GANHA 1 pedal Digitech TRIO Band Creator aqui no Forumusica! Consulta aqui o regulamento!
André da Telé

Queres Comprar Uma 1ª Guitarra?



Posts Recomendados:

tmo    645

Não foi a Gibson que copiou uma cópia para o modelo do Slash?

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
On 29/10/2017 at 22:54, xtech disse:

As falhas que a minha tinha:

- Backplates de acesso à electrónica e switch apertados com parafusos metidos "na diagonal", com pouco cuidado e um deles completamente "no vazio", e acabou por caír

- Binding do corpo com imperfeições

- Colagem do braço com resquícios de cola

- Colagem da escala com resquícios de cola

- Trastos mal alinhados (2 deles)

 

Tal como disse, voltei para a ideia de comprar a Vintage V100,o modelo é que não sei qual escolher.... Preciso de ver ao vivo a tobbaco sunsburst e a iced tea ao vivo para tirar uma conclusão.Já agora,andei a ver a pg lemon drop e li que quando ambos os pickups estavam selecionados ficavam "out of phase".Alguém sabe e pode explicar o que significa?

Quando for à loja hei-de tentar reparar nesses pormenores ;) Já agora,essas coisas são reparáveis?

On 29/10/2017 at 20:55, jorgeteixeira disse:

Pois, a importante questão de poder testar as guitarras antes de as comprar, limita muito a nossa escolha. As nossas lojas têm, infelizmente, pouco material à venda.

Pode ser mesquinhez minha, e fique limitado nas minhas opções, mas sou contra as “marcas” que lançam modelos que são cópias dos modelos de sucesso de outras marcas. Assim é fácil....

Tens sempre essa boa opção de testar uma guitarra e de a devolveres se não gostares. 

Eu percebo essa ideia de comprar uma "interpretação" de modelos de outras marcas,mas como disseram se os outros conseguem fazer um pouco melhor com o que têm,acho que é uma opção válida.

 

Em relação ao amp?Há alguma sugestão para além do Katana 50? Na musicfactory disseram-me que esse era o melhor neste momento.Também já li o tópico que está na thread dos amps e tanto há pessoal que gosta como não. Para os estilo de música que indiquei é adequado ou posso dar alguma olhadela a mais algum?(até 200€)

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
tmo    645

@Guitar_Player, desculpa, só agora vi que tinhas resposta.

Até 200€ num amp não esperes milagres. Os boss serão dos melhores por esses valores...

Numa guitarra o mais importante é a sua construção em termos de estrutura: como é a junta do braço com o corpo, consistência das colagens, perfil do braço atrás e à frente, espaçamento entre as cordas, comprimento da escala, qualidade do acabamento dos trastes, qualidade dos carrilhões/pestana e ponte. A parte eléctrica pode ser toda alterada sem modificar a estrutura da guitarra e assim obter timbres drasticamente diferentes dos originais. Pode-se transformar uma guitarra de sonoridade blues numa de fusion rock só através de ligações e/ou pickups diferentes. Isto para dizer que o som "fora de fase" pode ser corrigido sem dificuldades de maior, se bem que muitas vezes o termo não é correctamente empregue.

  • Útil 1

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais

@tmo, também não estou à espera que ele toque por mim :P E o som "fora de fase" é notório de uma guitarra que não usa essa funcionalidade para uma que usa?

 

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
tmo    645

Relativamente ao "fora de fase" é necessário conhecer para se reconhecer isso numa guitarra. Pode significar (termo mais correcto) que as ligações dos pickups "não estão correctas" (caso não seja intencional) ou que os pickups estão a fazer a captação das cordas em fases diferentes da sua vibração (menos comum e utilização menos correcta do termo, na minha opinião, se descontextualizado).

No primeiro caso, a coisa topa-se por um som "nazalado" e com menos força, caracterizado por uma quase ausência de graves. Esta situação resulta de uma ligação invertida de um (ou mais) single coil e apenas existe quando há combinação de 2 ou mais single coils.

O segundo caso é mais subtil, acontece quando existe captação de sinal em diferentes áreas da corda e há a garantia de que a situação anterior não ocorre.

Isto está dependente do hardware em uso (captadores: pickups, microfones, piezos).

Exemplos:

  • O Brian May (guitarrista dos Queen) tem interruptores para colocar os pickups fora de fase intencionalmente.
  • Numa guitarra com 2 humbuckers, ter os coils de fora ligados em série pode dar uma sonoridade próxima de fora de fase, não estando os mesmos em fora de fase. As telecaster mais tradicionais têm esta sonoridade como "assinatura".
  • Misturar pickups magnéticos e piezos pode dar origem a sinais de fase invertida, existindo interruptores para corrigir a situação (inverter a fase dos piezos ou dos pickups).
  • Inverter a fase de 1 single coil numa strat não faz rigorosamente nada quando se usa apenas esse single coil.
  • Inverter a fase de um humbucker na sua totalidade não faz rigorosamente nada quando apenas este é utilizado.

Reitera-se:

  • A inversão de fase na parte eléctrica implica a existência de pelo menos duas fontes de sinal e refere-se à relação das ligações físicas (eléctricas) entre eles.
  • Pode haver ainda inversão de fase a nível de posicionamento de duas fontes de captação diferentes, ou seja, a distância entre estas é tal que vão captar a vibração das cordas em fases diferentes.

A diferença entre uma e outra, é que a primeira é claramente mais notória a nível de percepção sonora e a segunda está dependente das notas tocadas (uma vez que assim que se mudam as notas, as distâncias e comprimentos dos arcos de vibração das cordas mudam).

No que à parte eléctrica respeita, o termos fora de fase é algo "incorrecto" na minha opinião, pois implica uma "falha" semanticamente falando. Um termo mais assertivo será "Fase Invertida".

Atenção, não sou técnico nestas coisas nem tenho formação na área. Se alguma coisa estiver incorrecta, por favor corrijam-me.

 

  • Útil 1

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
blackyy    14

Boas pessoal,

Vou brevemente iniciar-me neste mundo. Podem ver a minha apresentação para um ligeiro enquadramento do meu perfil.

Bem vou iniciar aulas em Dezembro/Janeiro e pretendo portanto adquirir algum equipamento. Ora bem o meu budget é algo limitado mas também não queria comprar algo manhoso que daqui a 1 ou 2 anos me faça pensa, "epah tenho que trocar esta porra". Ao nível do tipo de música que pretendo tocar,  quando tiver uma evolução técnica que me o permita é claro, estamos a falar essencialmente de rock dos géneros hard, progressivo, psych e space. É o que mais ouço e o que mais me motiva. No entanto sou também fã de muitos dos clássicos do rock/metal assim como de algum jazz. 

Ao nível de AMP pelo que li por aqui e pela internet, penso que o Boss Katana 50W seja uma boa opção. Não tem um custo muito elevado e tem a possibilidade de ligar ao pc para ter um conjunto de efeitos extra e fazer umas brincadeiras.

Ao nível de guitarra é que já ando mais à nora. Dentro de estes géneros musicais que pretendo evoluir quais acham que são os potenciais modelos para o meu perfil? Gastando 200€ no AMP posso dizer que tenha uns 350/400€ de plafond para guitarra. Estou claro aberto a sugestões de outros AMPs.

O objetivo será sempre depois ver e ouvir as guitarras ao vivo, no entanto gostava de já ir com algumas ideias de modelos potencialmente interessantes e de saber marcas/modelos a fugir.

Obrigado.

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
tmo    645

@blackyy Amps por esse valor... é do Katano... :D

Quanto a guitarras, para os géneros que indicas, proponho a tipologia "SuperStrat", de 2 humbuckers (HH), ou ainda com o acréscimo de 1 single coil (HSH).

Relativamente a marcas, eu sou particularmente tendencioso para a IBANEZ.

Uma vez que vens das teclas e que estás a começar, sugiro que arranques JÁ com guitarras de 7 cordas, ou de 8 se para aí estiveres virado. Têm maior amplitude cromática e as possibilidades de voicings aumentam consideravelmente. Vais sentir sentir falta dos graves numa guitarra de 6... além disso, aquilo que se faz numa de 6 faz-se numa de 7 ou 8. Só tens vantagens nestas guitarras, tens menos escolhas para te deixarem na dúvida, há menos material assessório em termos de aftermarket, há técnicas que podem ser aperfeiçoadas substancialmente nestas guitarras (double hand tapping), etc... Infelizmente estão conotadas erroneamente com o Heavy Metal, quase exclusivamente, mas o instrumento não tem responsabilidades nisso, o preconceito das pessoas sim.

Pessoalmente, fico-me pelas de 7 cordas, apesar de ter uma de 8 e outras de 6. Desde que comecei com as de 7 nunca mais fiz coisas de jeito com as de 6. Já para as de 8, aguento a coisa apesar das mãos pequenas, mas como o meu projecto não está para aí virado de momento, as de 7 são a minha praia.

Assim de chofre é o que me lembro, mais coisas é perguntares.

  • Gosto 1

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
tmo    645

@deadpoet, enganaste-te no user pah :D e ele vai para as 7, pelo menos, eu sei que vai...

  • Riso 1
  • Obrigado 1

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais

Regista-te ou entra para comentar!

Para deixar um comentário é necessário estar registado. É muito fácil!

Criar uma conta

Regista-te e vem fazer parte desta comunidade! É fácil!

Registar-me

Entrar

Já estás registado? Entra aqui!

Entrar agora