Filipe David

Concertos para bandas que acabaram de começar



Posts Recomendados:

hypermnesium    1128
há 11 horas, Danicafd disse:

Voltando ao tema inicial, se eu quiser chegar a um bar/café e propor-me a tocar lá seria melhor ideia ir lá presencialmente do que apenas mandar um e-mail, certo?

Se chegar lá presencialmente entrego um cartão com um link ou um cd? Depende da idade dos donos do bar? :P

E depois disso espero que eles me respondam? Ou vou insistindo?

Sou novo nestas andanças, gostava de perceber melhor se há maneira de ter concertos sem ter contactos nos bares que formos tocar.

Cumps

1. Sou da opinião de que presencialmente é sempre melhor que via email.

2. Entrega ambos. Um cd bem gravado, uma capa atractiva e um link para as tuas redes sociais.

3. Esperas umas semanas e vais relembrando.

Vou ser mesmo muito chatinho neste ponto, façam uma análise aos vossos ensaios e façam estas perguntas:

- Temos tempo de música suficiente para aguentar uma hora num bar?

- Temos uma estrutura pensada e ensaiada para chegar e tocar?

Uma referência ao @resolectric que disse muita coisa com razão. Ir para um estúdio com alguém que realmente sabe o que está a fazer, que funcione como um produtor,  que te ajude a estruturar as tuas ideias, encontrar aquele som que realmente faz sentido numa mistura, é uma experiência que todos deviam ter.

  • Gosto 2

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
Antonio    418
há 16 horas, resolectric disse:

Claro que comprar um interface e gravar ensaios é algo que está a uma distância substancialmente grande daquilo que se obtém gravando com um profissional, em estúdio.

Se assim não fosse nem se justificaria o que se paga a alguém que dedica a vida a saber gravar os outros e que não se limitou a "comprar um interface" para o fazer.
Claro que gravar ensaios é muitíssimo importante para que os artistas tenham um impressão post-facto daquilo que estão a fazer, para que se ouçam "de fora". Ajuda imenso a progredir.
Mas acrescentaria que também não conheço nem um único músico que tenha vindo gravar comigo que tenha saído "das minhas mãos" a tocar da mesma forma que tocava como quando chegou ao estúdio.
Costumo dizer que a ida para estúdio é o maior e mais produtivo ensaio que um músico pode ter.
Creio que esta experiência deve existir com outros profissionais das gravações, que assistirão a este "fenómeno".
Músicos que não tenham a experiência de estúdio com um profissional, não passam do nível de "garagem".
E músicos que tiveram experiência de estúdio mas não sentiram nenhuma mudança na forma como tocam e como entendem a música que criam, estiveram com o profissional errado.

Gravar em estúdio não é o mesmo que gravar ensaios.
Sem saudosismos.
É assim, hoje.

Claro! O segredo não é o estúdio mas as orelhas que lá trabalham! 

O meu ponto, que devo ter exprimido mal, é que as novas bandas têm muito a ganhar em ter meios para gravar e ouvir, com qualidade razoável, todos os ensaios. Dá perspectiva e acelera a evolução para aí 500%! E hoje em dia arranja-se material para gravar ensaios com qualidade muito fixe por menos dinheiro que ir a um estúdio gravar a serio! 

Depois então, para fazer uma gravação à séria logo se pensa em, ir a um estúdio. Mas, na minha opinião, isso é uma fase muito à frente. 

 

 

há 13 horas, Danicafd disse:

Voltando ao tema inicial, se eu quiser chegar a um bar/café e propor-me a tocar lá seria melhor ideia ir lá presencialmente do que apenas mandar um e-mail, certo?

Se chegar lá presencialmente entrego um cartão com um link ou um cd? Depende da idade dos donos do bar? :P

E depois disso espero que eles me respondam? Ou vou insistindo?

Sou novo nestas andanças, gostava de perceber melhor se há maneira de ter concertos sem ter contactos nos bares que formos tocar.

Cumps

O meu conselho é criar uma presença online primeiro. Façam uns vídeos engraçados, gravem uns ensaios, etc... Inventem algo, tipo Vlog da historia da banda ou epopeia de chegar a horas a um ensaio, etc... Arranjem um canal de youtube ou pagina FB, instagram, etc, com 2k ou 3k seguidores. Depois, antes de falar com o tipo do bar façam um post patrocinado no instaram ou FB com o target para pessoas exactamente daquela zona. Se mandarem mensagem para o gajo ou telefonarem e assim que disserem o nome da banda ele tiver aquela sensação que já vos conhece (porque vocês forçaram publicidade online para zona dele e ele até já leu o nome em qualquer lado), a conversa corre logo de outra forma! 

Assim como se enviarem uma mensagem com um link e assim que ele abrir o link para um video vir 2k ou 4k views e uns 100 likes, a percepção da banda já vai no caminho certo ainda antes de ver o video. 

em termos de investimento, sai pelo mesmo preço ou ainda mais barato que fazer copias de CDs e andar a gastar combustível a entregar nas casas de espectáculos.  Sem contar que é muito mais cómodo porque se faz em casa de robe e pantufas :yes:

  

  • Gosto 1
  • Útil 2

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
pipes    3596

Já agora, estamos a falar de covers ou originais? É que parecendo que não, são mundos um pouco distintos...

  • Gosto 5

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
hypermnesium    1128
On 3/5/2019 at 13:47, pipes disse:

Já agora, estamos a falar de covers ou originais? É que parecendo que não, são mundos um pouco distintos...

Eu assumi que estávamos a falar de originais mas sim, bandas de covers jogam numa liga diferente. Eu não tendo tocado em bandas de covers, ponho-me no lado de dono de bar e se tenho que escolher uma banda de covers, gostava de ver um vídeo deles ao vivo, ter uma referência de que temas tocam e acima de tudo se é uma banda que leva gente atrás ou não (esta última também se aplica a bandas de originais).

Há outro aspecto que eu acho importante a ter em conta, não tanto em pequenos concertos em bares, mas quando já começas a tocar em palcos ligeiramente maiores e com organização ligeiramente mais "professional". É sempre boa ideia ter um rider técnico simples com as necessidades básicas para um concerto. Não é preciso detalhar ao ponto de dizer que marca e modelo de monitores vocês querem e idealmente mantenham as coisas simples (não vão pedir 3 monitores por músico ou um micro para o baterista para o caso de lhe apetecer fazer uma piada a meio do concerto).

Para a banda é um bom exercício, ajuda a descobrir realmente que necessidades tem e como organizar-se em palco para não se andarem a atropelar uns aos outros e é uma boa ajuda para quem tem que preparar e montar tudo em palco.

  • Gosto 2

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais

Regista-te ou entra para comentar!

Para deixar um comentário é necessário estar registado. É muito fácil!

Criar uma conta

Regista-te e vem fazer parte desta comunidade! É fácil!

Registar-me

Entrar

Já estás registado? Entra aqui!

Entrar agora