stratocosta

Altura dourada para seguir uma carreira na música



Posts Recomendados:

stratocosta    4060
há 12 horas, pipes disse:

Não. Mas acredita que mesmo assim, é preferível a gravares um álbum num fim-de-semana...

Ainda tenho aqui uns 50 do meu 1º EP (2012). Nunca tive tanto gozo e orgulho em ter editado algo como esse EP. O 2º EP e o disco que a Farol apenas editou em formato digital, até me esqueço que os gravei, se é que isso faz sentido. Ahh, e ganhei mais dinheiro (ou perdi menos, lol) a pagar sozinho a edição física do 1º EP, pois sempre tinha algo para vender nos concertos. Vai lá vender streams depois de tocares, lol

na nossa experiência ,vendem-se mais t-shirts que cd´s.

no ultimo concerto parte da banda levou umas sweats , foi a loucura , um dos meus camaradas vendeu a sweat que usou na atuação !

cd´s ? nem 1 !

outra coisinha que irrita é criar um evento com parceiras de bombeiros , associações não lucrativas, outras bandas  e apesar de ser a poucos km´s do centro e a borla , apareceram só umas dezenas de "malucos".

foi bem antes da covid e foi divulgado.

dá trabalho levantar o cú do sofá , para próxima  talvez seja preferivel fazer um live no fb :(

  • Gosto 2

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
resolectric    2006

Everything is free now
That's what they say
Everything I ever done
Gonna give it away

Someone hit the big score
They figured it out
That we're gonna do it anyway
Even if it doesn't pay

I can get a tip jar
and gas up the car
Try to make a little change
Down at the bar

Or I could get a straight job
I've done it before
Never minded working hard
It's who I'm working for

Everything is free now
That's what they say
Everything I ever done
Gonna give it away

Someone hit the big score
They figured it out
That we're gonna do it anyway
Even if it doesn't pay

Every day I wake up
Hummin' a song
But I don't need to run around
I just stay home

And sing a little love song
My lover, myself
If there's something that you want to hear
You can sing it yourself

'Cause everything is free now
That's what i said
No one's gotta listen to
The words in my head

Someone hit the big score
But i figured it out
That i'm gonna do it anyway
Even if it doesn't pay

 

 

  • Gosto 1
  • Amo 2

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
stratocosta    4060

e voltamos ao passado.

a partir do momento que a malta teve acesso de borla a musica , abriu-se a caixa de pandora

mas acontece o mesmo com escritores , jornalistas , software .......

eu estou no software , na área de gestão ( facturação , contabilidade, salários, ativos etc)

os preços andam entre as dezenas de milhar até aos de borla.

há para todas as carteiras. 

as diferenças ? na nossa faixa de mercado , a qualidade da assistência é a maior.

mas o cliente só desperta para a realidade quando ficar na merda.

combater o gratuito não é fácil.

mas é a realidade, ou entramos na "luta" ou vamos para casa.

  • Gosto 3
  • Útil 1

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
Antonio    832
há 2 horas, stratocosta disse:

e voltamos ao passado.

a partir do momento que a malta teve acesso de borla a musica , abriu-se a caixa de pandora

mas acontece o mesmo com escritores , jornalistas , software .......

eu estou no software , na área de gestão ( facturação , contabilidade, salários, ativos etc)

os preços andam entre as dezenas de milhar até aos de borla.

há para todas as carteiras. 

as diferenças ? na nossa faixa de mercado , a qualidade da assistência é a maior.

mas o cliente só desperta para a realidade quando ficar na merda.

combater o gratuito não é fácil.

mas é a realidade, ou entramos na "luta" ou vamos para casa.

Exacto! A malta do software está a responder à cena com planos de subscrição que dão muito mais que o software. 

A ideia é que fica barato e é muito mais cómodo do que andar a sacar e cracrar. Tens sempre a ultima versão sem te chateares. 

Eu estou em 2 subscrições. Slate digital e presonus. Ambos os softwares são, obviamente, possíveis de arranjar em regime de "unlimited demo :ph34r:". Mas no total de subscrições pago menos que se gasta a sair à noite 2 vezes por mês e tenho acesso a suporte ao cliente e à comunidade de usuários. 

Aliás, tenho verificado essa tendência de comunidade. Dá uma sensação de pertencer a algo e faz-nos sentir que estamos apoiados por outros usuários. É tão fixe. As pessoas pagam mais por esse tipo de experiências que por bens ou serviços. 

Aliás, na minha escola de Música criámos um conceito que é a "família RockGP". Temos grupos no Facebook e no Whatsapp. Além de fazermos o nosso melhor esforço para que cada vez que um aluno lá entra se sinta recebido em família. Resulta que nem ginjas! Até começam a falar entre eles, a marcar encontros na escola, a levar lá amigos que ainda não conhecem, etc... 

Em fim, acho que o segredo na nova realidade musical é mesmo criar uma comunidade e vender então experiências. Ou até um modelo de subscrição com acesso a conteúdos exclusivos e, mais importante, a interacção directa com o artista e o resto da comunidade. Já criei a "Família RockGP" que já passou largamente os 100 membros. Agora tenho de arranjar forma de criar a "Família Anya Karin" ;) Só ainda não estou muito convencido com as plataformas existentes com o Patreon e tal. Porque no fundo os patronos estão a pagar é ao Patreon! Ou seja no fundo e bem vistas as coisas, são patronos do Patreon e nós somos funcionários do Patreon... Não gosto do modelo 

 

@resolectric estamos em sintonia! Acho que nos entendemos muito bem! Os dois sabemos que o caldo verde tradicional está em extinção e estamos os dois profundamente tristes por isso. A única coisa que estou a tentar fazer nestes tópicos é tentar trocar ideias progressivas em vez de chorar sobre o leite derramado. 

 

 

  • Gosto 1
  • Amo 1

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
pipes    3768
há 7 horas, stratocosta disse:

na nossa experiência ,vendem-se mais t-shirts que cd´s.

no ultimo concerto parte da banda levou umas sweats , foi a loucura , um dos meus camaradas vendeu a sweat que usou na atuação !

cd´s ? nem 1 !

outra coisinha que irrita é criar um evento com parceiras de bombeiros , associações não lucrativas, outras bandas  e apesar de ser a poucos km´s do centro e a borla , apareceram só umas dezenas de "malucos".

foi bem antes da covid e foi divulgado.

dá trabalho levantar o cú do sofá , para próxima  talvez seja preferivel fazer um live no fb :(

Isso é outro mito, o sucesso online. Já partilhei palco com bandas com o dobro e triplo dos seguidores que eu tinha, e mesmo assim acho que consegui levar mais malta ao gigs (embora já tenha tocado pra mulher e pouco mais, lol).

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
stratocosta    4060
há 3 horas, Antonio disse:

 

 

@resolectric estamos em sintonia! Acho que nos entendemos muito bem! Os dois sabemos que o caldo verde tradicional está em extinção e estamos os dois profundamente tristes por isso. A única coisa que estou a tentar fazer nestes tópicos é tentar trocar ideias progressivas em vez de chorar sobre o leite derramado. 

 

 

não está não. há cada vez mais malta com a hortinha em casa, a pandemia deu um empurrãozito nisso.

 

  • Gosto 1

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
xtech    3170

O problema disto tudo é haver muita oferta para a procura que existe. O que não falta é malta a cantar e tocar no youtube, no facebook, no instagram e em todo o lado. A oferta aumentou praí 1000%, a procura se calhar aumentou mas muito menos.

Na oferta, acho que a qualidade geral piorou. Continua a haver génios, mas a proporção de mediocridade aumentou, desde que qualquer um agora pensa que por ter uma guitarra, um a câmara e uma conta de youtube é artista. Não faltam é canais de youtube com visualizações do próprio e com sorte de 2 ou 3 amigos e familiares.

As pessoas "vendem" a sua música de graça. No momento que metem as coisas no youtube e nas plataformas, estão a dar de graça. As plataformas lucram com a publicidade e com os dados pessoais que sacam, e o artista ganha... juizo, na maior parte das vezes. Não adianta vender aquilo que todos têm de graça. Há excepções? Há, mas poucas.

Quantos artistas que nasceram genuinamente no youtube e que não têm qualquer tipo de beleza natural extraordinária ou atributos que os favoreçam e têm sucesso? Não me lembro de nenhum...

  • Gosto 3

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
stratocosta    4060
há 36 minutos, xtech disse:

 

Quantos artistas que nasceram genuinamente no youtube e que não têm qualquer tipo de beleza natural extraordinária ou atributos que os favoreçam e têm sucesso? Não me lembro de nenhum...

Cristina, não vais levar a mal mas beleza é fundamental ;)

a fasquia já estava alta antes do youtube. pelo menos a minha.

mas graças ao youtube descobri a Anoushka Shankar.

dá 15 a 0 em todos os níveis a muitos guitarristas imho

 

há 40 minutos, xtech disse:

 

Na oferta, acho que a qualidade geral piorou.

esquecendo a evolução demográfica, já existia muita treta, estava é escondida . 

  • Gosto 3

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
Antonio    832
há 43 minutos, xtech disse:

O problema disto tudo é haver muita oferta para a procura que existe. O que não falta é malta a cantar e tocar no youtube, no facebook, no instagram e em todo o lado. A oferta aumentou praí 1000%, a procura se calhar aumentou mas muito menos.

Na oferta, acho que a qualidade geral piorou. Continua a haver génios, mas a proporção de mediocridade aumentou, desde que qualquer um agora pensa que por ter uma guitarra, um a câmara e uma conta de youtube é artista. Não faltam é canais de youtube com visualizações do próprio e com sorte de 2 ou 3 amigos e familiares.

As pessoas "vendem" a sua música de graça. No momento que metem as coisas no youtube e nas plataformas, estão a dar de graça. As plataformas lucram com a publicidade e com os dados pessoais que sacam, e o artista ganha... juizo, na maior parte das vezes. Não adianta vender aquilo que todos têm de graça. Há excepções? Há, mas poucas.

Quantos artistas que nasceram genuinamente no youtube e que não têm qualquer tipo de beleza natural extraordinária ou atributos que os favoreçam e têm sucesso? Não me lembro de nenhum...

Verdade! Mas por outro lado tenho reparado que são muito poucos os que levam a serio a parte promocional... Basta ser consistente com o lançamento de musica e videos e já estamos á frente de 80% da concorrência, porque dá muito trabalho e a maior parte da malta faz uns video fixes no inicio mas depois cansa-se. Fazer videos e musicas frequentemente um ano ou dois para começar  afazer diferença é muito exigente! 

Depois há a parte da capacidade de investimento. Sim, é preciso gastar dinheiro! As redes sociais estão montadas para lucrar, se não se pagar publicidade não se vai a lado nenhum. De novo, se tivermos alguma capacidade e coragem para gastar em alguns anúncios já estamos á frente de 80% ou mais da concorrência. 

Eu tive um ano e pouco a fazer uma música apor mês e agora comecei a fazer mais videos e lives. Investi em muito material de video e algum em anúncios. Só agora estou a notar crescimento. A cena é que assim que começa a crescer, se continuarmos a empurrar, é exponencial. 

Os meus stats: 

 

5f1b25c1ac3a9_Screenshot(2).png.ec71a7dc5a17cf65a7a72e119220e7bd.png

 5f1b25cc9afca_Screenshot(1).png.3870d4e097ec5dc0bd765e2ff98e6e2f.png

 

Yah! Ainda é pequenino. Mas não é tipo "Só a família e amigos é que ouvem"... 

 

  • Gosto 1

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
stratocosta    4060
há 42 minutos, xtech disse:

 

Quantos artistas que nasceram genuinamente no youtube e que não têm qualquer tipo de beleza natural extraordinária ou atributos que os favoreçam e têm sucesso? Não me lembro de nenhum...

sucesso não tem de ser "roque and roll star"

há 1 minuto, Antonio disse:

Verdade! Mas por outro lado tenho reparado que são muito poucos os que levam a serio a parte promocional... Basta ser consistente com o lançamento de musica e videos e já estamos á frente de 80% da concorrência, porque dá muito trabalho e a maior parte da malta faz uns video fixes no inicio mas depois cansa-se. Fazer videos e musicas frequentemente um ano ou dois para começar  afazer diferença é muito exigente! 

Depois há a parte da capacidade de investimento. Sim, é preciso gastar dinheiro! As redes sociais estão montadas para lucrar, se não se pagar publicidade não se vai a lado nenhum. De novo, se tivermos alguma capacidade e coragem para gastar em alguns anúncios já estamos á frente de 80% ou mais da concorrência. 

Eu tive um ano e pouco a fazer uma música apor mês e agora comecei a fazer mais videos e lives. Investi em muito material de video e algum em anúncios. Só agora estou a notar crescimento. A cena é que assim que começa a crescer, se continuarmos a empurrar, é exponencial. 

Os meus stats: 

 

5f1b25c1ac3a9_Screenshot(2).png.ec71a7dc5a17cf65a7a72e119220e7bd.png

 5f1b25cc9afca_Screenshot(1).png.3870d4e097ec5dc0bd765e2ff98e6e2f.png

 

Yah! Ainda é pequenino. Mas não é tipo "Só a família e amigos é que ouvem"... 

Screenshot (2).png

Screenshot (1).png

se quiseres aumentar a clientela, sem gastar dinheiro..... tens aquele truque do cruzar de pernas :P

  • Riso 2

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais

Regista-te ou entra para comentar!

Para deixar um comentário é necessário estar registado. É muito fácil!

Criar uma conta

Regista-te e vem fazer parte desta comunidade! É fácil!

Registar-me

Entrar

Já estás registado? Entra aqui!

Entrar agora