Rukas

Quantos amps é que nós realmente precisamos?



Posts Recomendados:

Rukas    1738

No seguimento do tópico dedicado as guitarras deixo aqui a mesma questão para os amps.

Neste momento tenho 2 amps, combos solid-state, umde 35w com um speaker de 10" e o outro de 65w com speaker de 12".

Curtia ainda ter mais 1, talvez a válvulas e para uso esporádico mas estou bem assim.

 

Aqui fica o video.

 

  • Gosto 3

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
tmo    2708

Haha, mais um tópico para a malta discorrer ideias. Ao contrário das guitarras, pessoalmente só preciso de 1 amp, desde que seja stereo. A história começa assim:

... há muito tempo atrás, ainda no milénio passado, vi-me na situação de ter de fazer um step up no meu gear. Na altura tinha uma pedaleira PT5 da Ibanez que dava para os gastos e que usava ligada na aparelhagem do quarto... sim, avancemos. Bom, comecei a tocar numa banda (que para não variar não deu em nada) e então a malta juntou-se e fez uma série de investimentos individuais e colectivos. Na altura já tinha duas colunas amplificadas full range (monitores de palco), pelo que comprámos uma mesa de mistura para fazer o som da banda e eu atirei-me a uma unidade de rack da Roland que só não tirava cafés por pouco, ia o ano de 1998*. Ora essa unidade de rack, um fantástico Roland GP100, tinha uma carrada (para a altura) de sons disponíveis que até eram simpáticos, mas o melhor de tudo era que se podiam alterar os respectivos parâmetros em tempo real sem ter de mudar de patch e eu curti isso à brava, principalmente o mudar o drive com um pedal de expressão, ou fazer brincadeiras semelhantes. Assim, com 1 patch conseguia ter desde sons limpos a pesadões e tudo o resto pelo meio.

... e assim me contentei durante cerca de uma década, pela qual também me passeei por um Boss VF-1. Tudo controlado por MIDI, usando headphones e volta e meia as ditas colunas amplificadas. Eis senão quando me dei ao trabalho de ir à Castanheira de Lisboa experimentar um Mesa Boogie Triaxis. Já andava no encalce de um pre-amp a válvulas em formato rack, controlável por MIDI e que permitisse fazer as brincadeiras que fazia com o GP100. Na altura, por volta de 2008/9, com estas características só encontrei dois, o Triaxis e um Engl E570 (?). O primeiro era mais maneiro, ocupava apenas 1 unidade de rack e pareceu-me melhor conseguido em termos de funcionalidades e usabilidade. Nunca cheguei e experimentar o Engl, que era igualmente mais pesado.

Ora como poderão estar informados, o Triaxis tem 8 modos / preamps dentro de si: 2 cleans e 6 overdrives. Dos 6 overdrives uso apenas 1 ou 2 e nos cleans nem toco, isto porque com a possibilidade de alterar os parâmetros em tempo real, consigo sacar cleans interessantes (para os meus ouvidos) dos canais de overdrive, e consigo ir de sons limpos a pesados e a tudo pelo meio sem mudar de programa, apenas com um pedal de expressão. GOSTO disto. MUITO. Ou seja, com um programa, tenho vários "amps".

Conclusão, apenas preciso de um amp para amplificar (era para fazer decoração na sala não?) o Triaxis. Já o fiz com PAs, com os meus monitores de palco amplificados e agora faço-o com um poweramp stereo também a válvulas.

Combinado com as minhas guitarras que só não tiram cafés porque eu não bebo café (se bebesse, fazia-as tirarem cafés, eventualmente), tenho um leque de sons bem grande para me expressar livremente. Garantidamente mais do que os que preciso, mas aí é que está o gozo da coisa, permite-me descobrir timbres novos a qualquer instante, uma combinação de PUs pouco habitual de minha parte com um momento intermédio do pedal de expressão e encontro-me em território inesperado.

Em casa toco 99% do tempo com headphones** e simuladores de colunas analógicos, que depois são vectorizados na placa de som. Até ao final do ano passado usava exclusivamente as saídas RECORD do Triaxis, já compensadas para soarem a colunas (tecnologia dos finais dos anos 90), e desde Dezembro passado que comecei a usar também o poweramp através de duas loadbox Captor 8, que recebem a carga do amp e convertem em sinal. Quando vou a ensaios, levo a rack de 4 unidades (é o meu limite) com rodinhas (que eu coloquei, tive uma da Gator tb com rodas mas não gostei) e ligo-me às colunas do estúdio/sala onde barulhamos. Sei que é OVERKILL para o que faço com isto e que facilmente obteria resultados idênticos/semelhantes/parecidos/próximos com uma Helix ou aparelho do género... mas não era a mesma coisa.

Cheguei a este ponto de forma muito gradual, as peças foram compradas e vendidas ao longo do tempo, amortizadas nos pequenos sacrifícios de não fumar, beber cafés, apanhar pielas or ir prá night.

...

Sobre o vídeo... não me aqueceu, deu-me a sensação de estar a promover/publicitar material e achei-o... superficial (já o outro também fiquei com essa impressão)... Há um factor (que nem sequer foi referido) que é super subjectivo (portanto referente ao sujeito) que é a satisfação do "fazer de conta" com o material do "herói" preferido, ou, retirando o "herói" da equação, simplesmente gostar de usar coisas caras. Se há quem possa, tenha gosto nisso e não se importe de alombar pesos, porque é que não se fará tal coisa? Só porque é mais conveniente uma solução tipo tudo em 1 que ocupa menos espaço e até tem uns gelados porreiros? O ponto dele é importante, diz respeito ao consumismo que a publicidade incita na malta, mas orienta-se principalmente ao consumismo da novidade, da hiperbolização do "novo", quando em MUITOS casos é apenas mais do mesmo com uma cobertura diferente. No meu caso particular, das peças que tenho (incluindo guitarras), bem mais de 50% foi comprado em 2ª/3ª/4ª... mão. Espera-se pelo negócio porreiro, pode levar mais tempo, mas não preciso de comprar 2 ou 3 vezes...

...

* - quando se mora com os pais num apartamento no meio da cidade, não dá nem faz sentido andar atrás de cabeços e colunas XPTO...

** - como, apesar de ter casa própria, continuo a morar num apartamento, continua a não fazer sentido andar atrás de cabeços e colunas XPTO...

  • Gosto 3

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
xtech    3351

Eu gostava de ter muitos amps, até mais que guitarras, e todos a válvulas. Dos amps que tive nenhum era bom em tudo e sentia sempre a falta de algo, daí que nunca serei um gajo de um amp só..

Por falta de espaço, de não poder tocar alto porque vivo num apartamento, e porque normalmente são pesados para andar a cartar com eles, neste momento já não tenho nenhum, mas se no futuro esta situação se alterar, tem que ser mais que um. Um blues junior, um AC15, um Marshall 5w, um Diezel, um Mesa Boogie Roadking ou um Mark V... e a lista podia continuar por aí adiante.

  • Gosto 3

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
tmo    2708

... e um ou dois pedais de EQ programáveis (1 à frente, o outro no loop) permitem ter esses todos resumidos a um... bom, quase, claro...

  • Gosto 1

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
Antonio    1043

A Diezel lançou uma cena fixe á pouco tempo. Um amp a válvulas programável com FX e CAB sim.  Não me recordo do modelo exato. Mas deu me os GASes :D

  • Gosto 2

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
mr store    125

Neste momento tenho apenas um Blackstar artisan 30.

Com a opção de tocar a 10w ou 30w é ideal para os dois mundos: estúdio/ensaio e ao vivo/concerto.

O único senão é elevado peso e consequente dores de costas.

 

Nota: Tive um Laney lionheart L20T-112 que me deixa saudades

  • Gosto 5

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
tmo    2708

@Antonio - esse Diezel é um bacamarte de todo o tamanho, sempre chegou a ser produzido? Fiquei com a impressão de que não houve muita aceitação ou pelo menos, depois de ver o lançamento numa NAMM, creio que de 2019 (?) não me lembro de ver os vídeos promocionais da praxe... mas na minha opinião é uma má aposta, penso ser preferível ter as coisas separadas e vai ser um amp a perder valor relativamente depressa assim que os seus FXs começarem a ficar obsoletos. Controlo digital de um amp analógico, venha ele, meterem-lhe mais uma carrada de efeitos digitais... acho que a malta não agarrou a ideia...

EDIT: fui custar a página da Diezel e o amp não aparece listado, era o VHX, portanto da série VH2 e VH4...

diezel-vhx-vollroehre-verstarker-dsp-uad

EDIT 2: Acho o layout dos botões assim um bocado para o parva, mas o som deve estar todo lá... seja lá o que isto quer dizer...

  • Gosto 1

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
Antonio    1043

Era esse mesmo. 

Não sei se é assim tão parvo... Entre andar com uma pedaleira ou essa head apenas com um footswitch... E tinha atenuação dando também para ligar por DI sem CAB. Era tipo, levar a guitarra numa mão e a head na outra, estava feito 

  • Gosto 1

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
gilly    213
On 15/02/2021 at 20:21, tmo disse:

Ao contrário das guitarras, pessoalmente só preciso de 1 amp, desde que seja stereo.

End of topic.

:D:D:D

  • Riso 2

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
Antonio    1043

Para contribuir para o tópico. 

Apesar ter desistido de usar amps para trabalhar, adorava ter uma colecção para curtir. A lista segue-se:

Power e riffalhada:

Diezel VH4

Mesa Boogie John Petrucci signature 

Revv Gen. 

Rock e Crunch (timbres mais vintage) 

Vox AC30

Orange rockerverb

Highwat 100

Limpos

Two Rock 

Fender twin 

 

E pronto, é fazer a soma. Estes são os amps que eu "preciso" :D

  • Gosto 1

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais

Regista-te ou entra para comentar!

Para deixar um comentário é necessário estar registado. É muito fácil!

Criar uma conta

Regista-te e vem fazer parte desta comunidade! É fácil!

Registar-me

Entrar

Já estás registado? Entra aqui!

Entrar agora