Mr. Smith

Guitarra Acústica Refret



Posts Recomendados:

The Passion    270

O @tmo disse quase tudo o que havia para dizer acerca destes assuntos, e subscrevo a 100%.

No entanto há um pequeno pormenor que acho pertinente no que toca à particularidade dos polimentos. Existem dois tipos de polimento:

Mecânico:

IMG-20200801-161532-01.jpg

Químico: 

IMG-20200801-161358-01.jpg

Acima temos dois exemplos de polimentos, o primeiro, polimento mecânico (stock) , e o segundo, um polimento químico. Em ambos os exemplos os trastes são médios em Nickel. A SG Vermelha (Mecânico) tem sensivelmente 3 meses de uso e a SG Azul (Químico) tem dois anos e meio de uso desde que o polimento foi feito. 

Quanto às diferenças, o polimento Mecânico é parte do processo de nivelamento na sua fase final, é a opção mais comum por parte dos fabricantes devido ao baixo custo, rapidez e risco reduzido, sendo que hoje em dia muitos fabricantes optam pelo automatismo deste processo de início ao fim. O polimento mecânico continua também a ser a opção mais comum para a manutenção, considerando que uma guitarra não tenha os trastes desnivelados, sulcados ou com outros danos. Esta técnica visa remover a camada de corrosão e riscos, tentando manter a altura do traste, ou seja, remover o mínimo de material possível. 

O polimento Químico é um processo mais refinado, utilizado como última fase do fabrico de uma guitarra, normalmente apenas em modelos de gama alta, ou na manutenção. É um polimento que visa a remoção atómica de oxidação de um traste em boas condições sem ser abrasivo, o processo não remove material do traste e como tal aumenta a vida útil do mesmo, o resultado final é um polimento mais perfeito, mais suave e normalmente mais duradouro, não cria micro fissuras nos trastes que ao longo do tempo podem ser focos de corrosão mais profunda e de quebras (devidas a choques de temperatura, pressão, etc), é preferencial para os trastes em aço inoxidável dado à sua natureza mais quebradiça comparando com outros materiais utilizados. Existem vários procedimentos de polimento químico, no entanto todos eles têm um risco superior porque os materiais utilizados podem, se o instrumento não for devidamente acondicionado, danificar o acabamento, a escala e até desagregar parcialmente as colagens de trastes e inlays, daí ser um processo utilizado maioritariamente em instrumentos "high-end" ou na manutenção profissional. 

  • Gosto 1
  • Útil 1
  • Obrigado 1

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
Rui T    1669

Duvido imenso (a 99.9%) que vás arranjar uma por 200 euros que tenha melhor som. Ou 300. Mais vale fazer o refret.

Mas antes de tomares a decisão procura um luthier (ou dois) e pergunta-lhe se a guitarra está estruturalmente em boas condições. Se não precisa de um re-set do braço e se não há deformação na zona da ponte. Porque nessas condições a decisão poderá ser outra.

 

  • Gosto 1
  • Útil 1

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
tmo    2205
há 3 horas, Rui T disse:

Duvido imenso (a 99.9%) que vás arranjar uma por 200 euros que tenha melhor som. Ou 300. Mais vale fazer o refret.

Mas antes de tomares a decisão procura um luthier (ou dois) e pergunta-lhe se a guitarra está estruturalmente em boas condições. Se não precisa de um re-set do braço e se não há deformação na zona da ponte. Porque nessas condições a decisão poderá ser outra.

 

Sobre este assunto, é comum as guitarras acústicas criarem barrigas no tampo superior na zona da ponte devido ao stress/pull das cordas. Tive um problema desses com a minha acústica (que ainda por cima é de 7 cordas, logo muito mais tensão sobre o tampo). Contactei duas oficinas, uma em Lisboa que me indicaram a Guitar Rehab, onde de facto reparei a guitarra.

Já estava pronto para largar cerca de 400 a 500€ para a substituição do tampo, tampo novo, rest do braço, coisas dessas, mas no meio das conversas com eles (e de investigação de minha parte) descobri a existência de um "contra tensor" de nome BRIDGE DOCTOR. Instalaram o dito lá na Guitar Rehab e a guitarra ficou altamente (também mexeram na ponte), com um feel muito próximo ao de uma eléctrica (em termos de acção, pelo menos). Há montes de vídeos disto na tubas, vale a pena ver/investigar.

Relativamente a alterações ao timbre, não senti nada de extraordinário, mas é uma guitarra com que toco pouco e levou com cordas novas logo de seguida, pelo que as referências que tinha foram-se todas embora de uma assentada...

  • Útil 1

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
Mr. Smith    93

500 € um tampo?! Ainda bem que não é o caso, isso estaria completamente fora de hipótese...mas por aí não receio o tampo está igual ao que sempre esteve.

Vou espreitar isso do Bridge Doctor a ver o que é, mas só pelo didáctico da coisa :), felizmente não é necessário!

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
tmo    2205

Há muito trabalho envolvido num tampo novo. Nunca me deram orçamento para isso, mas em conversa percebi não estar muito longe disso...

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
Mr. Smith    93
há 1 hora, tmo disse:

Há muito trabalho envolvido num tampo novo. Nunca me deram orçamento para isso, mas em conversa percebi não estar muito longe disso...

Não digo que não, nem tenho capacidade para avaliar o trabalho que dá essa substituição, mas 500 € é dinheiro, isso só para aí num instrumento de 3000 € para cima, digo eu e continuando a não saber do que estou a falar :)

  • Gosto 1

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
tmo    2205

@Mr. Smith Considerando que não se encontram guitarras acústicas de cordas de aço com 7 cordas no mercado sem ser em classificados ou por encomenda, reparar uma que já tenhas sempre fica mais barato do que comprar uma às cegas em 2ª mão (se encontrares) ou mandar fazer uma de raiz...

  • Gosto 1

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
Mr. Smith    93
há 21 minutos, tmo disse:

@Mr. Smith Considerando que não se encontram guitarras acústicas de cordas de aço com 7 cordas no mercado sem ser em classificados ou por encomenda, reparar uma que já tenhas sempre fica mais barato do que comprar uma às cegas em 2ª mão (se encontrares) ou mandar fazer uma de raiz...

Claro que cada caso é um caso e embora essa guitarra tenha uma corda a mais do que é necessário :) se valorizas isso mais a dificuldade em arranjar (não me lembro realmente de ver alguma à venda) pode justificar um investimento/despesa dessa ordem.

  • Gosto 1

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
Rui T    1669
há 53 minutos, tmo disse:

@Mr. Smith Considerando que não se encontram guitarras acústicas de cordas de aço com 7 cordas no mercado sem ser em classificados ou por encomenda, reparar uma que já tenhas sempre fica mais barato do que comprar uma às cegas em 2ª mão (se encontrares) ou mandar fazer uma de raiz...

Ou então compra-se uma de 12 cordas e tira-se cinco cordas...-_-

 

:P

  • Riso 2

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais

Regista-te ou entra para comentar!

Para deixar um comentário é necessário estar registado. É muito fácil!

Criar uma conta

Regista-te e vem fazer parte desta comunidade! É fácil!

Registar-me

Entrar

Já estás registado? Entra aqui!

Entrar agora