Como escolher o melhor cabo de guitarra?

    Por xtech    13.770 Visualizações     26 comentários    


Estás à procura de um cabo para a tua guitarra ou para ligar os teus pedais e não sabes como escolher? Neste tutorial vamos explicar o que é verdadeiramente importante na compra de um cabo - e como ir ver para além do marketing dos fabricantes - para que possas escolher o melhor cabo, ao menor custo possível.

xtech
Por xtech

Toco um pouco de tudo e muito de nada.
Gosto de tecnologia. Gosto do homestudio.
A música é um hobby e uma paixão.

 


O som da guitarra

No geral, as guitarras produzem um sinal com uma corrente eléctrica cerca de alguns miliAmperes (ou seja, uma quantidade bastante pequena) a alguns miliVolts (idem). Pela lei de Ohm, isto significa que a potência de um sinal de guitarra é muito baixo (na ordem dos miliWatts). Uma vez que o sinal não é forte, alterações relativamente pequenas às suas características terão necessariamente consequências sonoras. Interessa pois, nesta vertente, que o cabo a comprar preserve ao máximo as características do sinal original, que seja robusto contra influências externas (ex: ruído causado por fontes electromagnéticas).

O som de uma guitarra tem estende-se (para a afinação standard) entre os 80 Hz e os 660 Hz, no entanto, com os harmónicos e sobretons a gama completa ronda entre os 50 Hz e os 5000 Hz. Alterações à estrutura do sinal afectarão necessariamente as frequências (quais delas, iremos ver na página seguinte) e consequentemente, o som produzido. Daí que os cabos adequados (não necessariamente caros) tenham muita influência no que ouvimos no som final.

Partilha o conhecimento!

  • Gosto 4
  • Útil 4



  Denunciar Tutorial

O que diz a comunidade sobre isto?




Finalmente foi publicado este artigo na nossa wiki sobre cabos de guitarra, um assunto que me é bastante caro :)

Comentários e sugestões: estejam à vontade para isso! Entretanto se acharem útil, partilhem com os vossos amigos e conhecidos!
 

Partilhar este comentário


Link to comment
Partilhar nas redes sociais
há 3 minutos, zedsnotdead disse:

Efeito "pelicular" ;), de película.

Corrigido! Obrigadíssimo pelo reporte do "typo" :yes: 

Partilhar este comentário


Link to comment
Partilhar nas redes sociais

Bom artigo @xtech, apenas alguns reparos se me permites.

No tutorial: "Da mesma forma, ligar guitarras não é prático com conectores em L, sendo mesmo mecanicamente impossível em alguns casos. Os conectores recomendados para ligar guitarras são os conectores direitos."

Em guitarras com o Jack no rebordo da guitarra, e em que o músico tenha o hábito de o passar pela strap, para melhor fixar o cabo, a ficha em L torna-se uma boa opção, porque impede que o cabo fique dobrado na junta da ficha, dando-lhe também maior durabilidade.

No tutorial: Cabo sugerido: Qualidade Preço - Sommer Cable Spirit XXL - 2,60€/m - Excelente a todos os níveis.

Sem Duvida um óptimo cabo, mas há um melhor. O Sommer Cable Spirit LLX, tem uma capacitância de 52pf, contra os 86pf do XXL. O preço é ligeiramente mais alto, mas os 0,05€ valem bem a pena.

Partilhar este comentário


Link to comment
Partilhar nas redes sociais

@pgranadas obrigado, desconhecia esse LLX e vou já alterar :yes:

Tenho é pena de só o conhecer agora porque fiz todos os cabos da minha pedalboard com o XXL :D 

Partilhar este comentário


Link to comment
Partilhar nas redes sociais
Agora mesmo, xtech disse:

@pgranadas obrigado, desconhecia esse LLX e vou já alterar :yes:

Tenho é pena de só o conhecer agora porque fiz todos os cabos da minha pedalboard com o XXL :D 

Culpa tua, que não andaste atento aqui ao fórum...:P

Foi por cá que tive conhecimento dele.

Partilhar este comentário


Link to comment
Partilhar nas redes sociais

Ah já vi porquê... é melhor na capacitância mas pior na grossura e constituição do condutor central, que é mais fino e menos entrançado, ou seja, eventualmente uma menor fiabilidade e capacidade de aguentar stress mecânico.

O LLX é de facto mais adequado para quem precisa cabos longos que não precisem ser "mexidos" frequentemente, como é o caso do uso em estúdios, enquanto que o XXL aguenta melhor os rigores do "live".

Partilhar este comentário


Link to comment
Partilhar nas redes sociais



Regista-te ou entra para comentar!

Para deixar um comentário é necessário estar registado. É muito fácil!

Criar uma conta

Regista-te e vem fazer parte desta comunidade! É fácil!

Registar-me

Entrar

Já estás registado? Entra aqui!

Entrar agora


  • Conteúdo Recomendado:

    • F.Coelho
      Todos nós já experimentámos guitarras com uma escala de 24,75” e guitarras de 25,5”.
      No primeiro caso estão, normalmente, as designadas Les Paul. No segundo, as Stratocaster.
      Uma pergunta que é legítima de se colocar é: Faz assim tanta diferença tocar numa ou noutra escala?
      A resposta não será fácil.
      Vejamos:
      24,75” correspondem a 628,65 mm.
      Enquanto 25,5” correspondem a 647,70 mm.
      No fundo a diferença entre escalas tem um valor de 19,05 mm ( 647,70 - 628,65 = 19,05 mm), ou seja, aproximadamente 2 cm.
      Estes 2 cm distribuídos ao longo do comprimento da escala não traduzem grande alteração nas larguras entre trastes.
      Matematicamente, por exemplo, na escala de 25,5” o espaço entre o 4.º e o 5.º traste tem uma largura de 28,85 mm e na escala de 24,75” o mesmo espaço tem uma largura de 28,00 mm. Ou seja, a diferença entre ambos é um valor de 0,85 mm, não chegando, portanto ao valor de 1 mm.
      Essa diferença poderá ser um pouco maior da pestana ao 1.º traste, um pouquíssimo maior que 1 mm, mas à medida que se avança para os trastes mais perto do corpo da guitarra essa diferença começa a ser desprezível.
       
      Portanto, todos dirão,”Este fulano deve querer descobrir a pólvora?”.
       
      Vamos fazer esta experiência:
      Peguem numa guitarra com a escala de 24,75”.
      Coloquem o indicador na nota G (3.º traste) da 6.ª corda.
      Agora, com o dedo mindinho vamos fazer a sequência “Hammer”-”Pull off”- “Hammer” na nota B (7.º traste).
      Agora passem para a 5.ª corda e repitam o movimente entre as notas C e E.
      Depois para a 4.ª corda, entre as notas F e A... e assim sucessivamente até chegarem à 1.ª corda.
      Lá chegados façam o caminho inverso. E repitam o exercício até se sentirem confortáveis (ou não).
       
      Agora peguem numa guitarra com a escala de 25,5” e façam o mesmo exercício.
       
      No exercício, a diferença da distância entre trastes nas duas guitarras é de 2,5 mm aproximadamente.
       
      Consoante as características das mãos de cada um muita coisa poderá acontecer, a saber:
      Mão pequena – dificuldade em fazer o exercício em ambas as guitarras;
      Mão um pouco maior – alguma facilidade na guitarra de 24,75” mas não praticável na guitarra de 25,5”;
      Mão um pouco maior – conforto na guitarra de 24,75” e alguma facilidade na de 25,5”;
      Mão um pouco maior – demasiada facilidade na guitarra de 24,75” e conforto na de 25,5”;
      Mão grande – talvez optem por uma guitarra com uma escala maior.
    • jorge_may
      Boas pessoal, estou a pensar iniciar no mundo do diy com um kit de guitarra single cut da harley benton. Sendo que a nível de montagem da guitarra em si não terei problemas (estou habituado a fazer os setups das minhas guitarras e nunca tive problemas ate agora) e a nível da eletronica o kit é bastante basico, penso que onde terei mais dificuldade será na parte da pintura/envernizamento.
      Alguém me consegue ajudar nesta parte? Que passos devo seguir? Que tintas, vernizes são recomendáveis, que marcas e lojas onde se podem comprar? Etc....
      Obrigado desde já pela ajuda.
    • Terrasaw
      Boa noite a todos,
      Toco guitarra eléctrica há alguns anos. O meu material não está comigo de momento, por isso queria comprar uma acústica para matar o bicho.
      Procuro uma clássica com cordas de nylon e escala 3/4. Acho que com 150€ já conseguiria algo decente e não quero gastar muito mais do que isso.
      Vejo algumas interessantes na Thomann, mas estou aberto para procurar outros vendedores. Nesta altura não posso ir às lojas experimentar as guitarras, por isso gostava de ouvir as vossas recomendações e/ou opiniões.
      Obrigado desde já.
    • Marcelo Gomes Fernandes
      Boa Tarde Malta,
      Vamos interagir e trocar ideias?
      Quem é canhoto tal como eu e Hendrix? LoL  (Humilde comparação...)
      Abraços
       

    • Miguel Berkemeier
      Olá a todos!
      Aqui partilho o meu canal de youtube, onde vou colocando composições minhas de diferentes estilos (desde a música clássica ao metal, passando muito pelo mundo celta), sobretudo instrumentais, para já, e com vários instrumentos (essencialmente violino, guitarras e teclado/piano).
      https://www.youtube.com/channel/UCj9EpPCocXcqEzQoQhmyFAw
       
      Espero que gostem, e quem gostar subscreva!
       
    • Danicafd
      Boas.
      Ultimamente tenho estado a pensar em conectar a saída de um amplificador de guitarra à entrada de um amplificador de baixo.
      As minhas perguntas, se alguém me souber responder, é:
      -isso estragaria algum dos amplificadores?
      -daria muito hum, ou feedback, mesmo com ambos os canais em clean?
      O motivo pelo qual tenho estado a pensar neste assunto, é que tenho um chorus excelente no amplificador de baixo, mas não tenho acesso a distorção só com esse amplificador. Já o de guitarra tem uma distorção razoável, mas o resto dos efeitos deixa a desejar.
      Cumprimentos e votos de boas festas a todos!