AlexGuitar

Que guitarra comprar? (Opiniões)



Posts Recomendados:

CarlosC    65

Nas guitarras eléctricas parecem-me haver duas correntes de conceito, sendo as variantes Les Paul e Strat (em quase tudo o que é guitarra). 
De Les paul vai para SG e afins. 
De Strat vai para Tele ou Superstrat etc.

A Les Paul deve ser uma guitarra bastante fixe e versátil, as Schecter creio que estão mais associadas ao metal, e do que me recordo achava que as ESP e isso também (shred e metal).

Agora se a tua Epiphone nunca foi a 1 luthier fazer um setup como deve de ser, pode ter coisas a precisarem de ser corrigidas, tanto no nivelamento dos trastos como na pestana. (para começar) (a distancia do pickup às cordas pode ter tremenda influencia no som). 

(digam-me o que disserem de wiring e potenciometros, que os baratos servem igual, etc) 
Creio que podes ter uma parte eletrica fraquita, e se meteres pots tipo CTS lineares para volume (ou melhores), meters tone caps em condições, podes ter muita versatilidade para tirar da guitarra. (Isto sem falar ainda em push pull para coil splits e inversões de fase ou outras "ideias criativas" que estão sempre a surgir.

No fim, ainda sem mudares a guitarra, podes trocar o pickup neck (guarda o original para o voltares a colocar caso queiras vender a guitarra e ela tenha valor colecionável se estiver em 100% original e em bom estado). 

Se te apetece ter uma guitarra diferente (estilo superstrat), é uma escolha legitima também. 

  • Gosto 1

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
tmo    1932

A questão dos potenciómetros baratos versos caros para as mesmas funções (digamos valor de resistência e tipologia - linear versus logarítmico) tem a ver com a margem de erro do valor da resistência propriamente dito. Os mais baratos têm uma oscilação maior relativamente ao valor apontado do que os potenciómetros mais caros. Isto quer dizer que um potenciómetro barato que indique 500K Omhs pode ter na realidade 430K Ohms, enquanto que um mais caro poderá estar nos 480K Ohms. De resto, os mais caros supostamente terão maior durabilidade ao uso e atrito mecânico. Depois temos ainda questões como a rotação ser maior ou menor, o que permitirá uma maior ou menor definição no seu uso. Assim em exagero, para dois potenciómetros com as mesmas características, um tem rotação de 45º e outro de 270º, o último terá muito mais definição do que o 1º, certo certo, isso paga-se.

Os efeitos dos potenciómetros são simples, quanto menor o valor, mais abafado será o som, pelo menos com pickups passivos, não estou familiarizado no que respeita aos pickups activos se o efeito será idêntico.

De resto, aquilo que o @CarlosC referiu sobre o setup da guitarra é de facto fundamental. O setup da guitarra faz toda a diferença entre esta ser inspiradora ou lenha para fogueira. Investe nisso antes de gastares o teu pilim. No entanto, não creio que a tua Epiphone seja colecionável...

  • Gosto 1

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
AlexGuitar    6
há 9 horas, CarlosC disse:

Nas guitarras eléctricas parecem-me haver duas correntes de conceito, sendo as variantes Les Paul e Strat (em quase tudo o que é guitarra). 
De Les paul vai para SG e afins. 
De Strat vai para Tele ou Superstrat etc.

A Les Paul deve ser uma guitarra bastante fixe e versátil, as Schecter creio que estão mais associadas ao metal, e do que me recordo achava que as ESP e isso também (shred e metal).

Agora se a tua Epiphone nunca foi a 1 luthier fazer um setup como deve de ser, pode ter coisas a precisarem de ser corrigidas, tanto no nivelamento dos trastos como na pestana. (para começar) (a distancia do pickup às cordas pode ter tremenda influencia no som). 

(digam-me o que disserem de wiring e potenciometros, que os baratos servem igual, etc) 
Creio que podes ter uma parte eletrica fraquita, e se meteres pots tipo CTS lineares para volume (ou melhores), meters tone caps em condições, podes ter muita versatilidade para tirar da guitarra. (Isto sem falar ainda em push pull para coil splits e inversões de fase ou outras "ideias criativas" que estão sempre a surgir.

No fim, ainda sem mudares a guitarra, podes trocar o pickup neck (guarda o original para o voltares a colocar caso queiras vender a guitarra e ela tenha valor colecionável se estiver em 100% original e em bom estado). 

Se te apetece ter uma guitarra diferente (estilo superstrat), é uma escolha legitima também. 

Sim, a minha LP é bastante versátil, bastante boa e "deliciosa" de tocar, mas nl simplesmente fartei me dela, o peso da mesma também não ajuda muito a festa, visto eu ser um gajo magrinho, sinceramente aa a algum tempo que não a meto num luthier, mas não se trata de problemas com o som. Dela. Não é isso que me esta a fazer vender, mas sim o facto de querer mudar de estilo de guitarra, a guitarra simplesmente já não me dá "pica" mas quem sabe, talvez mantenha a minha LP, venda a Ibanez da minha mulher e compre uma schecter para substituir a dela. 

O tempo me dirá 

há 7 horas, tmo disse:

A questão dos potenciómetros baratos versos caros para as mesmas funções (digamos valor de resistência e tipologia - linear versus logarítmico) tem a ver com a margem de erro do valor da resistência propriamente dito. Os mais baratos têm uma oscilação maior relativamente ao valor apontado do que os potenciómetros mais caros. Isto quer dizer que um potenciómetro barato que indique 500K Omhs pode ter na realidade 430K Ohms, enquanto que um mais caro poderá estar nos 480K Ohms. De resto, os mais caros supostamente terão maior durabilidade ao uso e atrito mecânico. Depois temos ainda questões como a rotação ser maior ou menor, o que permitirá uma maior ou menor definição no seu uso. Assim em exagero, para dois potenciómetros com as mesmas características, um tem rotação de 45º e outro de 270º, o último terá muito mais definição do que o 1º, certo certo, isso paga-se.

Os efeitos dos potenciómetros são simples, quanto menor o valor, mais abafado será o som, pelo menos com pickups passivos, não estou familiarizado no que respeita aos pickups activos se o efeito será idêntico.

De resto, aquilo que o @CarlosC referiu sobre o setup da guitarra é de facto fundamental. O setup da guitarra faz toda a diferença entre esta ser inspiradora ou lenha para fogueira. Investe nisso antes de gastares o teu pilim. No entanto, não creio que a tua Epiphone seja colecionável...

Disso eu já não entendo nada kkkkk

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
Freaking Prawn    194
há 16 horas, AlexGuitar disse:

Sao gostos hahah, ja exprimentei strat e gostei, as outras 2 ainda nao, mas tenho curiosidade na telecaster

As tele sao guitarras super simples que servem tods os estilos musicais. Do Jazz ao Metal, passando pelo rock, blues... Adaptam-se muito bem e o trunfo é mesmo a simplicidade. De todas as guitarras que ja puz as mãos em cima, as teles acabaram por se tornar preferencia. Máquinas simples.

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
AlexGuitar    6
há 29 minutos, Freaking Prawn disse:

As tele sao guitarras super simples que servem tods os estilos musicais. Do Jazz ao Metal, passando pelo rock, blues... Adaptam-se muito bem e o trunfo é mesmo a simplicidade. De todas as guitarras que ja puz as mãos em cima, as teles acabaram por se tornar preferencia. Máquinas simples.

Ja a bastante tempo que estou para comprar 1, talvez seja desta que passe de uma LP e uma Ibanez para uma Schecter e uma Tele baratinha

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
Freaking Prawn    194
há 2 minutos, AlexGuitar disse:

Ja a bastante tempo que estou para comprar 1, talvez seja desta que passe de uma LP e uma Ibanez para uma Schecter e uma Tele baratinha

Olha, as Harley Benton TE52 são muito boas. São pesadonas, porém. Tens outros modelos de tele da HB também [algumas com P90, outras com humbuckers].

https://www.thomann.de/pt/harley_benton_hbt1952.htm
https://www.thomann.de/pt/harley_benton_fusion_t_hh_roasted_fnt.htm
https://www.thomann.de/pt/harley_benton_te_90flt_vw_deluxe_series.htm

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
AlexGuitar    6
Agora mesmo, Freaking Prawn disse:

Olha, as Harley Benton TE52 são muito boas. São pesadonas, porém. Tens outros modelos de tele da HB também [algumas com P90, outras com humbuckers].

https://www.thomann.de/pt/harley_benton_hbt1952.htm
https://www.thomann.de/pt/harley_benton_fusion_t_hh_roasted_fnt.htm
https://www.thomann.de/pt/harley_benton_te_90flt_vw_deluxe_series.htm

Nao conheço HB, como é a qualidade delas em relação ao preço das mesmas?

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
Freaking Prawn    194
há 3 minutos, AlexGuitar disse:

Nao conheço HB, como é a qualidade delas em relação ao preço das mesmas?

Para teres uma ideia eu vendi uma strat Japonesa e com a guita comprei 2 [e outro equipamento], mas já tive 3 [uma delas troquei por outra coisa]
Elas valem mais do que o preço delas [na maioria. Algumas nem por isso].
O unico ponto negativo que tenho a apontar é a qualidade de acabamento em algumas [nada como mandar para trás e pedir para trocar por outra]. Mas, daí, já vi guitarras que custam 5x o preço delas com acabamentos piores [Gibson]

A opinião da maioria é que elas valem mais do que aquilo que é pedido [apesar de ultimamente os preços delas terem vindo a subir]. E como são baratuchas, se quiseres fazer mods a elas, não sentes aquele impacto que sentirias se fizesses numa guitarra mais cara.
O valor de revenda é praticamente nulo, porém.

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
AlexGuitar    6
há 12 minutos, Freaking Prawn disse:

Para teres uma ideia eu vendi uma strat Japonesa e com a guita comprei 2 [e outro equipamento], mas já tive 3 [uma delas troquei por outra coisa]
Elas valem mais do que o preço delas [na maioria. Algumas nem por isso].
O unico ponto negativo que tenho a apontar é a qualidade de acabamento em algumas [nada como mandar para trás e pedir para trocar por outra]. Mas, daí, já vi guitarras que custam 5x o preço delas com acabamentos piores [Gibson]

A opinião da maioria é que elas valem mais do que aquilo que é pedido [apesar de ultimamente os preços delas terem vindo a subir]. E como são baratuchas, se quiseres fazer mods a elas, não sentes aquele impacto que sentirias se fizesses numa guitarra mais cara.
O valor de revenda é praticamente nulo, porém.

Obrigado pelas dicas, vou dar uma vista de olhos com a mulher, pode ser que a ideia lhe agrade e eu compre uma HB para "ela" ( sse bem que eu vou tocar mais nela que ela mas pronto) 

Se a coisa que eu não me importo nada, é em ter uma guitarra para cenas mais pesadas ( neste caso a schecter para metal e rock) e uma para coisas mais suaves, que neste caso, poderá vir a ser A tele, para uns grooves, uns sons cleans, que, pelo que já ouvi, as tele arrebentam a escala no que toca a clean sounds

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais

Regista-te ou entra para comentar!

Para deixar um comentário é necessário estar registado. É muito fácil!

Criar uma conta

Regista-te e vem fazer parte desta comunidade! É fácil!

Registar-me

Entrar

Já estás registado? Entra aqui!

Entrar agora