Rukas

Quantas guitarras é que nós realmente precisamos?



Posts Recomendados:

glaubersw    25
há 10 horas, jlcosta disse:

E uma custom shop só para ter a certeza de que elas não valem 1/5 do preço.

Morro de vontades de uma Jazzmaster do Custom Shop da Fender no estilo protótipo de 1958.

Mas certamente não valerá 1/5 do que custa.

  • Gosto 1

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
grsousa    58

Boas a todos,

Ainda me considero novato nestas andanças, este bichinho à cerca de 4 anos, iniciei com aulas, mas vai fazer agora um ano que está tudo suspenso devido à esta m....que nos assolou.

Comecei por comprar um pack (Yamaha Pacifica 012 + amp Line 6 Spider IV 15w) caso não gostasse o investimento não era por ai além :-) o problema foi que o bicho cresceu e neste momento estou como a maioria do pessoal que aqui comenta....as que temos.... +1 :yes: como não tenho outros vícios de maior....fui acrescentando à lista:

- Yamaha Pacifica 012 - a primeira

- Cort Z44 (uma banda desistiu do projecto e como estava nova...fiquei com ela)

- Vintage Les Paul honeyburst (tinha comprado outra pacifica usada para entrar no mundo dos upgrades, mas surgiu a hipótese trocar por esta, troquei para ter  algo Les Paul, e fiz os Upgrades nesta.

- Ibanez Prestige 2570, comprada aqui no fórum :) na altura comecei a tocar algumas coisitas, então... achei que se comprasse algo profissional as mãos iriam tocar sozinhas.......completamente errado :rolleyes: mas esta fica cá em casa, gosto bastante da guitarra.

- Takamine ED2NC, outra altura que comecei a ouvir musicas que utilizavam guitarra acústica e como estava no inicio achei que musicas mais fáceis e acordes me iriam ajudar em ritmos, posições de dedos, tempos etc

- Vintage Telecaster V75 - quis experimentar outros sons, acabei por a vender há 3 semanas +-, por redundância.

- Vintage SG - comecei a querer tocar AC/DC :rolleyes: 

- Fender MIJ Traditional '60s Telecaster Midnight, quando entrei na loja e a vi exposta, mandei reservar, é lindaaa :wub: daí ter vendido a Vintage ao fim de um ano e mesmo assim, foi difícil tomar essa decisão.

- Gretsch 5420t Aspen Green - nunca tinha visto nenhuma ao vivo, mas sempre gostei do som dos vários vídeos que ia vendo no youtube, licitei num leilão e ganhei a aposta....foi daquelas compras arriscadas, comprar sem ver e experimentar, quando chegou estava toda cheia de pó, suja, mas depois de um bom banho.......acho que pouco deve ter sido tocada....está nova :) mas confesso que foi um risco que assumi, valeu a pena os €

Fender American Professional II Strat MN Dark Night - ultima a entrar cá em casa, oferta a mim mesmo neste ultimo natal, uma forma de aliviar o stress do confinamento :D

Neste momento não conto desfazer-me de nenhuma, sou muito sentimentalista :) como entradas.....a única que poderia ponderar seria uma Gibson Les Paul  (Standard preferencialmente ou Traditional dependendo do negócio) mas lá está...como em comentários acima..."só para ter a certeza de que elas não valem 1/5 do preço." porque não sei se 2000€ valem a diferença de som para a minha Vintage com os upgrades que lhe fiz :wacko: só alguém que toque com Gibson me dê essa opinião.

e pronto....esta é um pouco a história do meu percurso de "guitarrista" e do stock que tenho neste momento :)

Abraço

Gilberto

 

 

  • Gosto 3

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
gilly    248
há 11 horas, tmo disse:

Querias, agora não te safas...

Quanto à tuguisse eléctrica com piezos, não havia por aí um "guitolão"?

http://www.abemusica.com.br/portal/guitolao-eletrico-o-novo-instrumento-inventado-por-um-portugues/

https://infocul.pt/cultura/pedro-alves-duarte-cria-o-guitolao-electrico/

guitolao.jpg

... não parece ter piezos...

Olha, e se te fosses f****? :D Um gajo aqui a tentar resistir ao GAS...

Vou deixar de vir aqui, pronto!

 

:D

há 5 horas, deadpoet disse:

Já ouvi alguns temas com esse instrumento mas nunca me “puxou”! ;)

 

Tenho 5 dos meus 6 instrumentos a precisar de mudar de cordas, nem vou falar da despesa porque 1 deles é fretless e uma das guitarras é “de jazz”! ;) 

voltando ao assunto, mudar as cordas a 6 instrumentos e calibra-los minimamente é moroso, sendo uma das guitarras 12 cordas! :D

 

mais um guitolão?? Não obrigado! :)

Agora guitarras e em jeito de GÁS, açambarcava já uma tele na boa! :D 

Fazes-me lembrar quando tenho de mudar de cordas à doubleneck...

  • Gosto 1
  • Riso 1

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
tmo    2815

@grsousa - olha que a diferença de preço entre guitarras de "entrada" e outras mais "pro" não se justifica apenas no som. O feel ao toque faz uma diferença enorme, a consistência da construção e pequenos requintes de malvadez dos construtores que nos transmitem confiança são tão ou mais importantes que o som, pois interferem directamente na nossa expressão, e isso sim, manifesta-se no timbre do instrumento. Os blind tests são engraçados, pois obrigam-nos a relativisar a coisa, no entanto a grande maioria ajuíza com base apenas no som e esquecem-se muitas vezes do feel do instrumento. É que o som pode ser trabalhado e alterado sem que com isso se mude o toque da guitarra ou a sua consistência... e isso faz MUITA diferença na nossa segurança, confiança na performance e expressão geral. Não descuidar estes aspectos, uma guitarra não deve ser avaliada apenas pelo seu som...

@gilly - lol, mas não listaste aqui as tuas posses +1... bom, já sabemos que o "+1" é o tal Guitolão Eléctrico...

...

Por causa das mudas de cordas, as minhas estão todas com os mesmos packs, mas a fretless leva sempre o conjunto mais caro. Neste momento está com 011 em afinação normal, já teve 013 no passado e creio que irei voltar para esses valores, claro que se assim for, terei de entrar comprar um bordão à parte, que só uma 7ª corda flatwound são + de 10€, dependendo da loja...

Há uns anos atrás, a guitarra laboratório (bolas parece que estou sempre a postar este link...) andou com cordas 013 flatwound também... timbres engraçados que se sacam para uma expressão metaleira. Na altura estava com uns D-Activator 7, contraste da pilinha em termos de expressão tímbrica, mas deu uns sons fixes na altura...

 

  • Gosto 1

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
pgranadas    2691
há 36 minutos, tmo disse:

olha que a diferença de preço entre guitarras de "entrada" e outras mais "pro" não se justifica apenas no som

É isso, e aliás, o próprio @grsousa deve confirmar isso com a Fender Americana que comprou. As madeiras usadas serão mais consistentes, o que significa que não deverá estar sempre a ter de afinar a guitarra a cada 10 minutos como acontece com uma guitarra de 100€.

Eu também não me importava de mimar com uma strat de topo, mas fico na dúvida entre Fender CS e uma Ibanez MIJ, ou eventualmente uma Suhr. Não sei qual delas seria o melhor investimento.

 

  • Gosto 1

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
deadpoet    1838
há 3 horas, gilly disse:

Fazes-me lembrar quando tenho de mudar de cordas à doubleneck...

18 cordas?! :D

 

a fender lançou o 70o aniversário da broadcaster, eu nem pesquiso a guitarra só para não me tentar!

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
pgranadas    2691
há 9 horas, deadpoet disse:

a fender lançou o 70o aniversário da broadcaster, eu nem pesquiso a guitarra só para não me tentar!

A mim parece-me uma telecaster

 

 

 

 

 

 

  • Gosto 1

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
May    100
há 35 minutos, pgranadas disse:

A mim parece-me uma telecaster

 

 

A Telecaster começou por se chamar Broadcaster. A Grestch (uma marca na altura muito mais forte e com muito mais reputação que a Fender) tinha um modelo de bateria chamada Broadkaster. Exigiu que Fender alterasse o nome - o Leo, para evitar tribunais e para não entrar em choque com uma marca (na altura repito muito mais poderosa), aceitou mudar, acabando por escolher Telecaster.

  • Obrigado 1

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
pgranadas    2691
há 6 minutos, May disse:

A Telecaster começou por se chamar Broadcaster. A Grestch (uma marca na altura muito mais forte e com muito mais reputação que a Fender) tinha um modelo de bateria chamada Broadkaster. Exigiu que Fender alterasse o nome - o Leo, para evitar tribunais e para não entrar em choque com uma marca (na altura repito muito mais poderosa), aceitou mudar, acabando por escolher Telecaster.

Ahhhh, desconhecia a história, obrigado.

  • Gosto 1

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais

Regista-te ou entra para comentar!

Para deixar um comentário é necessário estar registado. É muito fácil!

Criar uma conta

Regista-te e vem fazer parte desta comunidade! É fácil!

Registar-me

Entrar

Já estás registado? Entra aqui!

Entrar agora