores "mais abertos" do que a saída de monição da mesa.

  • Gosto 1

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
phillipric    171

Ok, então é o que faço frequentemente. Por vezes tenho o master fader mais baixo, mas começa-me a parecer que frequências e até algum efeito vão desaparecendo, então, prefiro usar o amp entre os 70/80% para não estar a "esganar" o sinal que vai para o amp. Sem conhecer o que manda a "lei", sempre me pareceu o que soava melhor e, ao fim e ao cabo, interessa é o que soar melhor. 

Hoje vou fazer algo de que não gosto muito, mas dadas as circunstâncias... vou ter de fazer o meu som, e enviar da minha mesa (no palco), para a mesa geral. Suponho que o ideal seja enviar o sinal pelos XLR master out. Tenho de ver que colunas de palco vou ter. Tem 2 amplificadas, mas se as entradas forem xlr vou ter de inventar para ligar lá. 

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais

Regista-te ou entra para comentar!

Para deixar um comentário é necessário estar registado. É muito fácil!

Criar uma conta

Regista-te e vem fazer parte desta comunidade! É fácil!

Registar-me

Entrar

Já estás registado? Entra aqui!

Entrar agora