Rukas

Quantos amps é que nós realmente precisamos?



Posts Recomendados:

tmo    2815

Muito bom, tem rodinhas, não estão é agarradas à rack, mas tem rodinhas :D

  • Riso 1

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
gilly    248

E, para quem se interessar em coisas mais geek...

Main Rig 3.1.jpg

 

EDIT: Estou a reparar agora que o DS-1 (modded) foi trocado por um Behringer TO800 e ainda não está aí.

  • Amo 1

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
tmo    2815

... tenho de arranjar/fazer um esquema desses...

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
gilly    248
há 3 minutos, tmo disse:

... tenho de arranjar/fazer um esquema desses...

Foram muitas horas em Corel Draw...

  • Gosto 1

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
pgranadas    2691

Ainda chego a tempo?

Então respondendo à pergunta do tópico, e que ao ler os posts que já aqui foram escritos, reforça a ideia que já tinha.

resposta: ZERO

E agora começa a batalha....hehehe

Passo a explicar, não toco em banda, e mesmo que tocasse, para mim é essencial o stereo. Andar com dois amps!!! Está fora de questão. Andar com uma pedaleira? Sim claro, responde a todas as necessidades, e não fico preso a um determinado som, podendo experimentar á vontadinha.

Fora do contexto de banda, que é o que me encontro, usar um vst é sem sombra de dúvida o melhor na minha opinião.

Em primeiro lugar, porque faço música, e não apenas guitarradas, portanto tenho todo interesse em ouvir a guitarra no contexto com os restantes instrumentos. Isso faz-se através de colunas ou monitores, o amplificador não faz sentido.

Além disso, gosto da possibilidade de na mistura mexer na configuração dos efeitos e do tom das guitarras, mais uma vez, o vst é uma excelente ferramenta, com amp ficava limitado (sim eu sei que é possível fazer re-amp e essa coisa toda, tudo muito giro, mas significa cabos, micros e acima de tudo tempo, que mal tenho para fazer o mais importante quanto mais anda-lo a perder em coisas desnecessárias)

Somando tudo, não tenho necessidade de amplificador,acho-o obsoleto, instável (especialmente os a válvulas e as suas pancas de reagir com flutuações de energia, temperatura, ou lá o que raio ele se lembrar mais) e além de ocupar espaço, é pesado para caramba.

Junte-se a isso o facto de que pelo preço de um amp, compro uma pedaleira de topo, que tem carradas de amps lá dentro e ainda fico mais convencido que é a melhor solução.

Conclusão:

Dispenso, muito obrigado e venha lá a vossa indignação.:P

 

  • Gosto 4
  • Surpresa 1

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
Antonio    1079
há 9 minutos, pgranadas disse:

Ainda chego a tempo?

Então respondendo à pergunta do tópico, e que ao ler os posts que já aqui foram escritos, reforça a ideia que já tinha.

resposta: ZERO

E agora começa a batalha....hehehe

Passo a explicar, não toco em banda, e mesmo que tocasse, para mim é essencial o stereo. Andar com dois amps!!! Está fora de questão. Andar com uma pedaleira? Sim claro, responde a todas as necessidades, e não fico preso a um determinado som, podendo experimentar á vontadinha.

Fora do contexto de banda, que é o que me encontro, usar um vst é sem sombra de dúvida o melhor na minha opinião.

Em primeiro lugar, porque faço música, e não apenas guitarradas, portanto tenho todo interesse em ouvir a guitarra no contexto com os restantes instrumentos. Isso faz-se através de colunas ou monitores, o amplificador não faz sentido.

Além disso, gosto da possibilidade de na mistura mexer na configuração dos efeitos e do tom das guitarras, mais uma vez, o vst é uma excelente ferramenta, com amp ficava limitado (sim eu sei que é possível fazer re-amp e essa coisa toda, tudo muito giro, mas significa cabos, micros e acima de tudo tempo, que mal tenho para fazer o mais importante quanto mais anda-lo a perder em coisas desnecessárias)

Somando tudo, não tenho necessidade de amplificador,acho-o obsoleto, instável (especialmente os a válvulas e as suas pancas de reagir com flutuações de energia, temperatura, ou lá o que raio ele se lembrar mais) e além de ocupar espaço, é pesado para caramba.

Junte-se a isso o facto de que pelo preço de um amp, compro uma pedaleira de topo, que tem carradas de amps lá dentro e ainda fico mais convencido que é a melhor solução.

Conclusão:

Dispenso, muito obrigado e venha lá a vossa indignação.:P

 

Exato! 

Eu só não uso muito VSTs pela questão da latência. Não gosto de andar a jogar ping pong com o buffer size entre captação e mistura. Gosto de ter o Buffer sempre no máximo. Nunca mexo. Tendo os sons feitos na pedaleira posso fazer a monição pela mesa e já nunca tenho de me chatear com latência. 

Também sou adepto do "commitment", conseguir os sons primeiro, gravar e depois misturar a partir dai. Se eu poder voltar atrás, aos settings do amp, levo muito mais tempo a misturar porque a indecisão atrapalha. 

Mas estou 100% contigo na cena do digital! O pouco que lhe falta em som e feel (seja lá o que isso for), é fortemente ultrapassado em comodidade, consistência e workflow. 

Dito isto: 

Ter uma coleção de amps puramente para curtir seria muita fixe!!! 

Portanto, digital para trabalhar, amps para curtir! Mais ou menos equivalente a ter uma mota confortável e fiável para o dia a dia e uma coleção de motas RR todas quitadas e/ou clássicas que não se pode confiar no dia a dia ou em grandes viagens, mas são brutais para olhar na garagem, voltas de fim de semana e track days:ph34r::D  

 

  • Gosto 2

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
tmo    2815

@pgranadas - precisas sempre do amp das colunas/monitores (se forem amplificadas, está incluído) e/ou do amp the headphones... o que podes dizer é não te importares com a especificidade do amp ser para guitarra.

Antes do Mesa Boogie 2:fifty, nos ensaios ligava-me ao PA e bombava na mesma e o restante da malta não se queixava da qualidade do som, quer com o Triaxis a fazer de elemento central, quer antes de o ter, em que todo o sistema tinha base digital (recordo, Roland GP100 e Boss VF-1)...

  • Gosto 2

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
pgranadas    2691
há 5 horas, tmo disse:

precisas sempre do amp das colunas/monitores

Lá estás tu a dar-me cabo do post:cop:, mas o tópico não é sobre amps de guitarras!!!:P

há 7 horas, Antonio disse:

Eu só não uso muito VSTs pela questão da latência

Não tenho problemas de latência, mas já tive, vê lá se não é uma questão de optimização do sistema.

  • Riso 1

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
Antonio    1079
há 3 horas, pgranadas disse:

 

Não tenho problemas de latência, mas já tive, vê lá se não é uma questão de optimização do sistema.

Expliquei-me mal, talvez... Eu consigo tocar com VSTs sem latência no sistema. Facilmente até. Mas tenho de ir ao buffer e reduzir. Normalmente deixo o buffer no máximo e não mexo, para poder carregar baldes de plugins durante a mistura :D 

Eu sei! É só ter um setting do buffer para gravar e outro para misturar. É mania minha! Não ligues. Mas o meu workflow é esse, o PC não faz monitorização, por isso ainda uso uma Mixer no estúdio ;)

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais

Regista-te ou entra para comentar!

Para deixar um comentário é necessário estar registado. É muito fácil!

Criar uma conta

Regista-te e vem fazer parte desta comunidade! É fácil!

Registar-me

Entrar

Já estás registado? Entra aqui!

Entrar agora