Suporte para breadboard DIY

    Por tca    1.982 Visualizações     4 comentários    


A iniciação no DIY para montagem e estudo de efeitos para guitarra, baixo ou outros instrumentos electrónicos tem sempre uma custo inicial elevado. Neste tutorial, ajudamos-te a construir de uma boa base para breadboard (e não só!) a um custo muito reduzido.

tca
Por tca

Maker, Hacker, PhD


Introdução

A iniciação no DIY para montagem e estudo de efeitos para guitarra, baixo ou outros instrumentos electrónicos tem sempre uma custo inicial elevado, isto porque é necessário adquirir alguma material que inclui ferramentas, transístores, circuitos integrados, transformadores,  resistências, condensadores , etc, e, normalmente, uma breadboard.

A breadboard é uma ferramenta de estudo e experimentação importante. Permite montar uma versão provisória de um circuito sem danificar os componentes utilizados e utiliza-los numa outra futura construção. Uma das dificuldades na montagem e avaliação de um circuito para ser usado com um instrumento musical é a necessidade de levar a montagem até ao amplificador para ser testado, para ver como soa, ou então testa-lo com um amplificador de bancada. Não é raro a breadboard cair ao chão durante os testes, puxa-se um fio, ou as fichas são pesadas e puxam a montagem que já estava a escorregar na mesa das sala ou da cozinha desmontando tudo e levando ao curto-circuito final. Assim é importante a utilização de um suporte para acomodar a breadboard na sua tarefa de teste e experimentação.

Nas páginas seguintes descreve-se a construção de uma base para breadboard, não só a breadboard mas o suporte para ligar os cabos e ligação ao amplificador, alimentação, potenciómetros, etc.

Partilha o conhecimento!




  Denunciar Tutorial

O que diz a comunidade sobre isto?


Excelente tutorial :yes:

Só tenho uma pequena sugestão: usar uma step drill (broca escalonada) em vez de uma normal. Desde que comprei uma nunca mais usei outra para fazer furos no metal. Permite ir abrindo o buraco desde o diâmetro mais pequeno sem ter que trocar de broca.

Tipo isto:

61iVSRr6nmL._SL1000_.jpg

 

Partilhar este comentário


Link to comment
Partilhar nas redes sociais

Foi partilhado este artigo no Facebook. Estejam à vontade para partilhar com os vossos amigos e interessados! ;) 
 

 

Partilhar este comentário


Link to comment
Partilhar nas redes sociais


Regista-te ou entra para comentar!

Para deixar um comentário é necessário estar registado. É muito fácil!

Criar uma conta

Regista-te e vem fazer parte desta comunidade! É fácil!

Registar-me

Entrar

Já estás registado? Entra aqui!

Entrar agora


  • Conteúdo Recomendado:

    • simplinho
      O meu canal de youtube, outra forma de dar a conhecer os meus trabalhos ! Hoje são poucos...amanhã serão mais, subscrevam, obrigado !!!
      https://www.youtube.com/channel/UCr_Wzj4gJ7A1onmPoPr0p1w
    • xtech
      Depois de me aperceber que o melhor som que saco dos multifx é com os meu monitores de estúdio (uns Tannoy Reveal Active), e depois de os meus sobrinhos me furarem os cones dos speakers com as baquetas há coisa de dois anos, vou transformá-los nas minhas colunas de guitarra "para a estrada".

       
      Então precisava das vossas sugestões para os seguinte:
      Queria cobrir os speakers com uma grelha (de preferência metálica). Onde posso arranjar isso dado que o espaço em volta dos speakers não é redondo (devido à "moldura" que a Tannoy colocou). Estes monitores são pesados. Estou a pensar por uma pega aparafusada na parte de cima de cada um para fácil transporte. Concordam? Queria por uns pés de borracha ou rodinhas aparafusadas para não tocarem no chão. O que acham que é melhor? Como proteger os cantos à frente dado que não são tipo paralelipípedos? Haverá alguma maneira de "remendar" os furos no papel dos cones?  
      Obrigado pela vossa colaboração!
      Btw: Só para que conste... comprei outro set destes monitores depois dos putos terem furado os cones, e na gama até 400-500€ não arranjava nada igual em termos de som e construção. Aqui está a "wall of sound"  com os "bons" à direita.

    • tca
      Tutorial - Caixas em madeira para altifalantes: reciclagem e construção
      Resumo:
      Neste tutorial mostramos-te como construir uma caixa para acomodar um altifalante. Se tens um combo antigo que não uses e meia dúzia de materiais muito acessíveis em qualquer loja de ferragens, então não podes perder este tutorial!
      ...

      Ver tutorial completo
    • tca
       
      Neste tutorial vamos discutir uma das formas mais simples de construir caixas de madeira para altifalantes (pavilhões acústicos). A técnica de montagem não é nova mas merece a discussão de alguns detalhes para que se possa perceber como funciona e se possa repetir. A técnica de construção é simples e não requer qualquer tipo de máquinas sofisticadas.
      Vamos usar dois exemplos diferentes: o primeiro é a reciclagem de um amplificador que usei no fim dos anos 80 um Torque, no segundo vamos usar um woofer de 5'' com um cone de Kevlar que funciona muito bem para guitarra.
      Este é o projecto ideal para reaproveitar aquele altifalante que não tem casa ou aquele amp velhinho que tens e já não usas. Fica connosco nas próximas páginas!
       
      O altifalante que vou usar tem origem num combo dos anos 80 da marca Torque.

       
      Ao longo deste tutorial será transformado em outra coisa:
       

       
      Já tinha anteriormente retirado o amplificador (ver entrada no Forumusica)
       

       
      A caixa está neste estado:
       

       
      Com pó e sujidade acumulada ao longo dos anos.
       

       
      Vou aproveitar a grelha metálica e a baffle que me parecem estar em condições.
       



       
       
      Uma vez retirado a grelha e o altifalante está na altura de ir buscar algumas ferramentas.

       
      O esquadro metálico dá muito jeito para medir e garantir que temos ângulos rectos, note-se a prancha de madeira que está por baixo e que será usada para a construção da caixa. Poderia ter usado tábuas de pinho maciço, mas esta prancha estava em promoção.
      A caixa foi dimensionada de modo usar a grelha e a baffle do Torque. Foi usada uma prancha de 18mm de espessura para cortar os lados e construir as ripas para fixar o fundo e a baffle.
       

       
      Depois de cortadas as madeira com as dimensões certas é necessário montar a caixa propriamente dita. A ideia é usar parafusos e cola para fazer as junções. Esta madeira tem 18mm de espessura e por isso começo por marcar uma linha à distancia de 7mm do bordo para colocar os parafusos.
       

       
      Repito esta operação em todos os lados e as vezes necessárias. De modo a embutir os parafusos uso um berbequim pequeno com uma ponta adequada.
       

       
      A colagem é feita aparafusando as duas partes depois de colocada a cola, este método tem a vantagem de evitar o uso de grampos de pressão e permitir um ajuste de precisão forte.


       
      A parte interior já colada ficou assim. Não esquecer a marcação de cada parte, de modo a se saber, depois de feitos os furos, onde cada parte encaixa.
       

       
      Passo a passo vamos colando cada parte.
       

       
      A parte detrás tem já o furo para se colocar o suporte do jack efectuado com uma broca craniana de 30mm.
       

       
      Já me esquecia, se por acaso a parte vertical ficar mal furada, ou se for usada uma brocaligeiramente mais larga, não há nada que um fósforo não resolva.
       

       
      Usei uns batentes de porta como pés e coloquei uma anilha no interior para maior robustez mecânica
       


       
      Depois de tudo colado, deixado de lado durante 24 horas, está pronta para ser lixada.
       

       
      Há que ter algum cuidado de modo a conseguir-se um acabamento consistente e duradouro. Há várias formas de fazer o acabamento final, receitas tradicionais para coloração da madeira, produtos  comerciais, vernizes etc. Optei por usar um produto do IKEA que permite uma aplicação consistente e dá à madeira o seu tom natural, permitindo à madeira um envelhecimento natural, resistente à humidade e não tóxico (pode ser novamente aplicado no futuro).
       

       
       
      Apesar de ter medido tudo várias vezes, por  um ou dois mm se estraga a ideia de perfeição e se interrompe o fluxo de trabalho que até ai estava a correr tão bem. Acontece frequentemente no DIY. Mas não há nada que não se resolva com paciência e algum jeitinho.
       

       
      Tive de cortar 5mm de modo a que a baffle encaixasse na caixa, mas nada de grave apesar da baffle ser de aglomerado de madeira que se esfarela com muita facilidade com a serra tico-tico.
      Pintei as arestas e os lados acabados de cortar com tinta acrílica que era a que tinha cá em casa. E o resultado final nem ficou mal.
       

       
      Note-se os pezinhos de madeira elevados onde irá encaixar a grelha.
       
       
      O DIY tem os seus bons e maus momentos, este é um dos bons.
       



       
       
       



       
       
       
       
      A segunda parte deste tutorial diz respeito a construção de uma cab para um speaker de 5''. O método de construção é semelhante.
       

       
      O altifalante é um Skytronic de 5'' de 200W /também já descontinuado)! É um speaker com um cone de Kevlar e tem meaty break up que gosto muito.



       
      .A técnica de construção é semelhante.
       


       
       
      Nesta cab usei, como anteriormente, uns patentes de porta como pés.

       
      Mas usei umas protecções de malões para proteger os cantos da cab. Pelo que percebi já não são fabricados mas pode ser que fora das grandes cidades ainda se consiga arranjar nalguma drogaria.
       



       
       
      A coisa mais curiosa desta caixa é o grill-cloth. Usei uma rede de protecção para jardim que encontrei à venda numa grande superfície comercial (conhecida por malha de ocultação: http://www.leroymerlin.pt/Site/Produtos/Jardim/Vedacao-e-ocultacao/Ocultacao-e-cercados/Canicos-urzes-sebes-e-malhas/14048391.aspx.
      Funciona lindamente! Vejamos com foi feita a montagem. Claro que precisamos de um agrafador.
       



       
        
      Este tutorial tinha como objectivo mostrar como construir uma caixa para acomodar um altifalante de um combo dos anos 80 e mostrar em como a mesma técnica se aplica à construção de uma nova caixa.
      Utilizamos materiais acessíveis em qualquer loja de ferragens, por exemplo, batentes de porta como suporte das caixas, e como é possível usar malha de ocultação em substituição dos vulgares gril-cloths nas cabs.
      Nunca é demais referir a satisfação que é tocar usando uma cab feita por nós!
      Boas construções.



    • pgranadas
      Tutorial - Como editar musica DIY
      Resumo:
      Como podes editar a tua musica, sem ser obrigado a ter um contrato discográfico?
      ...

      Ver tutorial completo
    • pgranadas

      Este tutorial é baseado na pesquisa pessoal que realizei, com o intuito de fazer a minha própria edição do meu trabalho. Espero que ajude, e se tiveres algo a acrescentar ou a corrigir, por favor não hesites em colaborar.

      Muitos músicos recorrem ao diy. Gravam as suas musicas em seus home studios, ou recorrem a um estúdio para gravar, mas depois falta editar o resultado final.
      Recorrer a editoras, conseguir um contrato, e ter quem invista na impressão de cd's, é o sonho, mas muitas vezes não passa disso mesmo.
      Uma solução, pode ser a edição on Line, através das grandes distribuidoras de música, como I-Tunes, Google Play, Amazon MP3, Deezer, Apple Music, Spotify, entre muitos mais.
      Mas como o fazer?
      Gravar a música.
      O ideal é recorrer a um estúdio, e obter a melhor qualidade final possível, com a ajuda de profissionais que sabem o que estão a fazer. Mas isso nem sempre é possível, e alguns artistas recorrem ao método de gravar em seu home studio. A qualidade pode ser aceitável, mas no entanto é essencial que o resultado final corresponda a determinados standards. Por isso, mesmo que se opte por uma gravação diy, provavelmente no final de tudo gravado, será boa ideia recorrer a um profissional para fazer o master do álbum. Existem também algumas empresas que fornecem a possibilidade de fazer o teu master, usando algoritmos automáticos. Trata-se de serviços com custo mais acessível, mas também de qualidade mais duvidosa.

      Se vais vender o álbum, queres naturalmente receber o que te cabe das vendas, mas não só.
      Existem dois tipos de ganhos, aos quais também podes e deves aceder. Trata-se dos direitos autorais e dos direitos mecânicos.

      Direitos autorais, são obviamente a parte criativa, a música, a letra, tudo em conjunto faz parte da obra criada,  por isso é importante ter um registro de quem participou na composição dos temas. Num caso de artista solo é simples, no caso de uma banda pode complicar. Participaram todos? Ou a música foi criada por apenas alguns membros da banda?
      Direitos mecânicos, são os direitos relativos à execução na gravação dos temas. Quem gravou que parte da música? Quantas pessoas participaram? Resumindo, cada musico participante tem direito a uma parte. Essa parte não tira rigorosamente nada aos direitos autorais. Os cobradores de royalities, reservam automaticamente uma percentagem da obra para direitos autorias, e outra para os direitos mecânicos. Se ninguém os reclamar, ficam com eles na sua conta bancária. Por isso, mais uma vez é importante ter um registro de todo o processo, porque cada músico participante terá direito a uma percentagem, que se não for reclamada, fica perdida.
      Depois há ainda a produção. Se recorreram a um estúdio, e usaram um produtor para dirigir o trabalho, estes direitos serão dele. Se foi tudo diy, terão de verificar se o trabalho da produção foi do colectivo, ou se alguém teve esse papel.

      O registro de direitos autorais e mecânicos, pode ser feito no país de origem do artista, mas não obrigatoriamente. Um dos serviços mais recorridos internacionalmente é sediado na Holanda . O motivo disso tem a ver com o facto de eles serem reconhecidos pela sua competência, outro motivo, tem a ver com os preços de registo praticados, muito mais apelativos do que a SPA.

      Há vários serviços que oferecem pacotes para a edição do vosso material. Alguns até mesmo incluem nos seus pacotes o registro de direitos autorais, mas no entanto é aconselhável fazeres o teu registro previamente, porque alguns desses serviços são incompletos relativamente a definir os direitos mecânicos, e na realidade, no caso de vendas, estarás depois a perder dinheiro, não recebendo tudo a que terias direito.
      Há várias empresas que fornecem a possibilidade de editares as tuas músicas, nas várias lojas de música on-line. Cdbaby, Branditmusic, Bandcamp e muitos outros.
      Um que pode ser interessante é a Horus, o motivo é porque, ao contrário dos restantes serviços, que cobram um valor pela edição inicial, e depois outro valor periódico pela manutenção da tua música nos vários distribuidores, a Horus permite-te ter a possibilidade de fazer a edição gratuitamente, em troca de uma percentagem das vendas, pode-se posteriormente se alterar o contrato, se entretanto assim se desejar.

      Cá está, estes são alguns dos passos que poderás dar para editar a tua música, espero que te sirva de ajuda.