Filipe David

Concertos para bandas que acabaram de começar



Posts Recomendados:

resolectric    1057
On 3/1/2019 at 16:08, Antonio disse:

...

Uma coisa que ainda resulta é ter CDs para vender nos concertos. Até se podem vender com autografo.

...

Saudosismo? :yes:

 

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
pgranadas    2236

CDs, pens, links, etc,... tudo é válido, porque como diz o @tmo, alternar entre cada um destes suportes está a distância de um click. O problema pode ser por vezes o ter de se clicar ou escrever links longos, já para não falar que nem sempre são fáceis de digitar. Por isso nos vossos cartões de visita, Cd, etc, coloquem um código QR para a tarefa ser simples e directa.

  • Gosto 2

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
hypermnesium    1163

O formato físico não é apenas uma questão de sentimentalismo ou saudosismo (a menos que seja k7). Por algum motivo mesmo as grandes bandas não abandonaram esse formato, antes pelo contrário. Uma boa demo, imagem cuidada e como disse o @tmo que seja complementada com uma boa presença online, é sempre um bom chamariz.

Agora, estamos a falar de bandas que acabaram de começar e neste caso, continuo a manter a minha opinião, o mais difícil é gerir expectativas. Uma banda deve sair da sala de ensaios quando realmente se sente capaz de dar um bom concerto. Aliás, até para estúdio, acho que uma banda deve apostar em gravar uma demo decente quando sinta que tem 4 bons temas, ensaiados em condições e que é capaz de chegar ao estúdio e gravar.

  • Gosto 2

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
pgranadas    2236

Gravar uma demo decente acho essencial. Muita boa gente, só quando tenta gravar é que se apercebe que afinal não está tão preparado como pensava. E como tempo de estúdio é um investimento que convém ser bem gerido para ter os melhores resultados, e tocar mal ao vivo é meio caminho para perder a credibilidade, o melhor é fazer um bom trabalho de casa, e gravar uma demo ajuda e muito para que se ouçam do lado de fora, sem distracções de estar a tocar e com um bom espírito de autocrítica. 

  • Gosto 1

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
Antonio    445
há 3 horas, pgranadas disse:

Gravar uma demo decente acho essencial. Muita boa gente, só quando tenta gravar é que se apercebe que afinal não está tão preparado como pensava. E como tempo de estúdio é um investimento que convém ser bem gerido para ter os melhores resultados, e tocar mal ao vivo é meio caminho para perder a credibilidade, o melhor é fazer um bom trabalho de casa, e gravar uma demo ajuda e muito para que se ouçam do lado de fora, sem distracções de estar a tocar e com um bom espírito de autocrítica. 

Concordo plenamente. Contudo, e correndo o risco de parecer chato, esta também é forma antiga de pensar. Hoje em dia pelo preço de gravar em estúdio se compra um interface e grava-se todos os ensaios! 

Eu tenho dito aos meus alunos, quando começam as primeiras bandas e pedem conselhos, para gravarem tudo! Nem que seja com o telemóvel. Um método de ensaio que resulta é tocar uma vez o tema, gravando, e ouvir logo de seguida tirando notas do que deve ser melhorado. Toca-se outra vez, ouve-se outra vez, repete, repete... Até a gravação estar fixe em termos de arranjo e execução. 

Hoje em dia um Huawey barato qualquer ou coisa parecida, bem colocado na sala, grava um audio muito perceptível do ensaio!  

  • Gosto 1

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
resolectric    1057
há 1 hora, Antonio disse:

...
Hoje em dia pelo preço de gravar em estúdio se compra um interface e grava-se todos os ensaios! 

...

Claro que comprar um interface e gravar ensaios é algo que está a uma distância substancialmente grande daquilo que se obtém gravando com um profissional, em estúdio.

Se assim não fosse nem se justificaria o que se paga a alguém que dedica a vida a saber gravar os outros e que não se limitou a "comprar um interface" para o fazer.
Claro que gravar ensaios é muitíssimo importante para que os artistas tenham um impressão post-facto daquilo que estão a fazer, para que se ouçam "de fora". Ajuda imenso a progredir.
Mas acrescentaria que também não conheço nem um único músico que tenha vindo gravar comigo que tenha saído "das minhas mãos" a tocar da mesma forma que tocava como quando chegou ao estúdio.
Costumo dizer que a ida para estúdio é o maior e mais produtivo ensaio que um músico pode ter.
Creio que esta experiência deve existir com outros profissionais das gravações, que assistirão a este "fenómeno".
Músicos que não tenham a experiência de estúdio com um profissional, não passam do nível de "garagem".
E músicos que tiveram experiência de estúdio mas não sentiram nenhuma mudança na forma como tocam e como entendem a música que criam, estiveram com o profissional errado.

Gravar em estúdio não é o mesmo que gravar ensaios.
Sem saudosismos.
É assim, hoje.

  • Gosto 6

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
xtech    2906

É como aprender a tocar sozinho.

Pode aprender-se muito, com esforço e dedicação, mas a menos que se seja um génio, nunca se vai chegar a um nível de topo.

Uma interface e gravações caseiras dão jeito, e a música que se obtém  desenrasca. Mas nunca vai ficar uma gravação profissional a menos que se seja um génio.

A experiência, formação, exigência e conhecimento de um profissional a sério não são "obtíveis" pela experiência de algumas gravações caseiras.

  • Gosto 2

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
Danicafd    14

Voltando ao tema inicial, se eu quiser chegar a um bar/café e propor-me a tocar lá seria melhor ideia ir lá presencialmente do que apenas mandar um e-mail, certo?

Se chegar lá presencialmente entrego um cartão com um link ou um cd? Depende da idade dos donos do bar? :P

E depois disso espero que eles me respondam? Ou vou insistindo?

Sou novo nestas andanças, gostava de perceber melhor se há maneira de ter concertos sem ter contactos nos bares que formos tocar.

Cumps

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
tmo    1607

Respondendo, já sabes as respostas, são elas:

  1. Sim, marcar presença física e criar laços humanos funciona melhor.
  2. As duas coisas. De preferência, que o CD inclua o link também.
  3. Se demorarem, ao fim de uma semana, duas talvez, dá-lhes um toque.
  4. Contactar empresas promotoras de espectáculos, managers, por exemplo...

 

  • Gosto 3

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
xtech    2906

Isto não há uma receita ou algo que venha nos livros...

Pessoalmente é sempre melhor.. isso de cartões e links, a probabilidade de pegarem neles e irem para o lixo é alta. O melhor é mostrar directamente no telemóvel alguma actuação que tenhas feito no momento e se vires que há algum interesse dás um CD e/ou cartão. Se tens muitos seguidores no FB ou instagram, refere isso. Se não vires interesse, um CD tb não fará maravilhas. Isto é o caminho das pedras...

  • Gosto 3

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais

Regista-te ou entra para comentar!

Para deixar um comentário é necessário estar registado. É muito fácil!

Criar uma conta

Regista-te e vem fazer parte desta comunidade! É fácil!

Registar-me

Entrar

Já estás registado? Entra aqui!

Entrar agora